terça-feira, 24 de agosto de 2010

Tiro de Amoxil

Aos poucos o breguete no rosto vai se curando. Tá feio, tem uma crosta nojenta que muda de cor toda hora, mas o inchaço sumiu e agora parece mais uma ferida do que outra coisa. Então tome amoxilina.

O problema de se entupir de antibiótico é que seu corpo fica meio zuado, não tem jeito. Senti isso hoje no treino. Eram 4 tiros de 2,5km (que no Ibira tem uns 2,65k...), com ritmo progressivo. O primeiro eu fiz todo pimpão, acelerando no final e chegando sossegado em 13min10. No segundo, bateu um cansaaaaaço. Na hora em que eu fui sair, as pernas pareciam pesar 50 kg cada, do nada!! Fiz fazendo força, me esforçando pra caramba mesmo na parte mais fraca e fechei com um 12min52. Mas em um estado terrível, parecia que alguém tinha pisado na minha cabeça e me transformado em pizza.

No terceiro eu já me rendi. Não dava, parecia que eu tava puxando um caminhão. Tentei manter uma variação de velocidade progressiva, mas fechei com um 13min30 que pareceu umas 3horas correndo! E parei, sem o quarto tiro, substituído por um quilômetro soltando. Qual a razão para isso? Só podem ser os antibióticos e a falta de sono adequado. Posso não estar no melhor da minha forma, mas esse é um treino que eu tiraria de letra normalmente, o reflexo da falta de forma física viria nos tempos e não na sensação de exaustão.

De qualquer modo foi bom correr. Foi bom mexer o corpo, se sentir vivo, etc. Se bem que tá fácil se sentir vivo depois do sacode que a gente deu na Freguesia Bambi!!

8,5km de Nike Free. Infelizmente nem tudo são flores e eu não recebi o e-mail confirmando que eu estaria na Corrida Vertical. Meu currículo ainda não é muito bom. Vamos torcer então pela Grazi, pela Luana, pelo Diego e pelo Gentil, que são os conhecidos que vão subir o prédio da Nestlé e se empanturrar de chocolate depois da prova.

Nenhum comentário: