quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Resumo do mês - julho/2016

210,5 km, dos quais 195,5 km em 20 treinos e 15km na NB 15k Series São Paulo
7 séries de musculação

01 - off
02 - 1km aquecendo + musculação + 1km + circuito + 1km. 3km de Skechers Go Bionic
03 - Longo regenerativo. 21,8km a 5m47/km, de Nike Lunarepic
04 - off
05 - 1km aquecendo + 17 tiros de 300m. 6,1km de Puma Faas 300
06 - 1km aquecendo + musculação. Skechers Go Bionic
07 - 6,4km rodando leve com subidas e descidas. Asics LA
08 - 1km + musculação
09 - off
10 - 15km na New Balance São Paulo 15km, de Asics LA
11 - off
12 - 5 x (5min médio + 1min caminhada + 2min fortes + 1 caminhada). Total 11,3km, de Nike Lunarloin Flyknit
13 - 1km + musculação, de Skechers Go Bionic
14 - 6,7km de 3 séries com 6 Bienais subindo forte, de Nike Free Flyknit
15 - off
16 - 13,3km a 5m59/km, no treinão Velocitá/Adidas/CNA, de Adidas Adios
17 - 20km leves a 5m57/km, na rua, de Asics LA
18 - musculação
19 - 2km aquecendo + 2x 2,5km médio (4m55/km) e 2km forte (4m15/km). Total: 11km, de Puma Faas 300
20 - off
21 - 7,6km aquecendo + 1,7k médio (4m56/km) + 6k forte (4m35/km) + 1,7k leve (5m37). Total: 17km, de Nike Streak LTZ
22 - 1km + musculação, Puma Faas 300
23 - Uns 7km no Treinão Corrida no Ar/Adidas na USP (filmando), de Adidas Adios Boost
24 - 20,8km no longuinho no Ibira, a 5m30/km, de Adidas Adios Boost
25 - off
26 - 4,8km aquecendo + 2 x 0,85m leves + 3,5km fortes (4m20/km e 4m17/km). Total: 13,5km, de Adidas Adios Boost
27 - 1km aquecendo + musculação (Skechers Go Bionic)
28 - 1,8km aquecendo + 6km (a série era 1km forte, 1km fraco por 9km, mas senti uma fisgada na coxa esquerda e parei). Total: 7,8km, de Nike Lunarloin Flyknit
29 - off
30 - Longo de 24,8km, ainda sem ritmo. USP. De Adidas Adios Boost
31 - off

terça-feira, 26 de julho de 2016

New Balance São Paulo 15k Series 2016

A prova de 15k da New Balance em 2016 foi uma prova mais tradicional, sem o apelo do qualifying de alguns anos atrás (na qual eu entrei raspando...), mas com um circuito bem veloz: a pista expressa da Marginal Pinheiros (com os radares desligados, é claro).

Estive lá para cobrir a prova para o Corrida no Ar. De fato, a prova foi rápida, até porque não tinha os 15k prometidos. Deu 14,8km no GPS de boa parte das pessoas, o que indica até um pouco menos, embora só houvesse uma única curva (de retorno) para "contaminar" a medição por satélite. Mas de resto foi bem organizada, boa arena, acesso fácil (trem, ônibus e carro), bom abastecimento de água, e mesmo a dificuldade de ter que atravessar a pista local para chegar na largada acabou sendo bem resolvida com a parceria com a CET.

Tão rápida que mesmo parando toda hora (mesmo!!) pra filmar e coisa e tal que fechei com 5m10/km de pace e 1h17m35s. E valeu a pena conhecer pessoalmente o Fredison Costa, um dos nossos melhores maratonistas, pentacampeão da Maratona da Disney e um cara gente boa demais!!




