Powered By Blogger

sábado, 8 de junho de 2024

Resumo do mês - Maio/2024

152,5 km em 12 treinos e 1 Maratona Nilson Lima

4 séries de fortalecimento

4hs de futevolei

10 min de elíptico

1 doença esquisita que parece ter sido dengue


01 - 10,4km em 1 horinha, de Nike Invincible + 2h de futevolei

02 e 03 - off (trabalho),

04 - 30km de longo: 5km leve + 20km ritmo + 5km leve, de Adidas Adios Pro 3

05 - off

06 - 7km na esteira com inclinação, de Skechers Razor 3

07 - 1,6km + fortalecimento muscular + 3,7km. Total de 5,3km, de Nike Invincible

08 - 5,8km leve, meio estranho (era dengue?), de Skechers Razor Elite 2

09 a 12 - doente

13 - 4,2km em 31min, suando loucamente, ainda meio zoado, de Skechers Razor Elite 

14 - off

15 - 9,7km em 1hora, finalmente se sentindo melhor, de Fila KR6

16 a 18 - off

19 - Maratona Nilson Lima, em 4h30m41s, de Adidas Adios Pro 3

20 a 22 - off

23 - fortalecimento muscular

24 - off

25 - 13km leves, de Asics Nimbus Senna 

26 - off

27 - 7km na esteira, de Skechers Razor Elite

28 - 10min de elíptico aquecendo + fortalecimento + 3,2km, de Skechers Razor Elite

29 - 7,4km rodados, de Skechers Razor Elite + 2hs de futevolei

30 - 7,3km de Rodagem, de Nike Invincible

31 - fortalecimento 




quarta-feira, 22 de maio de 2024

Maratona Nilson Lima - Uberlândia - 2024

O objetivo do primeiro semestre! Uma "dívida" a ser paga com o Nilson Lima! Um desafio para um japonês que tem visto a sua performance depreciar a cada ano! E chegando na data da prova, um problema de saúde a ser gerenciado...

Pois é, correr a Maratona Nilson Lima era uma dívida que eu tinha com o próprio Nilson há 7 anos, desde que essa prova se iniciou, homenageando essa lenda das corridas de rua do Brasil. Quando essa história começou, acho que o Nilson ainda estava na casa das duzentas maratonas, o que é um absurdo. Mas agora, em 2024, considerando ainda que teve pandemia no meio, o Nilson já tinha 357 maratonas completadas, sem qualquer indicação de que vai diminuir o ritmo, mesmo chegando aos 70 anos. E eu reclamando do corpo com 48 anos...

O Nilson é isso aí, uma lenda das corridas de rua do Brasil, uma pessoa "normal" capaz de fazer coisas inacreditáveis, como correr 50 maratonas em 50 estados americanos, correr várias maratonas em sequencia sem diminuir o ritmo, e ter essa contabilidade toda sem contar as ultras que fez. Neste ano, o Nilson não iria correr a prova que tem o seu nome: primeiro porque a prova cresceu e o assédio e a presença requerida dele são muito grandes, é difícil dar atenção a tanta gente e tanta coisa, lembrando que o Nilson está em sua própria terra, Uberlândia. E segundo porque ele está preocupado com a obtenção de seu Green Number na Comrades. Precaução e canja de galinha para essa grande marca não fazem mal...

Eu, que não tenho Green Number a obter, que apenas caçava uma prova no primeiro semestre e que tinha que pagar essa "dívida" com o Nilson, resolvi fazê-lo neste ano. Não sei se acertei, mas esse primeiro semestre estava perfeito para treinar para uma prova difícil e quente. Afinal, a onda de calor do início de 2024 foi bem brava, aclimatação não deveria faltar. O problema seria suportar os treinos... 

Só que o ciclo foi bem complicado. Desta vez até consegui manejar bem o peso, mas o problema foi a sequência de pequenas lesões atrapalhando tudo. Nos 3 primeiros meses do ano teve um eventode intoxicação alimentar e 3 lesões, nas panturrilhas esquerda e direita e ainda uma volta da pubalgia. Nada de grave, a pubalgia nunca zerou, mas também não foi um grande incômodo nos treinos, apenas atrapalhou após os treinos mais pesados. As lesões nas panturrilhas ajudaram na pubalgia, já que tive que tirar o pé dos treinos por duas vezes. Alivia a dor, mas não melhora a preparação.

Mas o pior aconteceu duas semanas antes da prova: febre, muitas dores no corpo, mal-estar generalizado, enjôos... aparentemente foi dengue, mas nunca saberei com certeza, já que não cheguei a ir a um hospital ou pronto atendimento para verificar se foi isso mesmo. Não fiz os exames. Apenas não consegui fazer um treino de polimento, que acabou sendo, na verdade, um repouso absoluto. Na segunda-feira da semana da prova consegui correr apenas 4km, suando como um condenado e ainda bem enjoado, e somente na quarta-feira eu consegui fazer um treino de 1 horinha me sentindo bem de verdade. Lógico que não puxei no treino, apenas corri progressivamente mais forte (e começando beeeeem levinho) para ir sentindo o corpo. Ok. Não fiz mais nada, querendo descansar o máximo para ver se o corpo recuperava e fui pra prova. Afinal, o problema não seria performance, mas capacidade de fazer uma prova longa com o corpo um pouco debilitado.

Saí bem levinho, mas quando a prova caiu em um avenidão com falso plano em descida (a Rondon), soltei o corpo. A subida da Getúlio Vargas, tão alertada por muitos, eu fiz bem tranquilamente, e tudo parecia bem, exceto um peso intestinal que eu talvez precisasse acertar, tava começando a incomodar...

Aí quando essa subida da Getulio Vargas termina, no km 18, seria hora de começar a correr com ritmo de de novo, né? Pois é, só que não consegui. As pernas pesaram, senti um incômodo no vasto medial da perna esquerda, eu tava estranho, meio lento, não estava me sentido cansado, mas simplesmente não rendia. Continuei no ritmo que dava, conversando com o Frank e a esposa (que estreava na maratona nessa prova, que escolha!) Quando retornamos para o Parque do Sabiá, acabei encontrando um banheiro de verdade exatamente no km 21 e deixei o meu incômodo intestinal para trás.

Acabei reencontrando um ritmo razoável depois disso, mas após sair do parque e pegar uma subida forte até a estrada e região dos condomínios na Zona Norte, a vaca foi pro brejo de vez. No km 28 comecei a andar e intercalar com corrida. A coisa estava difícil e a partir passei a ser passageiro da minha própria agonia, até porque esse trecho todo, embora plano no perfil altimétrico e no próprio GPS, na verdade era uma subida infinita, embora pouco inclinada, e com o sol na cara, castigando...

Eu me arrastei nesse anda-trota-anda-trota até o km 37 mais ou menos. Ali, na região do aeroporto, talvez por existir mais sombra e ser realmente um trecho plano, comecei achar chato esse negócio de andar e correr e consegui voltar a correr/trotar o tempo inteiro, ainda que em um ritmo beeem leve, na casa de 6m45/km. E assim segui até o final... os últimos 2km eram em descida (a mesma descida que me quebrou antes do km 28), mas eu simplesmente não conseguia correr mais rápido. Foi um trote dolorido em descida, especialmente com a perna esquerda berrando... mas terminei, com 4h30m no relógio e 4h32 no tempo oficial. Sei lá a razão da diferença, mas não faz diferença real nenhuma...

Após finalizar, sofrer um pouco e depois ser muito bem recebido na tenda VIP do Nilson (aliás, como todo o tratamento que me foi dispensado!!), eu consegui me recuperar com cerveja, coca-cola, isotônico, comida e muito papo bom com o pessoal!! Prova desafiadora! SIM! E desafio cumprido!! Aliás, uma coisa que eu só percebi depois, quando voltei pra casa: essa foi a minha prova de nº 200! Um número redondo, comemorativo para uma prova para se comemorar mesmo!

Aliás, falando em comemorar, depois ainda teve churrasco na casa do Morgado, mas aí é outra história... 



Meia Maratona da Maratona de São Paulo 2024

Sim, essa sim. A meia-maratona da Maratona de São Paulo era um treino interessante que se encaixava na planilha, pra pegar ritmo de prova e coisa e tal. Sabemos que não é prova para tempo, que tem uma altimetria pesada e que as condições climáticas costumam não ser as ideiais, mas como a prova alvo é Uberlândia, era isso mesmo o que eu tinha que treinar, não é mesmo?

Além disso, é uma grande prova na minha cidade, sempre interessante estar por lá. A maratona em si é bem pesada, mas a meia já seria uma bela rodagem, e foi mais ou menos isso o que fizemos. Uma bela rodagem. A retirada dos kits no Ibirapuera ajuda a tornar a logística mais fácil para mim e dessa vez ela transcorreu sem qualquer problema para mim, que fui retirar numa bela sexa-feira à tarde. Mas mesmo no sábado não ouvi relatos de grandes problemas.

De resto, é uma prova para encontrar muita gente, papear bastante e, quem sabe, correr? Como disse, fui para treinar, para sentir o ritmo do corpo. Isso não significa um ritmo leve, mas um bom esforço para não fazer força demais. E dá pra dizer que deu certo: um começo de prova mais tranquilo, até porque ela sai do Ibirapuera e sobe a Rubem Berta na direção de Congonhas, numa subidinha mais puxada. Depois, na volta pro Ibirapuera em descida, o ritmo já melhora e assim segue na região da JK, exceto os malditos túneis, onde o ar é pesado e a saída dos túneis em subida íngreme doi. Para os corredores da meia, a gente vai apenas até metade da avenida do Jockey e depois volta, sem encarar a USP, ou a Caverna do Dragão para muitos (porque nunca tem fim...).

Depois, lógico que voltamos pelos mesmos malditos túneis quebra-ritmo e finalizamos em subida até o Ibirapuera. Fechei em 1h55, sem fazer uma força excessiva, mas também sem correr uma prova super leve. Alguns kms foram na casa dos 5min/km, mas nos trechos mais pesados subiu para 5m40/km, com bpm médio de 150. 

O calor não tava excessivo, mas o tempo estava aberto e começou a esquentar no final da meia, o que dirá na maratona, né? A organização, para variar, faz besteira na largada, com todo mundo saindo junto e, pior, as provas mais curtas saindo em pelotões mais atrás, o que se traduz em muitos problemas para os corredores mais rápidos, que tem que correr desviando dos corredores mais lentos das distâncias mais longas. É um erro que se repete ano após ano e nunca é corrigido pela organização...

De resto, uma medalhinha legal, camiseta da prova bacana e o de sempre no pós-prova. A maratona de São Paulo, nos moldes como é feita, nunca será uma grande prova que atrai os corredores para bons tempos, mas apenas uma prova que roda por si, dadas das dimensões de São Paulo. Lógico que a organização não falha em outros pontos, mas é obrigação e desejo dos atletas que uma organizadora de prova não cometa erros. E aqui há erros, não tem jeito.

Resumo do mês - Abril/2024

206,1km em 18 treinos e uma Meia Maratona

9 séries de fortalecimento

8hs de futevolei


01 - 10km fartlekado, de Skechers Razor 3

02 - 2,5km aq + fortalecimento + 1,2km desaq, de Saucony Type A

03 - 2km aq + 5km tempo run (5m03/km) + 3km desaq, tudo na esteira, de NB SC Pacer + futevolei

04 - 6,1km leve + fortalecimento, de Asics Nimbus Senna

05 e 06 - off

07 - Meia maratona da Maratona de SP, em 1h55m23, de Olympikus Corre Vento 2

08 - 8,1km de rodagem com subida, de Nike Invincible

09 - Fortalecimento e só

10 - 9,4km com tiros de 600, de Skechers Razor Elite 2 + futevolei

11 - 6,5km na esteira, Mizuno Rebellion Sonic + fortalecimento

12 - off

13 - 5km leve + 14km ritmo (5m07/km) + 5km leve. 24km de longo, de Skecehrs Razor Elite

14 - off

15 - 8,5km, com tiros de 400m na esteira, de Skechers Razor Elite

16 - Fortalecimento

17 - 8,7km de rodagem + 6 x 2m30, de Mizuno Sonic + futevolei

18 - 6,8 km de rodagem, de Fila KR6

19 - Fortalecimento3flexibilidade

20 - 5km leve + 24km ritmo (5m36/km) + 3km leve. 32km, de Skechers Razor Elite 

21 - off

22 - 8,4km rodagem, de Nike Invincible

23 - Fortalecimento

24 - 7,1km rodagem, de Nike Invincible + futevolei

25 - Fortalecimento

26 - 4,2km levinho, de Fila KR6

27 - 18km leve, de Puma Nitro Elite

28 - off

29 - 7,7km, com 4km de tempo run (5m12/km), de Skechers Razor Elite

30 - 5km aq + fortalecimento, de Mizuno Sonic

segunda-feira, 20 de maio de 2024

10km de Cabreúva

Correr 10km em Cabreúva não fazia muito sentido no planejamento de treinamento, mas a participação na prova foi a convite da Ilustríssima Secretária Municipal de Esportes, a Tchuca, namorada do Mayco, e eu não pude recusar, especialmente porque... bom, foi por isso mesmo que eu fui. 

E acabei descobrindo uma prova muito legal! Não foi surpresa já que imaginava que seria uma prova com algum cuidado especial, considerando quem estava agitando. Mas foi bacana reencontrar por lá alguns velhos amigos como o Acerola, do Dani Poklichuka, o Robertão Itimura e o Laurindo! E embora fosse uma prova simples, não faltou nada na organização!

Ao contrário, uma prova que passa pela Serra do Japi, com umas paisagens interessantes, inclusive um belíssimo templo budista que eu nem sabia que existia! Para dar uma pimentinha a mais, choveu na madrugada inteira e o chão estava bem molhado, o que é ainda mais interessante quando se pensa que você vai correr em estrada de terra vermelha...

Bom, para quem ia só rodar, eu fiz é muita força!! Primeiro porque o primeiro quilômetro já tinha uns 60 metros de desnível. E lógico que não ficou só nisso!! Segundo porque depois, tudo o que sobe, desce, e na descida a gente acaba soltando o corpo. Mas não dava pra soltar muito o corpo, porque o chão tava molhado, lembra? E se o piso de paralelepípedo no templo escorregava, o piso da pista de terra no Japi escorregava ainda mais, rolou vários momentos de esqui involuntário! Mas eu não caí nenhuma vez e ainda deu para fechar num último quilômetro bem forte, em um trecho plano e corrível, a 4m38/km.

No final das contas, deu 55min17 mas com parciais bem interessantes nos km que não eram em subida. Prova gostosa, mas dura!!! E molhada. Valeu muito a pena correr lá, um clima bem gostoso, bem amistoso, de corrida meio raiz mas bem organizadinha, toda redondinha!! Prova de estréia de 2024 e foi bem legal, fiquei satisfeito com minha performance.



Resumo do Mês - Março/2023

201,6km em 22 treinos e 1 prova (10km de Cabreúva)

8 sessões de fortalecimento

8hs de futevolei 


01 - off

02 - 10,6km de longuinho teste na USP, de Puma Deviate Nitro 2

03 - off

04 - 7km leves, de Joma Supercross 6

05 - 1,7km aq + fortalecimento + 1,3km voltando, de Ultramax

06 - 8km leve, de NB Supercomp Pacer + futevolei

07 - 4,5km aq + fortalecimento, de Skechers Razor 3

08 - off

09 - 3 bloqcos de 30min, testando a panturrilha zoada, de Joma Supercross 6

10 - 10,2km rodando leve até a SouBeach, com cerveja no meio, de Skechers Razor 3

11 - 8km leve, continuando a testar a panturrilha, de Nike Invincible

12 - 1,6km aq + fortalecimento + 3,9km, de Nike Free

13 - 8,3km com tiros em subida, de Skechers Razor 3 + futevolei

14 - 6m6km em 40 min, leve + fortalecimento, de Olympikus Corre Vento 2

15 - off

16 - 20min + 6km tempo run + 25min, total 13km, de Skechers Razor 3

17 - off

18 - 20min + 7 x 500m/1min + 10min. 9km, de NB Supercomp Pacer

19 - 2km aq + fortalecimento, de Ultramax

20 - 10min + 4x1km/2min + desaq. 9,3km, de Nike3 Vaporfly + futevolei

21 -  1,4km + fortalecimento + 3,6km, de Skechers Razor 3

22 - off

23 - 20min + 4x4min/4min + 25min. 13km, de Puma Deviate Nitro Elite 

24 - 10km de Cabreúva em 55min17s, de Skechers Razor 3

25 - 9,4km em 1hora rodando, de Nike Invincible

26 - 1,2km aq + fortalecimento + 2km, de Olympikus Corre Vento 2

27 - 55min rodagem, 9,4km, de Joma Supercross 6  + futevolei

28 - 6,1km (40min) na esteira + fortalecimento

29 - off

30 - 24km de longo em 2h28, de Olymikus Corre Vento 2

sábado, 2 de março de 2024

Resumo do mês - Fevereiro/2024

159,3 km rodando em fevereiro, mesmo com a contratura na panturrilha e intoxicação alimentar

8 séries de fortalecimento muscular

75min no elíptico

8hs de futevolei


01 - 1,6km aquecendo (10min) + fortalecimento muscular + 5,1km completando (30min), de Mizuno Rebellion Sonic

02 - off

03 - 16,4km rodados na USP, de Mizuno Wave Rebellion

04 - 5,1km levinho, de Nike Invincible

05 - 9,7km, com 3km tempo run (5m27/km)  + 2km tempo run (5m17/km), de Puma Nitro Elite

06 - 3,2km indo à academia + fortalecimento muscular + 2,4km voltando da academia, de Oloympikus Corre Vento 2

07 - 10' leve/ 30' médio/ 10' leve, de Skechers Razor 3 + 2hs de futevolei

08 - off (trabalho/criança/vida doméstica)

09 - 1h de futevolei

10 - 22,4km de longo com bastante variação de ritmo, de Puma Nitro Elite

11 a 12 - off Carnaval e intoxicação alimentar

13 - 2,3km aquecendo, de sapatilha Ultra Max + fortalecimento muscular

14 - 9,3km com tiros curtos em subida, de NB SC Pacer + 2hs de futevôlei

15 - 6,4km entre ida e volta da academia + fortalecimento, de sapatilha Ultra Maz

16 - off

17 - 23km rodando com o Mayco, de Skechers Razor 3

18 - off

19 - 5,3km, eram 8 tiros de 400m, mas no 4º tiro deu ruim na panturrilha... , Skechers Razor 3

20 - 10min de elíptico + fortalecimento

21 - 50min de tortura no elíptico + 2km levíssimo na esteira, de Skechers Razor 3 + 2hs de futevolei

22 - 10min de elíptico + fortalecimento + 2km levíssimo na esteira, de Ultra Max

23 - off

24 - 10km andando e trotando no Ibira, de Olympikus Corre Vento 2

25 - off

26 - 8,6km rodando leve na esteira, de Puma Deviate Nitro 2

27 - 2,3km na esteira aquecendo leve, de Skechers Razor 3 + fortalecimento

28 - 7km rodando leve (um pouco menos) + 2hs de futevolei

29 - 5min de aq no elíptico + fortalecimento + 3,8km na esteira e 2,6km na rua, de Skechers Razor 3