domingo, 3 de julho de 2016

Resumo do mês - junho/2016

151,1km em 17 treinos e 1 Maratona
5 séries de musculação

01 - musculação
02 - 5km fartlek em Cambará do Sul, pra sentir o frio - Adidas Adios
03 e 04 - passeios - off
05 - 17,4km - Rodoviária a rodoviária - Gramado a Canela - 6m15/km, de Nike Flyknit
06 - 1km aquecendo + 11 tiros de 2min com 1min de caminhada, na esteira - Total de 6,8km, de Nike Flyknit
07 - off
08 - 1km aquecendo + 40 min fartlek na esteira. Total de 7km, de Adidas Adios
09 - Rodagem leve: 5,4km no plano, de Adidas Adios
10 - off
11 - off
12 - Maratona de Porto Alegre. Recorde Pessoal, 3h32m07s, de Nike Flyknit!!!!!
13 - off
14 - off
15 - 2km aquecendo + musculação (Puma Faas 300)
16 - 5km regenerativo (5m01/km???), de Asics 33 DFA
17 - 1km aquecendo + musculação (Skechers Go Bionic)
18 - Treinão Corrida no Ar/Runbase - 11km, de Adidas Adios
19 - Beer Mile 40.000 assinantes - 1 milha, ou 1,6km, de Hoka One
20 - 1km aquecendo + musculação (Skechers Go Bionic)
21 - 5km rodando leve na esteira, com o Nike Lunarepic Flyknit
22 - off
23 - 6km no Ibira - 3km leves/3km fortes, com Nike Lunarepic (eram 9km, senti um incômodo no posterior da coxa esquerda e parei)
24 - off
25 - Longo regenerativo USP - 16km a 5m44/km, de Nike Lunarepic
26 - off

27 - off
28 - 2km aquecendo + 2km de circuito + rampas + 7,4km fartlek (4min forte/1min trote/1min caminhando). 11,4km, de Nike Lunarepic
29 - 1km aquecendo + musculação, de Skechers Go Bionic
30 - 6,3km levinhos, a 6m20/km (todo dolorido do treino de terça e da musculação de quarta...). Nike Lunarepic

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Maratona de Porto Alegre 2016

O ciclo fechou. Foram 6 meses de ciclo feitinho, bonitinho, com algumas falhas no treino, mas encaixando tudo mais ou menos bem no final do ciclo. Mesmo assim, no final do treinamento, perto da prova, quando era para perder peso, estava ganhando de novo, culpa das férias... mas o esses passeios de férias, embora não tenham ajudado no peso, ajudaram a chegar descansado para a prova, além de ter servido para uma aclimatação ao frio que eu não previra necessária.

Sim, porque o frio que fez em Porto Alegre não estava normal. E o frio que fez nos dias antes também. PoA é legal porque geralmente tem um clima bom para a prova, mas nesta tava frio até pra gauchada!! Largar com 2, 3 graus de temperatura não é comum por aqui. E no aquecimento, a dúvida era saber se ia de gorro, boné ou bluff. Ganhou o último e deu certo.

Km 22, sossegado

Além disso, o fato de ter ganhado peso e desencanado um pouco de tentar algo na prova também ajudou a tirar a pressão que impunha sobre mim mesmo, o que paradoxalmente me fez conseguir esse algo na prova. Saí sem me importar tanto com ritmo, segundo a segundo. O negócio era correr relativamente forte, mas confortável, gerenciando o corpo e o esforço. Na prática isso significou um primeiro quilômetro a 5m11/km e os demais já na casa dos 5min00/km.

A dispersão na largada tava ótima e ajudou. O avenidão Beira-rio é largo e na verdade eu até tentava ficar mais perto de outros corredores pra ver se eles bloqueavam um pouco o leve ventinho gelado. Ali também foi bom por conta do sol, já que ao passar a meia (para 1h46m30, tranquilo) e retornar ao Centro, passamos a enfrentar mais frio por conta da sombra dos prédios. Corria, corria e não esquentava. Se corresse mais, ia ficar cansado e não esquentaria também!

Eu e o José Marcio Pacheco, depois do km 30.
Por volta do km 08 senti um incômodo no posterior da coxa direita. Não atrapalhava quase nada para correr, mas me deixou alerta o tempo inteiro, até porque foi comigo até o final da prova. E o medo de a perna travar e me deixar na mão? Toda hora lembrava de postura, posição do corpo e isso acabou me ajudando a manter a concentração e não correr "mole". Foi bom, especialmente porque o Nike Flyknit Free que eu usei não é um tênis que perdoa passadas molengas. 

A partir da metade da prova, vendo que o meu companheiro de Trilopez, Marcelo, não me acompanhou e nem iria fazer ritmo dele, dei uma apertadinha de leve no ritmo. Não foi algo planejado, simplesmente aconteceu naquele momento da prova. Talvez até tenha puxado um pouco pra ver se o frio passava, mas o ritmo passou pra casa de uns 4m55/km. Tudo sem perceber, só vi depois no Strava. Só no finalzinho mesmo, depois do 36 mas especialmente depois de passar o Gasômetro no 39, a coisa deu uma variadinha pra cima, com algumas parciais em 5m10. Mas ali eu também tinha perdido um pouco o controle, já que ventava e a sensação de esforço ficou meio alterada com isso.