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2024

Resumo do mês - Janeiro/2024

176,6km corridos em 25 treinos de corrida

9 sessões de fortalecimento muscular

3hs de futevôlei

15min de remo 


01 - 8,7km na Capri Run 2024, de Puma Deviate Nitro 2

02 - 3km aq + fortalecimento muscular, de Fiber

03 - 9,1km rodando leve, de Nike Invincible

04 - 6,5km em 40 minutinhos na esteira + fortalecimento muscular, de Nike Invincible

05 - 1,2km indo comprar pão, de Mizuno Rebellion Flash

06 - 12,2km em 70 minutinhos na USP, de Mizuno Rebellion Sonic

07 - 1,1km indo até o açougue, de Skechers Go Bionic

08 - 1h de futevôlei + 6km com subidas num calor dos infernos, de Olympikus Corre Vento 2

09 - 2,4km aq até a academia + 1,2km com mais aquecimento na esteira + fortalecimento muscular + 2,4km voltando da academia. 6,4km de NB Supercomp Pacer

10 - 8,1km rodando leve num calor dos infernos, de Skechers Razor 3

11 - 10min de remo + fortalecimento + 5km na esteira, de Olympikus Corre Vento 2

12 - 2km testando as esteiras do prédio (tem 4, 2 funcionam),  + 15 min de fortalecimento/mobilidade, de Skechers Go Bionic

13 - 14km em 80 minutinhos na USP, de Skechers Razor 3

14 - 5km levinho, de Puma Deviate Nitro 2

15 - 10,5km (0,5km na rua do Jamil tá em obras e o resto na esteira) progressivo, de NB Supercomp Pacer

16 - 1,4km indo até a academia + fortalecimento + 1km voltando da academia, de Olympikus Corre Vento 2

17 - 9.4km no Ibira, com 08 acelerações de 1min/30 seg de recuperação, de Skechers Razor 3

18 - 8k de NB Supercom Pacer indo até uma academia inexistente (Blue Fit) + 5min de remo + fortalecimento muscular

19 - off

20 - 15,4km de longuinho na USP com 2km fortes no meio, de Puma Deviate Nitro 2

21 - 1h de futevôlei

22 - 10,5km com 7 tiros de 400m (controlado entre 1m55 e 1m50), de NB SC Pacer

23 - 3,6km de Nike Invincible + fortalecimento muscular

24 - 8,2km com 4 tiros de 3min controlados (4m50 a 4m40/km), de Skachers Razor 3

25 a 27 - feriadão off

28 - 1h de futevôlei

29 - 8,9km na esteira fartlek, de Nike Invincible

30 - 2,8km de deslocamento até a academia, de Skechers Razor 3 + fortalecimento muscular

31 - 8,5km rodado, com o Puma Deviate Nitro 2

sexta-feira, 5 de janeiro de 2024

Resumo do ano 2023

2050 km rodados em 2 maratonas, 1 meia-maratona, 1 maratona de revezamento e 179 treinos

74 séries de fortalecimento muscular

1.500m natação

67hs de futevolei

20min escada

40min de transport

31min de remo

3h30 de volei de praia


Menos kms rodados correndo e mais variações de atividade? Nem tanto, foram alguns poucos minutos de alguns tipos de estímulo de aquecimento no transport, remo e escada, por causa das lesões, o registro de uns jogos pegados de volei de praia nas férias e o futevolei, este sim, uma atividade nova e bem frequente, por causa do grupo de pais da escolinha do filho. Como deu um puta trabalho para aprender a jogar minimamente e ainda deu troféu de vencedor no primeiro e único campeonato que joguei, vale a pena o registro, inclusive porque não só não doía na fase mais braba da pubalgia, como também até servia, de uma certa forma, de uma fisioterapia, além de manter o corpo estimulado em atividade (e hidratado com a cervejinha pós game, fora os churrascos mensais...)

Mas para a corrida o ano não foi dos melhores, com poucas provas feitas. A lesão no pubis a partir de maio incomodou muito. E no início do ano, ainda havia algum resquício e cuidado em razão da lesão no tendão calcâneo. Assim, os dois ciclos de maratona foram meio prejudicados, com intensidade modulada. Mesmo assim, as 3h46 em New Jersey foram um ótimo resultado, acima do esperado. As 3h53 de Sorocaba, por sua vez, não valeram já que a prova teve mais de 1km a menos, o tempo estimado era na casa de 3h59 e eu, quebrado, tava me matando para manter um ritmo mínimo para fechar no sub-4.

De resto, só mais uma meia maratona, em Itaquera, para testar o circuito (e foi ruim, prova pesada para um nível de preparação ainda insipiente), e a maratona de revezamento ABRAS, que foi bem legal!!

Um ano em que também estive mais distante do Corrida no Ar, já que as lives de quarta à noite acabaram (ainda bem, porque passou a ser o meu horário de futevolei, o que significa que continuo enchendo a cara de quarta à noite...) e os novos horários que o Sérgio adotou eram bem complicados. 6h da manhã? Nem a pau! 18h00? 19h00? Ou estou trabalhando, ou estou levando o Rafa Kenzo em alguma atividade, como jiu-jitsu, futebol... ficou difícil para mim aparecer no programa. Já os Podcasts acabaram ficando muito irregulares temporalmente, inclusive em razão das próprias viagens do Sérgio.

Mas se o ano foi marcado por lesões e a nítida perda de desempenho, também fo marcado pelo amadurecimento de uma nova realidade. Se com a rotina de um filho pequeno em idade escolar, vai ser mais difícil manter um ritmo de treino mais puxado, a própria idade também se encarrega de me limitar nisso, já que toda hora aparece o raio de uma dorzinha... vamos ver como vai ser 2024, ainda mais conciliando com esse futevolei aí...

Resumo do mês - Dezembro/2023

98,4km em 12 treinos

2 sessões de fortalecimento muscular

7h de futevolei


01 a 03 - off - Viagem de Formatura do Rafa Kenzo. Teve futevolei, mas senti uma contratura na panturrilha...

04 - 7,5km de corrida leve com subida, de Nike Invincible

05 - off

06 - 2hs de futevolei

07 - 5km levinho na esteira, de Nike Invincible

08 - off

09 - 13,2km bem leve, ainda sentindo a panturrilha, de Nike Invincible

10 a 12 - off (pra segurar a contratura)

13 - 6,5km de NB Supercomp Pacer +  2hs de futevolei

14 - off

15 - 2hs de futevôlei no Praiana

16 - 12km leve, continuando a testar a panturrilha, de Joma SuperCross

17 - fortalecimento muscular

18 - 1h de futevolei no Posto 011 Planalto + 5,5 km na esteira (e ar condicionado), de Asics Nimbus Senna

19 - 5,7km na esteira (e ar condicionado) de novo, de NB Supercomp Pacer + fortalecimento muscular

20 - 7,2km também na esteira (e ar condicionado), de Puma Deviate Nitro 2

21 - 5km igualmente na esteira (e ar condicionado), de Nike Invincible

22 e 23 - off

24 - 10km no Ibira, de Asics Nimbus Senna

25 - 5,7 km de Natal run/corrida de obstáculos na Praia Grande, de Puma Deviate Nitro Elite

26 a 29 - off

30 - 15km da não-São Silvestre, no Ibira, de Nike Invincible

31 - Off (ou melhor, trabalho duro no abastecimento do km 14/41)!!


terça-feira, 19 de dezembro de 2023

Quase Maratona de Sorocaba!

E após uma desistência por conta daquela zona que foi a pandemia, eu finalmente iria para a Maratona de Sorocaba. A escolha foi mesmo pela data e possibilidade, afinal a pubalgia que me atacou no segundo semestre me deixou com pouca margem de escolha para data, precisava de uma prova bem no final do semestre para ter tempo de recuperaçãoe treino. E a possibilidade é porque a vida está bem atribulada com o molequinho de 5 anos aprontando todas, viajando muito e demandando bastante de seus papais.

Poderia ter ido para Curitiba, mas como eu já corri por lá, escolhi Sorocaba para fazer uma prova nova, diferente, além de ter uma logística ainda mais simples, por estar a 100km de São Paulo. No entanto, o problema esperado seria o calor que faz por lá. Ao menos o trajeto tinha sida alterado no ano anterior e estava muito plano. Como diria o Dalton, a Maratona de Sorocaba é mais plana que Berlim e mais fria que Manaus...

Retirei meu kit na Decathlon, em um procedimento bem simples. Fui alguns dias antes, mas nem precisaria, já que a organização, atenta à presença de muitos corredores de fora da cidade, disponibilizou a possibilidade de retirada do kit até mesmo no dia da prova, bem cedo. Aliás, por causa do calor, bem cedo era uma boa definição para a prova: com largada marcada para 5h00, havia até um trailer com café da manhã para os corredores que aparecessem por lá mais cedo.

E ao contrário do esperado, a temperatura no dia da prova estava bem amena para esse verão assustador que tá fazendo no Brasil. Durante a prova não deve ter passado dos 22 graus e a cidade só esquentou mesmo por volta do meio-dia e, mesmo assim, nada absurdo, uns 25 graus. A previsão de uma prova plana realmente se confirmou, boa parte do trajeto era feito em uma avenida margeando um rio, super plano. A arena de largada estava legal, reencontrei amigos, a organização parecia ter feito um bom trabalho, realmente.