3h32m07s foi o tempo oficial. Excelente, nem nos meus melhores sonhos imaginava isso. Podia ser melhor ainda se não tivesse parado para mijar no 17 e voltado para pegar isotônico no 30, num posto pelo qual eu passei direto sem saber porque. Às vezes, na maratona, a gente realmente não sabe o que faz direito. Vai ver, foi por isso que fiz minha marca pessoal. Eu não sabia o que tava fazendo direito e por isso fiz meu recorde. As coisas vêm assim de vez em quando e eu não reclamo!!!

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Meia Maratona do Rio 2016 - Operação Laranja

É uma tradição: todo ano tenho ido ao Rio na época da Maratona, para me reunir com os amigos da Operação Laranja, amigos que se conheceram pelo extinto blog Correria da Runner's World e que acabaram se tornando amigos permanentes. 

Mas neste ano a Operação Laranja estava um pouco esvaziada. Na verdade só eu eu viajei ao Rio. Até alguns cariocas estavam fora, como o Carino, que ia correr a Maratona de Ottawa. Esvaziada, porém não inexistente. Nossa presidente estava lá, firme e forte, e o Comandante Bruno também. E para ajudar a botar um pouco de água no feijão levei o membro honorário Herivelto pro nosso almoço. Aliás, conheci o Heri também pelo blog Correria, então nada mais natural que incorporá-lo ao evento.

Clube Náutico Piraquê, coisa fina!!

Filé Mignon com creme de gorgonzola e batatas rosti... hmnhammmm!!
 
Após um almoço patrão no sábado, concentração pra prova domingo? Mais ou menos. Meu ciclo para a Maratona de Porto Alegre está feito e a idéia era só correr no Rio, sem compromisso com um tempo determinado, mas sabendo que tinha condições de ir bem. Se corresse a 90% já sairia um 1h45, então tava tranquilo.

O problema é que a logística da prova e o almoço no sábado não se entenderam. Acordar as 4h00 para pegar os ônibus da largada significa não fazer o número 2 matinal porque tá tudo dormindo aqui dentro... mas ao chegar à largada, o corpo já despertara e os movimentos peristálticos também. Bom, em resumo, escutei a largada de dentro do banheiro químico....

Até aí, nenhum problema, pensei. Era só deixar a multidão partir e eu iria sair bem atrás, passando todo mundo, mas conseguindo espaço pelo fato de a galera já ter se dispersado ao longo do percurso. Ótima idéia na teoria, mas péssima na prática, por um motivo simples: havia tanta gente na prova que a parte da dispersão não aconteceu!!

Eu passei pela largada 7h15, 30 minutos depois da largada. E saí ultrapassando todo mundo. Na subida do Joá havia espaço. Descer o Joá teve uns trechos com muita gente, mas deu pra manter o 5min/km. No entanto, ao chegar em São Conrado, já travou um pouco. Não conseguia correr, toda hora acelerava e freava, o ritmo médio subiu pra 5min15! Subir a Niemeyer não foi tão ruim, apesar do ziguezague eu passava todo mundo na boa. Mas ao começar a descida, tudo travou. A pista estreitou, o pessoal não desenvolvia mas ocupava todo o espaço e me vi descendo a 6min/km!!!

Aí desencanei de vez. No início do Leblon cheguei a parar pra conversar com o Yamada. Aquele trecho da orla também tava bem travado. No Arpoador, parei de novo pra conversar com o Gustavo. Mesmo assim, aos trancos e barrancos, seguia a 5min15/km de média, sem esforço maior, a não ser o ziguezague constante.

Aí, quando chegamos ao tunel do Botafogo, encontrei a presidente Debs. Ela tinha saído do Leblon e ia fazer só 12, no ritmo dela, e eu resolvi ser seu batedor. Lógico que o ritmo caiu bastante, mas a parte competitiva da prova já tinha ido pro saco desde a descida do Vidigal, então o momento era de curtir e ajudar a amiga. 

Foto do Professor Tonho, da Mitokondria!!

Fechei em 2h02. Tempo ruim? Claro, mas quem se importa? Curti a prova, tinha dormido só 3 horas na noite (assisti o imperdível jogo do GSW x OKC, lógico!!) e terminei com os amigos, bebendo uma cervejinha. O que mais falta?




Resumo do mês - maio/2016

247,7km corridos em 17 treinos e uma meia-maratona
22,7km + 45 min pedalando
7 treinos de musculação

01 - 24,2km seguindo de Jundiaí a Pirapora do Bom Jesus. Leve. 6m05/km. Adidas Adios
02 - 1km aquecendo + musculação (Skechers Go Bionic)
03 - 5km aquecendo (a 5m20/km) + 8 tiros de 900m fraco/forte, com intervalo de 30seg/2min (4m52/4m08/5m00/4m12/4m53/4m13/5m00/4m12) + 1,6km solo. Total de 13,8km. Puma Faas 300
04 - off
05 - 2,9km aquecendo + 10,5km fartlek, c/ rampas da Bienal. Total 13,4km, de Nike Streak
06 - off
07 - Longão na USP: 31,5km a 5m18/km, de Nike Flyknit. (ótimo, terminei inteiro)
08 - 22,7km pedalando/passeando na Ciclofaixa.
09 - off
10 - 1km aquecendo + 4 x 2,3km prog c/ 1min pausa. 10,5km, de Nike Streak LTZ
11 - musculação
12 - Aq (1,6km) + 10min/leve, 30min/for, 10 min/leve (10,1 km). Total: 11,7km, de Adidas Adios
13 - musculação
14 - Longão na USP: 28,5km a 5min08/km, de Nike Flyknit (ritmo bom, mas quebrei, era pra ser 30k)

15 - off
16 - off
17 - 4,3 km aquecimento (com estímulos de 30 seg/sprint) + 2 x 5km progressivo (23m36 e 23m33) c/ pausa de 2m30. Total 14,5km (Puma Faas 300)
18 - 1km aquecendo + musculação (Skechers Go Bionic)
19 - 1,5 km aquecimento + 5 min trote + 8 X 5min (fraco/forte/fraco/forte/caminhada) + 5 min trote. Total 11,1km - Nike Streak LTZ
20 - off
21 - Longão USP: 27km a 5min11s/km, de Adidas Adios (ótimo, comecei devagar, acelerei do meio pra frente e terminei inteiro)
22 - 45min pedalando no rolo
23 - 1km aquecendo + musculação (Skechers Go Bionic)
24 - 6,3km aquecimento + 2 tiros progressivos de 4,85km com 2min de pausa (22m03 e 22m15). 16km no total, de Nike Streak
25 - 1km aquecendo + musculação (Skechers Go Bionic)
26 - 5 km aquecendo + 2 tiros de 1.000m no Museu do Ipiranga (era pra ser 7, mas o almoço no restaurante mineiro pesou...). Total de 7km, com o Asics LA
27 - off
28 - off
29 - Meia Maratona do Rio de Janeiro. 21,1km em 2h02 (últimos 4km com a Deb), de Adidas Adios
30 - Musculação - Arte da Força/Adidas Run Base
31 - 3,5 Aq + 6 x 1,5km (6m35, 6m32, 6m25, 6m25, 6m25, 6m39) + 0,9 desaq. 13,4km de Puma Faas 300