O meu problema pessoal, basicamente, era não ter conseguido fazer cocô na manhã/madrugada. O meu corpo e meu intestino não estavam programados para trabalhar tão cedo e fiquei com a sensação de que ia dar (literalmente) merda durante a prova. E, de fato, em alguns momentos senti um pesinho e a possibilidade de ter que parar, mas acabei fazendo a prova inteira sem realmente precisar ir ao banheiro. Não foi exatamente bom porque ficava o tempo inteiro pensando nisso, o que certamente tirou minha concentração durante a prova.

Na corrida em si, sabendo que a preparação não tinha sido ideal e com um certo medo de esquentar durante a prova, imprimi um ritmo mais ou menos conservador, na casa de 5m30/km. A prova ia e voltava naquela avenida do rio, dando uma volta longa (21,1km) e 2 voltas curtas (10,5km). Pelo menos essa era a previsão. Na prática não foi bem assim...

Esse modelo acabou sendo estranho porque em algum momento os corredores da maratona acabavam encontrando os da meia-maratona, que largou mais tarde, e também os dos 10km, que largaram ainda mais tarde. Isso resultou em vários momentos de trânsito durante a prova. Mais ainda, encontrávamos os corredores de elite das diversas distâncias. Para quem corria devagar como eu, não tinha tanto problema, mas a elite deve ter sofrido com o trânsito imprevisto durante a prova.

A partir do km 34 acabei dando uma bela quebrada e comecei a fazer conta para terminar abaixo de 4 horas. E fui moldando o ritmo com base nisso, cainda para 6min/km, depois para 6m30/km... e sofrendo um pouco nisso, mas sem fazer uma força absurda para continuar se mexendo. Apesar do tempo em minutos, cada quilômetro parecia demorar uma semana para ser superado, mas fui indo. Só tava achando um pouco estranha a marcação de quilometragem no GPS, especialmente porque já passando pelo mesmo lugar pela terceira vez. 

E de repente a estranheza se confirmou, ao entrar na avenida final, do pórtico de chegada, ainda com 40km e uns quebrados apontando no GPS. A prova acabou... antes?? Cruzei a linha de chegada com 41,1km e 3h52 no relógio. Baseando-me nessa toada do GPS, iria finalizar os 42,2km oficiais de uma maratona bem próximo das 4hs, mas a prova acabou antes mesmo!! Será que eu tinha errado um retorno? O que rolou? De qualquer forma, de uma certa forma estava até feliz por acabar antes, já que tava quebradinho, quebradinho...

Encontrei a galera na chegada e a impressão se confirmou: a prova foi mais curta mesmo!!! Como pode? Tudo tão redondinho e um erro grotesco desses? O que rolou??? Depois, com a repercussão, o que se constatou é que em uma avenida o retorno foi colocado uns 300/400 metros antes do previsto. Como a maratona passava 3 vezes por esse lugar, a distorção acabou sendo multiplicada por 3. Daí o erro tão grande!

Uma pena que uma prova que tava certinha tenha falhado em um ponto tão importante como esse!! Um erro imperdoável, que pode ter prejudicado muita gente, especialmente quem usou a prova para fazer índices ou mesmo quem poderia ter obtido um recorde pessoal nela. 

Para mim, embora tenha o sabor da frustração de não ter corrido os 42,2km, não foi nada demais. Até foi um alívio na hora. Depois, é lógico, fica um sabor meio amargo, mas a prova não significou tanto para mim além de uma superação pessoal após um período de treino bem ruim. Esperamos que no ano que vem a organização fique mais atenta a isso!









segunda-feira, 18 de dezembro de 2023

Resumo do mês - novembro/2023

193,8km em 13 treinos e uma Quase Maratona de Sorocaba

10 horas de futevôlei, CAMPEÃO da I COPA VOCÊ VAI de Futevôlei, no Saúde Beach Arena

4 sessões de fortalecimento muscular


01 - 10,5km rodado com 10min aq (5m39/km), 10min aducativos + 40 min ritmo a 138bpm (5m25/km) + 2hs de futevolei, de Puma Deviate Nitro 

02 - off

03 - off

04 - 25km de longo rodado na USP, de Puma Deviate Nitro Elite

05 - off

06 - 10,2km com 6km de tempo run a 5min/km, de Nike Vaporfly

07 - 3,1km de ida e volta à academia + fortalecimento, de Sekchers Go Bionic

08 - 9km, com 2 x 2km em tempo run, + 2hs de futevolei, de Puma Deviate Nitro Elite

09 - 5,1km levinho,  de Puma Deviate Nitro Elite

10 - off

11 - 25,5km de longo progressivo, de Puma Deviate Nitro Elite

12 - off

13 - 10km rodando,  de Puma Deviate Nitro Elite

14 - fortalecimento muscular

15 - 10,7km com 20min de ritmo a 5m20/km, de Skechers Razor 3 + 2hs de futebolei

16 - 5km levinho, de Skechers Go Bionic + fortalecimento muscular

17 - off

18 - 18km de último longo, a 5m36/km,  de Puma Deviate Nitro Elite

19 - off

20 - 11km com variação de ritmo, de Asics Nimbus Senna

21 - off

22 - 9,2km ritmado leve, de Asics Nimbus Senna + 2hs de futevolei

23 a 25 - off

26 - Quase Maratona de Sorocaba. 41,1km em 3h52m44, de Adidas Adios Pro 3

27 - off

28 - Fortalecimento muscular

29 - CAMPEÃO da I Copa Você Vai de Futevolei

30 - off

quarta-feira, 1 de novembro de 2023

Resumo do mês - outubro/2023

183,9km rodados em 21 treinos

6 sessões de fortalecimento muscular

6hs de futevôlei

3h30 de vôlei de praia


01 - off

02 - 9,km de fartlek leve, de NB Supercomp Pacer

03 - Fortalecimento muscular

04 - 3,7km de treino interrompido pela tempestade, de Joma Supercross + 2hs de futevolei

05 - 7,2km na esteira, de NB Supercomp Pacer

06 - off

07 - 80mins de longuinho, 14,4km, de Nike Invincible

08 - off

09 - 10,3km com 10 tiros de 500m em ritmo controlado (4m45/km média) e 1min descanso, de NB Supercom Pacer

10 - 5,4km na esteira, de Adidas Adios 18 + fortalecimento muscular

11 - 8km na esteira, com 3 x 1,5km ritmado a 4m45/km + 2hs de futevôlei, de Puma Deviate Nitro Elite

12 - 7km na chuva, levinho, de Skechers Razor 3

13 - off

14 - 29km de longo em 2h57 (6m05/km) de Puma Deviate Nitro Elite

15 - off

16 - 10km, com ritmo progressivo e 5 acelerações de 400m, com o NB Supercomp Pacer

17 - 2km aq + fortalecimento muscular

18 - 10,5km fartlek, com 4 acelerações acentuadas de 600m, de Nike Vaporfly  (4m24 a 4m05) + 2hs de futevôlei

19 - 4,5km leves (30 min), de Puma Deviate Nitro

20 - off

21 - 22km de lonto em 2h04 (5m37/km), de Puma Deviante Nitro Elite

22 - off

23 - 10km, com rodagem em trilha e 7 tiros de 500m, de Skechers Razor 3 + 1h30 de vôlei de areia

24 - 3,5km aq, de Puma Deviate Nitro + fortalecimento muscular + 2hs de vôlei de areia

25 - 7km, com 3 tiros de 1000 a 4m40/km, de Puma Deviate Nitro

26 - 3km, de Puma Deviate Nitro + fortalecimento muscular

27 - off

28 - 3km, no lançamento do Asics Nimbus 25 Senna

29 - off (resfriado e febre)

30 - 10,1km rodado, com o Asics Nimbus Senna

31 - 3,5km rodado na esteira + fortalecimento muscular, de Asics Nimbus Senna

sábado, 7 de outubro de 2023

Resumo do mês - setembro/2023

9hs de futevolei

179 km em 18 treinos

7 sessões de fortalecimento muscular

5min de remo


01 a 03 - Nada! Viagem com a turma da escolinha

04 - 10,4km com um teste de 3km no meio (muito ruim, 14m56), de Adidas Adios Pro 3

05 - 2,4km aq, de Altra Escalante + fortalecimento muscular

06 - 8,6km com 30min de ritmo (5m30/km), de Nike Invincible + 2hs de futevolei

07 - off

08 - 6,1km leve, de Mizuno Wave Rebellion

09 - 16km, de NB Supercomp Pacer

10 - off

11 - 9,1km com tiros de 500m, de Nike Vaporfly

12 - Fortalecimento muscular

13 - 8,8 fartlek em subida, de NB Supercomp Pacer + 2hs de futevôlei

14 - 6.4km na esteira, de Puma Deviate Nitro Elite + fortalecimento muscular

15 - off

16 - 10,3km rodadinho leve, de Puma Deviate Nitro Elite

17 - off

18 - 10km rodando com acelerações, New Balance Supercomp Pacer

19 - 4km aquecendo, de Skechers Razor 3 + fortalecimento muscular

20 - 8,8km com acelerações de 2min, de Puma Deviate Nitro Elite + 2hs de futevolei

21 - 5min remo + Fortalecimento muscular

22 - off

23 - 2hs de longo - 19,9km, de Sekchers Razor 3

24 - off

25 - 10,6km rodando, de Puma Deviate Nitro Elite

26 - 4km leve, de New Balance Supercomp Pacer + fortalecimento muscular + 1h de futevolei

27 - 9,1km com acelerações de 600m, de Puma Deviate Nitro Elite + 2hs de futevolei

28 - 5,2km rodando na esteira, de Puma Deviate Nitro Elite + fortalecimento muscular

29 - off

30 - 24km de longo, de Puma Deviate Nitro Elite

terça-feira, 12 de setembro de 2023

Resumo do mês - agosto/2023

189,4km em 22 treinos e alta da fisioterapia!

11 sessões de fortalecimento/fisioterapia/mobilidade 

10hs de futevôlei

10min de escada

5min elíptico

10min de remo indoor


01 - 2,3km indo e voltando da academia, onde teve fortalecimento/fisioterapia, de Nike Free

02 - 7,2km, de Puma Deviate Nitro + 2hs de futevolei 

03 - 10min de escada + fortalecimento/fisioterapia + 3km na esteira de sapatilha Fiber

04 - 6km rodados, de Skechers Razor 3

05 - 1km aq + 4km ritmo + 7km rodando: total: 12,1km na USP, de Nike Vaporfly

06 - off

07 - 1h de futevôlei + 25min aq + 4km tempo run (5m10/km, segurando um pouco) + 10min. Total: 9,5km, de New Balance Supercomp Pacer

08 - 5min elíptico + fortalecimento muscular

09 - 9,3km com variação de velocidade, de Fila Racer Carbon + 2hs futevôlei

10 - 5km aquecimento, de Nike Free 3.0 + fortalecimento 

11 - 35min mobilidade

12 - 16km de longuinho leve, com o Nike Invincible

13 - off

14 - 10,8km, com tiros em subida, de Olympikus Corre Vento 2

15 - Fortalecimento muscular

16 - 9km com tiros de 3min, de Skechers Razor 3 + 2hs de futevolei

17 - Fortalecimento muscular

18 - 6km levinho, com Mizuno Wavw Rebellion

19 - 18km de longuinho na USP, com o NB Supercomp Pacer

20 - off

21 - 10km com 4 tiros de 1000m, com o Skechers Razor 3

22 - 3,1km indo e voltando da academia, de Olympikus Corre Vento 2 + fortalecimento muscular

23 - 8,6km com 7 tiros de 2min, de NB Supercomp Pacer + 2hs de futevolei

24 - 6,2km de rodagem na esteira, de Nike Invincible + fortalecimento muscular

25 - off

26 - 21km de longo na USP, de Fila Racer Carbon

27 - off

28 - 12km rodado no Ibira, de Puma Deviate Nitro 2

29 - 10min de remo + fortalecimento muscular

30 - Fisioterapia + 7,3km de rodagem com educativos, de Skechers Razor 3 + 1h de futevolei

31 - 6,7km regenerativo, de Nike Invincible

terça-feira, 8 de agosto de 2023

Resumo do mês - julho/2023

165,4km em 17 treinos de corrida. Até foi um volume razoável, tratando da pubalgia

35 min de transport 

16 min de remo indoor

8 sessões de fisioterapia/fortalecimento

7hs de futevolei


01 - 12,1km (80min) no trote, de Skechers Razor 3

02 - off

03 - 9,6km rodando no Museu, de Saucony Endorphin Pro

04 - 5min remo + 5min transport + fisioterapia/fortalecimento

05 - 8km rodado, de Mizuno Rebellion Flash + 2hs de futevolei

06 - 10min de transport + fisioterapia/fortalecimento

07 - 5km leve, de New Balance Supercom Pacer

08 - 12,3km na USP, de Fila Racer Carbon

09 - off

10 - Fisioterapia

11 - 10 min de transport + fisioterapia/fortalecimento + 7,8km rodados, de Mizuno Rebellion Sonic

12 - 9km, com 4 tiros de 1km contidos (5min/km), de Brooks Hyperion Elite + 2hs de futevolei

13 - off

14 - fisioterapia/fortalecimento

15 - 14km rodados na USP, de Puma Deviate Nitro

16 - off

17 - 9,4km, com estímulos curtos em subida e 4 tiros de 600m, de Nike Vaporfly

18 - 11min remo + 10min de transport + fisioterapia/fortalecimento

19 - 1h de futevolei + 5,9km com tiros de 800m controlado, de Mizuno Rebellion Sonic

20 - 1h de futevolei + fortalecimento/fisioterapia + 5km rodado na esteira, de Nike Free 

21 e 22 - off

23 - 15km rodados no Ibira, de Mizuno Rebellion Flash

24 - 9,5km com 6 tiros de 400m controlados, de NB Supercomp Pacer

25 - 1h de futevolei

26 - fisioterapia/fortalecimento + 7,5km com 5 tiros de 500m controlados, de Skechers Go Run Razor 3

27 - fisioterapia/fortalecimento

28 - 5km rodadinho bem leve, de Nike Vaporfly

29 - off

30 - 15km rodando e incentivando a galera na SP City Marathon, de Mizuno Rebellion Sonic

31 - 9,5km rodando leve, de Mizuno Rebellion Flash

terça-feira, 18 de julho de 2023

Resumo do mês - junho/2023

O ombro consertou, o dedo tá melhor, mas a pubalgia... 

110,3km rodados com cuidado

10 sessões de fisioterapia/tratamento

8hs de futevolei

10min de escada


01 - off

02 - 5,1km aq + fortalecimento/fisioterapia, de Mizuno Rebellion Flash

03 - 15km no Ibira de Mizuno Rebellion Pro

04 - off

05 - 8,5km, com teste de 3km (13m52), de Adidas Adios Pro

06 - 1,5km aq + fortalecimento/fisioterapia, de Nike Invincible

07 - 8,4km rodando leve, de Mizuno Rebellion Sonic + 2hs de futevolei

08 a 12 - off - Feriadão

13 - 2,9km aq + 10min escada + fortalecimento/fisioterapia, de Olympikus Corre Vento 2

14 - 6km aq + fortalecimento/fisioterapia, de Mizuno Rebellion Flash + 2hs de futevolei

15 - off

16 - fortalecimento/fisioterapia

17 - 11,8km de rodagem, de Mizuno Rebellion Sonic

18 - off

19 - 1,2km aq até a academia + fortalecimento/fisioterapia + 4,4km voltando, de Nike Invincible

20 - Fisioterapia

21 - 7,5km rodados leves, de Mizuno Rebellion Flash + 2hs de futevolei

22 - 3km aq + fortalecimento/fisioterapia, de Olympikus Corre Vento

23 - off

24 - 12,1km leve no Ibira, de Mizuno Rebellion Sonic

25 - off

26 - 8km rodados + fortalecimento/fisioterapia, de Mizuno Rebellion Flash

27 - Fisioterapia

28 - 10km rodados, de Nike Vaporfly + 2hs de futevolei

29 - 4,5km rodados bem leve, de Nike Invincible

30 - off



Resumo do mês - maio/2023

Mês complicado. Fisioterapia para o ombro, dedo quebrado e primeiros sinais de um outro problema...

145,3km corridos (sem longos)

8 sessões de fortalecimento/fisioterapia

10hs de futevôlei


01 e 02 - off

03 - 6,5km indo e voltando correndo até o laboratório onde esquecera a aliança para fazer ressonância magnética..., de New Balance Supercomp Pacer + 2hs de futevolei

04 - 1,5km aquecendo + fortalecimento muscular, de Sapatilha Fiber

05 - off

06 - 11km na USP, de Mizuno Rebellion Pro

07 - off

08 - 8km levinho, passeando com o Mizuno Rebellion Pro

09 - 3km aquecendo + fortalecimento, com o Mizuno Rebellion Sonic

10 - 7,7km leve, com o Mizuno Rebellion Sonic + 2hs de futevolei

11 - off

12 - Fortalecimento muscular/fisioterapia

13 - 11,2km leve, na USP, com o Mizuno Rebellion Flash

14 - off

15 - 5km com estímulos, de Mizuno Rebellion Sonic

16 - 6km aquecendo + fortalecimento/fisioterapia, de Mizuno Rebellion Sonic

17 - 9,9km ritmado com o Mizuno Rebellion Pro + 2hs de futevolei

18 - 3km aq + fortalecimento/fisioterapia, de Mizuno Rebellion Flash

19 - off

20 - 13,9km na USP, longuinho, de Mizuno Rebellion Sonic

21 - off

22 - 9km, ainda leve, de Mizuno Rebellio Pro

23 - 3km aq + fortalecimento/fisioterapia, de Mizuno Rebellion Pro

24 - 10km, com tiros de 3min, de New Balance Supercomp Pacer + 2hs de futevolei

25 - 4,3km (30min) aq + fortalecimento/fisioterapia, de Mizuno Rebellion Flash

26 - off

27 - 10,3km na USP, de Mizuno Rebellion Pro

28 - off

29 - 10,2km rodados, de Mizuno Rebellion Sonic

30 - 27min aq no transport + escada + remo e fortalecimento/fisioterapia

31 - 9km para pegar a Local Legend do Jamil de volta, de Mizuno Rebellion Flash + 2hs de futevolei

segunda-feira, 17 de julho de 2023

Jersey City Marathon - 23/04/2023

E lá estava eu para voltar a correr uma maratona no exterior, após um longo e tenebroso período de pandemia... Jersey City Marathon, uma prova escolhida pela data e pela logística. Até porque não existiam muitas referências sobre essa corrida, já que seria uma prova inaugural, pequena e local. A facilidade de deslocamento, já que era só um vôo até Nova York/Nova Jersei, a grande quantidade de hoteis disponíveis, a facilidade no transporte interno na cidade, a confiança em uma boa organização dos americanos, o perfil altimétrico plano e a possibilidade de visitar meu amigo Paulo Talarico, que mora a poucos quilômetros dali foram essenciais para a escolha dessa corrida. Mas, como disse, era uma prova estreante. Será que ia dar certo? 