sábado, 30 de abril de 2016

Resumo do mês - abril/2016

201,5km em 16 treinos + 9 séries de musculação


01 - off
02 - 32km a 5m35/km, de Nike Flyknit
03 - off
04 - musculação
05 - 11km no Ibirapuera - acelerações de 30 seg com 30 seg trotando e Fartlek - 5min ritmo, 1min trote e 1 min caminhando - Nike Streak
06 - musculação
07 - 1,8km + 4 tiros de 1.000m no Parque da Independência (eram 7, mas travei). Total de 5,8km, de Puma Faas
08 - off
09 - XTerra Night Run Ilha Comprida 23,7k - 2h14m20s, de Adidas Adios
10 - musculação
11 - off (piriri, febre)
12 - 9,4km rodando leve no Ibira, de Puma Faas 100
13 - musculação
14 - 6,4km aquecendo + rampas e 7,5km de rodagem a 5min04/km. Total 13,9km, de Nike Streak
15 - off
16 - Longo USP - 10km + 2min trote + 10km + 2min trote + 9km. Fiz só 21,5km, travei total na terceira retomada de ritmo (1h56, 5m24/km), de Asics LA
17 - 9,4km em 1h, rodando leve, de Puma Faas 300
18 - 1km aquecendo (Skechers) + musculação
19 - 6km aquecendo + 4 tiros de 2km com 1min de descanso (4m43, 4m43, 4m42 e 4m39/km) - total de 14km, de Nike Flyknit
20 - musculação
21 - off
22 - 1km aquecendo + 15 tiros de 2 min na esteira (13 a 13,5km/h) com 1min pausa caminhando. Total 6km + musculação (Nike Streak)
23 - 24,1km a 5m20/km no Ibira, de Nike Flyknit
24 - off
25 - off
26 - 1,3km aquecendo +13 tiros de 500m com 30 seg de pausa (4m45/km de média), no Museu do Ipiranga. 7,8km, de Puma Faas 300
27 - musculação + 5,9km trotando após (40min), de Mizuno Musha
28 - 1km aquecendo, 2,5km a 5m15/km, 4km em ritmo de meia a 5m05/km e 2,5km a 4m45/km e 1km desaquecendo, na esteira - total 11km, de Puma Faas 300 
29 - off
30 - musculação + 5km trotando após, de Nike Flyknit

sábado, 16 de abril de 2016

XTerra Ilha Comprida Night Run - 23,7km - 2016

Fui cobrir e correr o XTerra de Ilha Comprida para o Corrida no Ar, a convite da organização do evento. Foi um final de semana complicado para competir, em sentido meteorológico. Muito calor, muita umidade. A cobertura do triathlon e do MTB Contra Relógio, de dia, foi bem quente, um sol infernal, os competidores chegavam derretendo. Á noite havia um leve refresco por causa da ausência de sol, mas mesmo assim tava quente, abafado e úmido pra caramba. Com menos de 1km minha camiseta estava encharcada de suor.

Mesmo assim fiz uma boa prova. Sai lá atrás, até por conta das imagens, mas rapidamente aqueci (não era muito difícil naquela temperatura) e desenvolvi um ritmo bom, passei muita gente correndo a uns 5min05/km. O terreno era plano e, exceto um ou outro ponto com mais areia na estrada de terra, era bem fácil de correr. No entanto, quando chegamos na praia, o panorama mudou. Um vento contra bem chato, forte o suficiente para subir meu pace para casa dos 6min/km. A praia deserta, escura, e sem pontos próximos de referência me fez ficar meio desorientado, já que a faixa de areia é muito larga. Devo ter corrido em ziguezague, já que ora estava quase entrando na água, ora subia e pegava areia fofa. Além disso, estávamos a 10km da chegada, numa região erma. A praia é separada da avenida Beira-Mar por uma faixa de terra e plantas, então também não dava para usar a luz da avenida para nos guiar ou iluminar. No final, encontrei um rastro de quadriciclo que ajudou muito, foi meu guia até a chegada.

Apesar do final sofrido, só um corredor me ultrapassou na prova inteira. Acabei numa boa 20. colocação, 6. na categoria 40-44. E o vídeo da cobertura da prova está no Youtube e no Corrida no Ar:







domingo, 3 de abril de 2016

Resumo do mês - Março/2016

212km em 19 treinos
7 séries de musculação

01 - 1,7km aquecendo + 9km no Ibira. Total de 10,7km,  rodando leve (5m24/km), de Mizuno Musha
02 - musculação
03 - 3 tiros de 3km progressivos, com pausa de 2 minutos (14m20, 14m20, 14m15). Total, 9km, de Nike Streak 
04 - 2,5km caminhando, de Olympikus Rio
05 - 26km a 5m30/km na USP, de Adidas Adios
06 - off
07 - 1km aquecendo + musculação, de Skechers Go Bionic
08 - 1km aquecendo + 3 tiros de 3km, progressivos, com intervalo de 2min (15m40s, 14m40s, 13m55s). Total, 10km, de Nike Flyknit
09 - off
10 - 1km + 13 tiros de 300m com 30 seg. caminhada + 1km solto - 6,9km, de Puma Faas 100
11 - trote do Hospital Santa Cruz - 2,9km em 20min, de Mizuno Musha
12 - off
13 - 24km a 5m18/km no Ibira - Nike Flyknit
14 - off
15 - 2,3km aquecendo + 3km a 4m55 + 900m a 4m25 + 900m a 4m20. Fisgada no isqueotibial. Total de 7,1km, de Puma Faas 100
16 - musculação
17 - levinho até o Hospital Santa Cruz e volta - 7km a 6m30/km, de Mizuno Musha
18 - musculação
19 - off
20 - Igaratá 23k - 2h25m, de Adidas Adios
21 - 5,1km levinho até o Santa Cruz e volta (todo dolorido...), de Hoka One One
22 - 15,1km de rodagem/fartlek, com o Mizuno Musha
23 - musculação
24 - off (dor no quadril)
25 - 5km rodando leve pra testar o quadril
26 - 29km a 5m36/km na USP, de Asics LA
27 - off
28 - 4km aquecendo, de Skechers Go + musculação
29 - 1.8km aquecendo + 8 tiros de 1000m com 30 seg descanso (todos entre 4m27/km a 4m40/km) + 900m. Total de 10,7km, com o Nike Streak
30 - musculação
31 - 4km aquecendo + 2km rampas + 7km fartlek (5min progressivos/5min regressivos) - 13km, de Puma Faas 100

terça-feira, 22 de março de 2016

Igaratá 23k

Prova interessante, toda em estradão de terra, com altimetria boa, mas sem ser extremamente rigorosa, daquelas em que é difícil ficar de pé ou tem usar corda etc. Prova do tipo que eu gosto, difícil mas corrível.

Igaratá aparentemente tem feito sucesso. Nos anos anteriores muitos amigos acabaram indo e neste ano, vi que estava bem cheia para uma prova com esse perfil. Aliás, mais corredores para a prova de 23km do que para a prova de 10km! O local fica relativamente perto de São Paulo, acesso fácil por estrada e que atrai também muita gente da região de Campinas e Vale do Paraíba pela mesma acessibilidade. E por não ser uma prova travada, sem single tracks, acaba comportando bastante gente.

Larguei com o Louro, que tinha feito 45km de longo no dia anterior e só ia "soltar" nos 23km... é, de fato, ele soltou devagar nos primeiros 3km, quando segurou o ritmo e me acompanhou a uns 5m30/km. Mas na primeira subida deu pra perceber quem era o cansado... um puta ladeira e ele continuou nos 5m30/km, enquanto eu botava os bofes pra fora. Em menos de 3 minutos eu já não o via mais... (o bicho terminou 22 minutos na minha frente!)


Essa primeira subida era a mais complicada da prova, uns 4km de ascenção contínua, minha lombar chegou a doer. Mas quando veio a descida, lavei a égua. Ou quase. Eu ainda me segurei um pouco pra evitar qualquer acidente com o joelho detonado, mas mesmo assim desci relativamente forte. O bom de segurar um pouco é que quando chegou no plano eu consegui continuar a desenvolver um ritmo bom. Lá pelo km 12 eu cheguei a pensar na hipótese de terminar a prova com uma média inferior a 6min/km, já que tinha passado a pior subida e já estava abaixo disso.

Engano... lógico que o sobe e desce cansam e quando apareceu a segunda subida pesada, bem menor que a primeira, o bicho pegou. O ritmo caiu, as pernas pesaram e mesmo as descidas não iam tão bem quanto antes. Lá pelo km 19 eu já tava achando que ia ver Jesus em breve quando encontro o Edu, mais quebrado que eu! Opa, passar um cara mais rápido é sempre um upa no fôlego! Só que o Edu veio junto, voltou a correr, arreganhou os dentes e mostrou que não ia ser fácil... fiquei pra trás de novo. Mas no km 21 o bicho arriou de vez. Mesmo no trotinho vergonhoso consegui passa-lo e a motivação para continuar correndo era não tomar o troco de novo.

Deu certo. Terminei a prova no modo zumbi, mas acabei em 2h25m04. Morto. Estropiado. Sem saber direito pra que lado ficava o norte. Mas feliz.