Em relação aos treinos, finalmente aquela maldita tendinite no calcâneo tinha passado. A tendinite já tinha cedido o suficiente para eu conseguir correr Curitiba, mas eu ainda senti um leve desconforto até o meio de janeiro, quando já estava fazendo a base. A partir daí, até mesmo o desconforto sumiu e o tendão voltou a parecer como novo, sem qualquer sensação de rigidez, desconforto ou mesmo dor, antes, durante ou depois dos treinos. 

Porém, até pelo cuidado para não ter uma recidiva, os treinos foram um pouquinho menos intensos do que poderia se esperar para uma maratona. Além disso, não perdi tanto peso quanto queria, até mesmo porque a vida social com o filho (e os pais dos filhos da escolinha) andou meio intensa... a sensação geral era a de que eu estava preparado para fazer a prova sem maiores problemas, mas sem qualquer expectativa de realizar um tempo muito bom. O objetivo era simplesmente correr abaixo de 4horas e conhecer a prova.

A retirada do kit foi num local bem pequeno, perto da largada e da arena da prova, em Newport, um bairro às margens do Rio Hudson, perto do Holland Tunnel e, portanto, bem próximo a Nova York, com vários acessos de transporte público por trem e metrô. Por uma questão de preço, eu optei por ficar em Newark, um pouco mais distante dali, mas em uma região interessante, perto de lojas (um Outlet da Nike a 100m dali!), restaurantes e fácil acesso a outros locais. Bati um pouco de cabeça com o transporte público, mas acabei me entendendo (não é um treco totalmente unificado, o bilhete do PATH é diferente do bilhete do trem e por aí vai) e no dia da prova já tinha entendido tudo.



A temperatura tava excelente para correr mas o dia estava com chuva leve na largada. Antes da prova não teve muita alternativa, senão ficar embaixo de uma marquise até chegar a hora de ir para as baias e largada. Como foi uma prova pequena, em poucos minutos entrei na minha, já em cima da hora, mas sem muito problema. Teve discurso da Joan Benoit, madrinha da prova e... largou!!!

Eu colei na largada no marcador de ritmo de 4h00, mas rapidamente deu para perceber que eu tava sobrando naquele ritmo. Ultrapassei e passei a correr sozinho, procurando pelotõezinhos aqui e ali até para me proteger do vento. Mas tava fácil correr, mesmo com um ventinho aqui ou ali e o piso molhado, até porque o asfalto era excelente. Visualmente a prova tinha momentos interessantes, como passar perto da estátua da liberdade ou bairros bonitinhos, e momentos feios, perto de docas. A prova também tinha uma meia-maratona e a gente passava novamente na arena na chegada da meia, passando por alguns pontos por duas vezes, mas sem que as voltas fossem idênticas.

Vi só um outro brasileiro, com a camiseta da assessoria do André Savazoni, num desses trechos de ida e volta, ele mais ou menos perto do pelotão e marcadores de ritmo de 3h00. Eu, de minha parte, tinha alcançado e corrido um bom tempo com o pessoal das 3h50, mas a partir do 25ºkm, comecei a desgarrar um pouco, e seguir um pouco mais rápido que eles. Tava me sentindo bem e arrisquei, passei a fazer uns 10seg/km mais rápido que eles.

Lá pelo 38ºkm eu me sentia inacreditavelmente bem e comecei a pensar se não seria possível baixar de 3h45. Mas nesse trechinho final tinha algumas subidas e justamente em uma delas, acelerando, tive uma náusea rápida, vomitei a seco e perdi alguns segundos. Bastou baixar um pouquinho os bpms e tudo voltou ao normal, mas a ideia de acelerar forte nos kms finais e tentar pegar um 3h45 foi pro saco. Aí fui tocando até o final e fechei em 3h46m47, um tempo excelente para a preparação que tive, e uma performance bem linear (tirando o evento citado), já que tinha passado a meia para 1h53. 

Gostei da prova? Gostei. Não é uma prova grande, não é uma major, mas é uma prova super bem organizadinha, algum apoio de público no percurso (mais do que qualquer prova brasileira, mas logicamente bem menos do que uma major) e que te proporciona a possibilidade de fazer um bom tempo, de correr rápido. 

quinta-feira, 13 de julho de 2023

Maratona ABRAS de Revezamento

O Corrida no Ar recebeu 8 convites para participar da Maratona ABRAS de Revezamento, iniciativa da ABRAS - Associação Brasileira de Supermercado, que tinha por escopo homenagear um dos grandes mecenas da corrida de rua no Brasil, João Paulo Diniz. 

Sendo uma competição que tinha revezamentos para equipes de 2, 4 ou 8 atletas, poderíamos dividir esses 8 convites da forma que quiséssemos, e acabamos compondo as equipes em 2 duplas, uma feminina (Claudinha e Camila), uma masculina (PH Dragani e Fabio Wu), e um outro quarteto (eu, Madeira, Germano e Azélio). De última hora o Azélio teve um problema médico e o Marcel entrou no quarteto, que acabou formando a equipe Born To Run.




As equipes foram bem!! A dupla feminina conseguiiu pódio, os dois da dupla masculina rodaram a meia na casa de 1h40 e até o quarteto combalido conseguiu uma boa performance, mesmo com corredores voltando de lesão ou de maratona. 

A prova foi uma grande festa, muita gente conhecida, rever muitos amigos, e aquele senso de cooperação das equipeas que só as provas de revezamento são capazes de proporcionar. 
 



quinta-feira, 4 de maio de 2023

Resumo do mês - abril/2023

178,7km em 15 treinos, uma maratona de revezamento (10,5km) e a Maratona de Jersey City

3 sessões de fortalecimento muscular

15min de transport + 15 min remo

2hs de futevolei

1h de volei de praia


01 - 28km de longão sofrido, de ressaca... Brooks Hyperion Elite

02 - off

03 - 8,2km rodadinho, de Brooks Hyperion Elite

04 - 5,1km de aq, de Olympikus Corre Vento + fortalecimento muscular

05 - 1) 10' leve + 2x1000m/1000m leve + 10' leve, total de 7,5km, de Corre Vento

       2) Lançamento do Corre Vento 2, 10x volta rápida/trote. 4,6km

06 - Transport + remo + fortalecimento muscular

07 - off

08 - 18km de longuinho, de Fila Racer Carbon 1

09 - off

10 - 7,4km rodadinho, de Mizuno Wave Rabellion

11 - 3km, de sapatilha Fiber + fortalecimento muscular 

12 - 7,8km no polimento, de NB Supercom Pacer + 1h de vôlei de areia (e quebrei o dedo)

13 - 5km levezinho, de Corre Vento 2

14 - off

15 - 5,6km no lançamento do Corre Trilha, na trilha do Pai Zé

16 - 10,5km na perna da Maratona Abras de Revezamento, em 53m08, de Corre Vento 2

17 - 9,5km rodadinho, de New Balance Supercomp Pacer

18 - off

19 - 6,7km rodadinho, de Skechers Razor 3

20 - off

21 - 5,3km já em Newark, último treino para maratona, de Adidas Adios Pro

22 - off

23 - 42,2km na Jersey City Marathon, em 3h46m08, de Adidas Adios Pro

24 - off

25 - off

26 - 2hs de futevolei

27 - 0,4km aq + 3km forte no lançamento do Mizuno Rebellion Pro Kakizome

28 a 30 - off (viagem Paraty)

Resumo do mês - março/2023

211,4km rodados em 19 treinos

9 sessões de fortalecimento muscular

1000m natação


01 - 3km aq + 3km no teste de 3km (14m22) + 1,7km desaq. Total: 8,7km de Adidas Adios Pro

02 - 5km aq + fortalecimento muscular. Sapatilha Fiber

03 - off

04 - 28km em 2h44m, de Brooks Hyperion Elite

05 - off

06 - 8,1km rodados, de Nike Invincible

07 - 6km aquecendo, de Sapatilha Fiber + fortalecimento muscular

08 - 10km; 10' leve + 10' c/ subida + 10' leve + 5 x 500m c/ 45" + desaq, de Puma Deviate Nitro 

09 - fortalecimento muscular

10 - off

11 - 12,3 km de Fila Racer Carbon

12 - off

13 - 2,7km aq + 4 x 1000m c/ 200m intervalo (4,7km) + 2,4km. Total: 9,8km, de Saucony Endorphin Pro

14 - 4,4km aq + fortalecimento muscular + 1000m natação, de Puma Deviate Nitro

15 - 3,4km aq + 8x 400m/400m leve + 1,6km desaq, de Saucony Endorphin Pro

16 - fortalecimento muscular

17 - off

18 - 26km de longão, de Adidas Adios Pro

19 - 

20 - 2,6km aq + 6,8km fartlek, com tiros de 500m. 9,4km, de NB Supercomp Pacer

21 - 6,8km aq/volume, de sapatilha Fiber + fortalecimento muscular

22 - 7,6km fartlek, com estímulos de 2km e 1,5km + 2,5km desaq. 10,1km, de Mizuno Rebellion

23 - 5,1km aq + fortalecimento muscular

24 - 4km leve + 20km ritmo + 4km leve, longo de 28km, de Adidas Adios Pro

25 - off

26 - off

27 - 6,9km rodadinho, de FilaRacer Carbon

28 - 5,1km aq + fortalecimento muscular, de Nike Free

29 - 8,4km rodadinho, de Skechers Razor 3

30 - fortalecimento muscular

31 - off

segunda-feira, 20 de março de 2023

Meia Maratona de São Paulo 2023

Mais uma Meia-Maratona Internacional de São Paulo da Yescom, prova que costuma abrir o calendário de provas longas em SP, em fevereiro. Geralmente com muito calor e muito sol, neste ano não foi diferente mas teve uma pimentinha a mais: numa iniciativa que achei louvável, a organizadora transferiu a prova do batidíssimo circuito Pacabembu-Minhocão para um novo trajeto, na região do metrô Corinthians-Itaquera, trazendo uma prova para a Zona Leste de São Paulo.