O dia seguinte foi dolorido. Mas foi uma prova boa, cheguei satisfeito com a performance, mais forte mentalmente. A forma física tá melhorando aos poucos... e a prova foi bacana, simpática, além de ter um barraquinha vendendo garapa que foi a melhor coisa que tomei na minha vida após uma prova dura com essa!!!!

quinta-feira, 3 de março de 2016

Resumo do mês - Fevereiro/2016

213,9km em 21 treinos/provas
7 séries de musculação
650m natação

01 - gravei o "Desafio dos 20km/h". Aqueci 1,5km e fui. Depois de 59seg, estava morto... Skechers Go Bionic.
02 - 4,5km pré aquecendo + 1,8 aquecendo + 2,2 km de circuito com rampas + 6km rodagem. Total: 14,5km, de Adidas Adios.
03 - 1km aquecendo + musculação, Skechers Go Bionic
04 - 2km aquecendo + 9km rodando em fartlek (50 minutos). 11km de Nike Streak.
05 - off
06 - 1km aquecendo + musculação + 5,7km trotando - 6,7km de Olympikus Rio
07 - 16,1km rodando no Ibirapuera em 1h30. (5m35/km), de Asics LA
08 - off
09 - 16km na Serra do Japi, com cachoeira, de Olympikus Rio
10 - musculação + 5,5km trotando após, de Skechers Go Bionic
11 - 5km aquecendo + 9km fartlek no Ibira. Total, 14km, de Mizuno Musha
12 - off
13 - 5,1km aquecendo + musculação, de Asics LA, e 1,6km na Beer Mile, de Skechers Go Bionic
14 - 11,3km levinho, tirando a cerveja do corpo (deu ruim...), de Olympikus Rio
15 - musculação
16 - 2km aquecendo + 4 x 2,5km (2km médio a 5m30 e 500m forte a 4m30) + 2,4 caminhando. Total de 14,4km, de Puma Faas 100
17 - 5,4km no bairro, leve, de North Face Ultra Cardiac
18 - 2km aquecendo + 2km leve (5m35) + 6km ritmo (4m55) + 2km leve (5m41) + 0,8k soltando. Total de 12,8km, de Adidas Adios
19 - off
20 - 22km a 5m43/km de Asics LA, na USP
21 - 5km leves a 7min/km, no Museu do Ipiranga, de North Face Cardiac
22 - 1,5km aquecendo e musculação, de Skechers Go Bionic
23 - 4,7km aquecendo e intervalados de 2km + 5 rampas (8,2km). Total: 12,9km, de Nike Flyknit
24 - musculação
25 - 4,3km aquecendo + 9km progressivos a cada 3km (16m15/15m20/14m26). Total de 13,3km, de Nike Streak
26 - off
27 - 22,3km no Circuito Paulista de Corridas de Montanha - etapa Cantareira. 2h58m, de North Face Ultra Cardiac.
28 - 650m nadando (abortado, unha do dedão caindo e incomodando pra cacete)




domingo, 28 de fevereiro de 2016

Circuito Paulista de Corridas de Montanha - etapa Cantareira/Mairiporã 2016

Resolvi trocar o longão no asfalto por uma corrida de montanha por dois motivos: 1) testar um tênis que estou avaliando para uma revista; 2) testar o meu joelho esquerdo.

Tentei ir pro K21 no Pico do Urubu, mas as inscrições estavam esgotadas. Em contrapartida, na mesma data, haveria uma etapa do Circuito Paulista de Corridas de Montanhas. Duas provas importantes de trilha/montanha na região metropolitana de São Paulo no mesmo dia, quem diria! Há cinco anos atrás isso seria impensável, seria até difícil achar provas...

O Circuito de Corridas de Montanha é um dos pioneiros na área. Já corri algumas etapas em Paranapiacaba, em São Roque e em Mairiporã, mas fazia tempo que não corria suas provas. Até então eu as achava corridas simples, talvez um pouco caras para o que ofereciam, mas normais, sem grandes críticas. Deixei de fazer as provas do Circuito mais por causa das distâncias, um pouco curtas pra mim, do que por outros motivos.

Mas pelos motivos acima apontados e pelo fato dessa etapa possuir uma prova de 20,9km (quanta precisão), resolvi participar. Essa estapa, embora fosse também em Mairiporã, rolou em um outro lugar, próximo ao rio Jaguari e uma das represas do sistema Cantareira, num lugar um pouco mais ermo. Ali, acho que só indo de transporte privado mesmo.

Largamos num campo de futebol, com uma subidinha à direita e, 50 metros depois, a galera pegou a direita de novo. Saí tranquilo, lá atrás, sem pressa e... depois de uns 500 metros, passa um carro da organização dizendo que é pra voltar! Era pra ter virado à esquerda no fim da subidinha, não à direita!!! Caramba, grotesco. Enquanto o carro seguia pra ir avisando os corredores mais à frente, nós voltamos até a esquininha do erro, onde tava todo mundo parado. De repente, depois de uns 2 minutos, alguém liberou o pessoal (obviamente não tinha dado tempo de voltar todo mundo que tava errado ainda) e seguimos pra direção certa numa situação surreal: os últimos eram os líderes e os líderes estavam lá atrás...