Louvável porque são poucas as provas realizadas na ZL, apesar de ser a região mais populosa de São Paulo. Talvez um dos motivos seja como bloquear o trânsito em uma região que é justamente tão densamente povoada e com ruas e avenidas que foram crescendo de forma desordenada ao longo dos anos. Mas o sucesso da Timão Run e a manutenção de provas antigas, como a Volta da Penha até os dias de hoje mostravam que com boa-vontade talvez fosse possível criar um trajeto na região.

O problema é que quem já correu a Timão Run sabe bem como é o relevo da região de Itaquera. É morro e ladeira de tudo o que é jeito. E o pércurso da Meia de SP não conseguiu escapar muito disso. Com base no Shopping Metrô Itaquera, do lado da estação de metrô e da própria Neoquímica Arena, foram utilizadas os trechos mais largos do finalzinho da Radial Leste e outras avenidas com ótimo asfalto para correr, compensando um pouco o sobe-e-desce da prova, especialmente na primeira metade, com subidas e descidas bem acentuadas.

Eu, em início de preparação e em má forma física, pastei bastante nessa prova. FIz em 2h01 e vi o mundo girar quando cruzei a chegada. Prova muito técnica e difícil, e eu ainda tinha feito 3km antes, para alcançar o volume previsto de longão pro final de semana. Paguei o preço.

A prova se realizou em um momento de debate bem acalorado entre o Corrida no Ar e a organizadora, inclusive com ameaças de processo judicial e imputação de crimes e, com isso, um milhão de colegas corredores me perguntavam se o Sérgio seria preso, como estava a coisas... no final das contas, na própria semana seguinte o assunto esfriou após a live do Canal Corredores com o organizador, tendo a Yescom recuado nas acusações infundadas e passando a publicar os resultados de suas provas, estendendo o dedinho pro Sérgio Rocha. 

E sobre a prova em si, embora louvável a atitude de trazer a prova para a ZL, alguns acertos ainda são necessários. Hidratação estava boa, especialmente num dia quente, o trajeto técnico e duro já era previsto, a retirada dos kits não deu problema, estava só estranha porque dividida em 2 lugares (Zona Oeste, no West Plaza, e Zona Leste, no Shopping Metrô Itaquera), mas a Arena de largada, montada no estacionamento do shopping, estava bem apertada, com pouquíssimas tendas de assessorias e a largada e chegada, montados na rampa de saída do estacionamento, foi bem ruim, tanto para escoamento na largada, como na chegada numa subida íngreme e desnecessária...



Resumo do Mês - fevereiro/2023

201,8km de treinos e 1 meia-maratona

9 séries de fortalecimento/mobilidade 


01 - 9,3m - 10'aq + 5' sub/des + 4x 3' forte/3' leve + 15' rodabem, de Skechers Razor 3

02 - 4,8km aq + fortalecimento (Nike Free)

03 - alongamento e mobilidade

04 - 5,1km levinho, de Joma Super Cross 6

05 - 3km aq + Meia de São Paulo em 2h01m04, de Puma Deviate Nitro

06 - 7km leves pós-porva, de Nike Invincible

07 - 1,5km aq + fortalecimento = 1,5km desaq, de Nike Free

08 - 9km com tiros curtos, de NB Supercomp Pacer

09 - 3,1km aq (Altra Escalante) + fortalecimento

10 - 9,9km: 10' leve + 4 x 500m/1' caminha + 10' leve + 3x 500m/1' caminha + 15' leve, de Brooks Hyperion Elite

11 - 11,7km, de Mizuno Wave Rebellion

12 - off

13 - 10km: 15' aq + 7x600/1'30 caminhando + 15' leve., de Saucony Endorphin Pro

14 - 5,1km aq (Nike Free) + fortalecimento

15 - 8,5km: aq + 3 x 800m + desaq, de Fila Racer Carbon

16 - 5km (Nike Free)+ fortalecimento

17 - Longo de sexta: 22km, de NB Supercomp Pacer

18 - off

19 - 30min de fortalecimento muscular + 7,3km de Puma Deviate Nitro

20 - 12km até o santuário, de Skechers Razor 3

21 - off

22 - 8,2km de rodagem + técnica, de Mizuno Wave Rebellion

23 - off

24 - 2,1km de teste do Coros Pacer 2, com o Puma Deviate Nitro + alongamento e mobilidad

25 - 24km de longão com o Brooks Hyperion Elite

26 - off

27 - 9,8km: aq + tempo run 6km (5min/km) + desaq 

28 - fortalecimento muscular

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2023

Resumo do mês - janeiro/23

193,9 km em 22 treinos

1.500m natação

9 séries de fortalecimento muscular


01 - Dia de CAPRI RUN, 9,5km pra começar o ano, de NB Supercomp Pacer

02 - 8km leves, de Nike Invincible

03 - Fortalecimento muscular

04 - 8,9km em esteira, rodando, com 5 tirinhos de 2min, de Puma Nitro 2

05 - 4,7km em 30min de aquecimento/volume + fortalecimento muscular, Nike Invincible

06 - 1.500m de natação. 37min

07 - 10,2km em 1h no retorno à USP, de Nike Invincible

08 - 6km leve, de Puma Nitro 2

09 - 15min + 7x400m com 1'30 de pausa + 15min. Total 9km, de NB Supercomp Pacer

10 - 4,1km de aquecimento/volume + fortalecimento muscular, Nike Free

11 - 15min + 7 x 1'30/1'30 + 25min. Total 10km, de Puma Nitro 2

12 - 4,7km em 30min aquec/vol + fortalecimento muscular, Nike Invincible

13 - off

14 - Longuinho: 20' leve/ 30' ritmo/ 20' leve. Total 12,4km, de Puma Nitro 2

15 - off

16 - 10' leve + 2km ritmo (4m55/km) + 10' leve + 1,5km ritmo (4m47/km) + 15' leve. Total 9,1km, de NB Supercomp Pacer

17 - 1,5km aq (10min) + fortalecimento muscular, Nike Free

18 - 10' leve + 10' moderado + 3km ritmo (5m02/km) + 20' leve. 9,9km, de Fila Carbon

19 - 4,9km aq/vol + fortalecimento muscular, de Altra Escalante

20 - off

21 - 18km em 1h41, de Puma Nitro 2

22 - off

23 - 20' leve + 5' técnica + 35' rodagem. Total 10km, de Nike Invincible

24 - 20' aq/vol + fortalecimento muscular, Nike Free

25 - 9,6km (1h) rodadinho, de Skechers Razor 3

26 - 5km aq/vol + fortalecimento muscular, de Altra Escalante

27 - off

28 - Longo na USP de 20km em 1h56m, Nike Invincible

29 - off

30 - 15' aq + 7 x 500m/1' recuperação ativa + 20'. Total 10,3km, de NB Supercomp Pacer

31 - 3,3km (20') aq/vol + fortalecimento muscular, de Altra Escalante

terça-feira, 10 de janeiro de 2023

Resumo do ano 2022

2541,4 km rodados em 212 treinos, 2 maratonas, 2 meias-maratonas, 1 maratona e 1 meia-maratona não completadas, 1 São Silvestre, 1 prova de 30km.

60 sessões de fortalecimento muscular

1000m de natação

4h57m no elíptico

1h15 min no remo indoor

1h47 min na bike indoor

1 Covid

2 caganeiras/viroses brabas

2 bronquites/rinites/laringites pesadas

1 lombalgia

1 tendinite persistente no Aquiles direito

1 estiramento no gastrocnêmio esquerdo


Anozinho do cão, hein? Muita doença, criança voltando para as aulas e compartilhando todos os tipos de vírus possíveis com o pai, algumas lesões, das quais a maldita tendinite no tendão de Aquiles direito, que perdurou de março a dezembro (ainda não tá 100% zerada, embora muito mais leve e controlada). Passagem por duas assessorias - Marcelo Camargo e Run & Fun, o que foi interessante para conhecer novas metodologias de treinamento e entender o que funciona melhor para mim e o que não funciona tão bem. Com a Run & Fun farei mais um ciclo de maratona pelo menos, já que o do 2º semestre de 2022 foi muito prejudicado pela lesão no Aquiles (embora a recuperação treinando com a assessoria tenha sido ótima). Passei muito mais tempo do que gostaria rodando em elipitico, bike e remo, por caus disso...

Duas desistências em provas de distâncias que nunca havia desistido. Na Meia Golden Run no RJ alguma coisa tava errada comigo no dia, eu simplesmente não conseguia correr no ritmo de 2h00, o que deveria ser muito simples e abri mão da prova ainda no 3º km. Até agora não sei o que deu, só sei que não conseguia correr. Já na SP City, o que atrapalhou foi o tendão de Aquiles, que tava incomodando, incomodando e perto da passagem da meia a dor aumentou. Resolvi deixar a prova ali no 21ºkm, já que estava na arena da prova mesmo. Em ambas as provas, daria para continuar e terminar em um ritmo bem lento, mas como estava como puxador de ritmo para 2h00/4h00, a partir do momento em que a missão foi abortada, simplesmente não vi mais motivo para continuar simplesmente para completar a prova.

Outra prova do Projeto sub2/sub4 do Corrida no Ar que não rolou foi a Meia Golden Run SP, mas essa por COVID-19 descoberta na véspera... já a Maratona de Porto Alegre foi a única em que tudo deu certo, uma maratona redonda para 3h58/3h59 puxando o ritmo e incentivando a galera que veio junto, terminando a prova sobrando, mesmo com o incômodo no tendão de Aquilea, que não inviabilizou a corrida.

Teve ainda Maratona de Curitiba, feita em substituição à Maratona do Porto, abortada de última hora, e onde simplesmente fui para me divertir e "gastar" o ciclo de treino. Podia ter sido melhor sem parar no banheiro químico, mas tudo bem... no dia da prova, em especial, o abdomem tava super distendido, super estufado, estranho, o que não impediu de fazer a prova, mas dificultou um pouco. Aquele costelão... ai ai.

A única prova realmente boa foi a Meia de Manaus. Não por conta do resultado bruto, 1h58m, mas porque consegui fazer isso em condições bem adversas de clima, em uma prova com altimetria exigente, e durante um ciclo bem complicado, me recuperando da tendinite do Aquiles. 

De resto foi um ano com menores participações no Corrida no Ar, dado os novos formatos que o Sérgio vem adotando no canal, maior trabalho com o moleque que tá crescendo e exigindo cada vez mais (mas que também conseguiu duas 2 primeiras medalhas em corridas!) e a enorme felicidade de ver o cramunhão, o capeta, o anticristo, o grandessíssimo filho da puta do Bolsonaro não sendo reeleito, o que pelo menos pode indicar uma volta do país a uma certa normalidade. Normalidade no Brasil não é uma regra, mas a sociedade brasileira sob Bolsonaro tava muito zoada, tendo como debate nacional coisas que são absurdas (vacina, urna eletrônica, golpe de estado, fora terra plana e outras idiotices) e que jamais deveriam ser minimamente levadas a sério.

E o Brasil não ganhou mais uma Copa... por que você foi marcar lá em cima, Fred? Por que o Casemiro não fez uma falta técnica no Modric? Por que os atacantes de lado não voltaram para cobertura do meia? Parabéns à Argentina, foi a melhor final de Copa de todos os tempos e um dos maiores jogos de Copa da história!!

São Silvestre 2023

A festa. São Silvestre é isso, é festa. Você vai na Expo e encontra um milhão de pessoas (e não encontra outro milhão de pessoas), vai para a prova de metrô lotado de corredores, tenta achar os amigos na largada, corre devagar pra poder conversar, faz festa, berra qualquer coisa que estão berrando, vê o monte de gente fantasiada, encontra outro monte de amigo, sobe a Brigadeiro correndo só pensando no posto de hidratação de cerveja do Km 14/41, fica nesse posto por meia-hora, termina a prova pra pegar medalha, fica irritado porque os caras não conseguem fazer uma porra de uma dispersão decente, esquece tudo para tomar mais cerveja e bater mais papo em algum bar na região da Paulista e lava a alma de mais um ano completado com corridas, muitas corridas!!










Resumo do mês - dezembro/22

160,6km corridos em 17 treinos e 1 São Silvestre

1000m de natação

2 sessões de fortalecimento muscular


01 - fortalecimento muscular

02 - 6km leve, de Nike Invincible

03 - 15km de longuinho, de Nike Invincible

04 - off

05 - Rodagem Z3 1hora, 10,6km de Fila Racer Carbon

06 - fortalecimento muscular com estalo na lombar (hmmmm)

07 e 08 - off forçado

09 - Rodagem 1hora, 10,1km de Nike Invincible

10 a 13 - off virose e a lombangia ainda lá

14 - Rodagem 1hora, 10,1km de Puma Deviate Nitro

15 - Levíssimo, 1hora, 8,6km de Nike Invincible

16 - off

17 - Levinho na USP, 1 hora, 9km, de Puma Deviate Nitro, e 1000m de natação

18 - 5,7km no treinão Joma + Showzaço, de Joma Super Cross 6

19 - 6km leve, de Nike Invincible

20 - 5km leve + 2km de teste do relógio. 7km de Puma Deviate Nitro

21 - 6,3km leve, de Fila Racer Carbon

22 - 4km no Ibira, na Corrida do Koji Amigos do Ibira, de NB Supercomp Racer

23 - 5km com retinhas, de Puma Deviate Nitro

24 - 12km no Ibira rodado, de Nike Invincible

25 - Natal off

26 - 10km queimando peru com bpm baixo, de Puma Deviate Nitro

27 - 9km com 20minutos de tiros curtos em subida, de Skechers Razor 3 

28 - off

29 - 10km com bpm baixo, de Nike Invincible

30 - off

31 - São Silvestre em umas 2 horas, fazendo festa, de Joma Super Cross 6

quarta-feira, 7 de dezembro de 2022

Maratona de Curitiba 2022

A maratona de Curitiba veio, basicamente, como uma substituição da Maratona do Porto, prova que eu irai fazer em 06/11. Ia porque faltando umas 2 semanas, veio a notícia que eu imaginava que viria, ante o silêncio dos organizadores durante esse tempo todo: eles não iriam bancar a minha passagem para Portugal.

Uma pena, mas eu meio que já esperava justamente porque ninguém falava nada, ninguém entrava em contato... mas o que fazer faltando 2 semanas para a prova? Mais ainda, com o meu cronograma pessoal de férias e coisa e tal fechado para essa data? Atrapalhou bastante as minhas férias e a própria possibilidade de tentar encontrar alguma outra prova interessante. Pelo menos eu não tinha comprado passagem para a família ir para o Porto, ia ser uma chateação acertar isso.

Aí, olhando o cronograma de provas que poderia fazer sem vender um rim a melhor opção era a velha e tradicional Curitiba. Que não é rápida. Que eu já fizera e quebrara fragorosamente em 2017. Mas que é uma cidade que gosto muito, perto de São Paulo e em uma viagem barata. E de qualquer modo, por conta da lesão no Aquiles, eu estava longe da minha melhor forma, então não teria como tentar um tempo forte, apenas completar bem a prova.

A Expo estava maior do que no ano em que fui, até pelo tamanho da prova, que também cresceu. O Museu Niemeyer acabou sendo um lugar muito legal para isso, perto da largada e chegada, só tinha o problema de ficar um pouco mais longe da maior parte dos hoteis de Curitiba. Os poucos hotéis próximos já estavam, previsivelmente, lotados. Mas eu me acertei com uma hospedagem relativamente próxima e bem confortável, após um pequeno contratempo e dormi bem. Em tese, estava bem para a prova.

Em tese, porque na prática, alguma coisa não estava muito boa no meu intestino. Talvez o "fuso horário" da prova, cuja largada era às 5 da manhã. Apesar de ter ido ao banheiro cedinho, às 7 da manhã, no meu horário habitual de número 2 e basicamente no meio da meia-maratona, deu vontade... e a vontade foi sendo administrada, administrada até que no km 30, o banheiro químico, mesmo com fila, se mostrou irresistível...

Eu tinha saído para um ritmo de 4h00, ou seja, mais ou menos 5m35/km. No entanto, lá pelo km 10, encontrei o Junior Double, a Gi e as atletas que ela treina na G+ em um ritmo de 6min/km. O 5m35/km tava até tranquilo pra mim, mas pensando na companhia, na falta de uma motivação maior para fazer tempo na prova e na própria dificuldade que teria nos kms adiante, resolvi seguir com eles e fui assim até esse km30 do banheiro, muito de boa. 

Lá dentro eu resolvi as minhas coisas rápido, mas por causa da fila que me fez esperar uns 6 minutos, não dava mais pra pegar esse bonde dos 6min/km da galera. Até encontrei o Junior, já mais lento por conta do desgaste de ter feito uma ultra de 84k no dia anterior, mas ele estava muito mais lento e segui em frente. 

Apesar da esvaziada, ainda não tava muito bom. Logo depois de uma coca-cola, a barriga ficou super estufada, tava desconfortável pra correr e fui me arrastando, menos por causa das pernas, mais pelo desconforto abdominal mesmo. E assim terminei tranquilo, sem me importar com ritmo, mais fazendo festa, em 4h18, pelo menos sem aquela sensação de quebra. Especialmente após ir ao banheiro logo depois da chegada...








Resumo do Mês - Novembro/2022

191,6 km em treinos e 1 maratona 

3 séries de fortalecimento


01 - 10,5km rodando no Ibira (1h), de On Cloud Monster

02 - 15min leve + 5km ritmo + 15min leve. 9,8km, de Adidas Adios Pro 3

03 - off

04 - 7,7km em 45min leve, de Brooks Hyperion Elite 2

05 - 18km na USP com variação de velocidade, a 5m34/km, de Adidas Adios Pro 3

06 - off (viagem de férias)

07 - 15min leve + tiros de 800m (3m32 de mérdia) + 15min leve. 9,5km, de Saucopny Endorphin Pro

08 - 6,7km leve com subida e piso de terra, de Saucony Endorphin Pro

09 - 15min leve + tiros de 400 (1m40) + 15min leve. 8,7km, de Skechers Razor Elite

10 - off

11 - 6,5km de rodagem leve com subida, de Saucony Endorphin Pro

12 - off

13 - 21,1km no Ibira, a 5m25/km, de NB Supercomp Pacer

14 - off

15 - 9,4km de rodagem com acelerações curstas de 500m, de NB Supercomp Pacer

16 - 6km leve, de Fila Racer Carbon

17 - off

18 - 5,3km em 30min, de NB Supercomp Pacer

19 - off

20 - 42,2km na Maratona de Curitiba, em 4m17s59s, com paradinhas no banheiro químico... de Adidas Adios Pro 3

21 - off

22 - off

23 - fortalecimento

24 - off

25 - fortalecimento

26 - 9,3km levinho na USP, de Brooks Hyperion Elite 2

27 - off

28 - fortalecimento

29 - 12km leve, de Nike Invincible Run

30 - 10min + 15min + 3min + 1m30 + 3min + 1m30 + 15min. 8,1km de Nike Invincible