Você sabe que o fotógrafo é bom quando te faz não parecer gordo!! Foto do Mestre Tião Moreira
Corremos mais uns 3 minutinhos e nova parada, na entrada de uma trilha single track. Tavam segurando todo mundo lá de novo. Um lugar horrível para uma "nova largada" (lembrando que o tempo tava correndo normal na cronometragem). Lógico que depois de 2 minutos, sabe-se lá porque, liberaram todo mundo de novo. A zona continuou, uma fila zoada pra entrar no single track, corredor rápido atropelando corredor lento que estava na frente, capotes variados por conta disso (alguns apressados tentando criar, sem sucesso, uma nova trilha no single track...), mas de alguma forma a corrida continuou. A sorte é que tava todo mundo no K21 e tinha pouca gente na prova.

Saimos do single track depois de uns 2 ou 3 quilômetros e caímos em um estradão na margem do rio. Ok, sossegado, até que escuto vozes do outro lado do rio. Claaaaaro!! Alguns dos corredores que não foram contidos na fila de entrada do single track tinham seguido reto e chegado a um caminho margeando o rio, mas do outro lado. Estavam perdidos!! Quando perceberam que nós estávamos do outro lado, perguntaram se tinha sinalização onde estávamos (tinha) e conseguiram, numa pontezinha algumas centenas de metros adiante, cruzar e voltar pro caminho certo! Afffff!

Continuei a prova no meu ritmo tranquilo. Sobe, desce, a prova não tinha muitos trechos técnicos, era mais estradão com bastante altimetria, mas ainda assim sem poços de lama, barrancos ou coisa do tipo. A partir do quarto quilômetro, a sinalização começou a aparecer, mas sempre com o número vermelho, indicando quilometragem do pessoal dos 20,9km. No entanto, o pessoal inscrito para os 14,6km seguia conosco. E os quilômetros subindo, 11, 12, 13... ué, onde o pessoal dos 14,6 vai retornar?

Resposta: em nenhum lugar. Não tinha sinalização alguma pra eles. Achei até interessante, depois que passamos da placa dos 14km, um corredor passou por mim voando na entrada da trilha berrando "só faltam 600!!" Passou uns 2 minutos ele e mais uns caras voltam com cara de tacho. "Ih, não é aqui, tem placa do km 15 ali na frente". Coitados... pior é que eu não sabia se para eles era mais negócio voltar e tentar achar um caminho certo que eu não vi em nenhum lugar, ou seguir em frente.

Vale lembrar que a prova não oferecia nenhuma hidratação. Cada um leva a sua. Ok, mas muita gente levou pouca ou nenhuma água, confiando que ia correr só 14... deu ruim, né? Esse mesmo cara que tava comemorando pelo menos teve a sorte de eu ter água comigo e poder oferecer a ele. A sorte é que no meio da prova começou a chover bastante. Dificultou um pouco a visibilidade, um pouco o grip em alguns trechos, mas ajudou bastante a baixar a temperatura e a demanda por água. Não era um dia quente, mas eu estava sentindo muito calor.

A partir desse km 15 começamos a descer, descer, descer, seja por estradão, seja por um trecho de single track relativamente tranquilo. O tênis que estava testando e usando era perfeito para esse tipo de prova. Bem rígido e estável, ajudou a não sentir as pedras na estrada, e os cravos baixos eram ótimos pro terreno. Em um piso mais enlameado, os cravos baixos não dão tanta aderência, mas eram poucos os trechos assim na prova. E assim fechei os 22,3 km da prova (pois é, os "precisos" 20,9Km não eram tão precisos) com 2h53, embaixo de muita chuva.



A zona na organização não interferiu em nada na minha corrida, mas nem fiquei pra ver se rolou confusão ou não na premiação. Mas vale o registro, pra finalizar o show de horrores, de uma das medalhas de participação mais toscas que vi nos últimos tempos... infelizmente o Corridas de Montanha, ao invés de evoluir ao longo dos anos, está nitidamente ficando pior.



terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Desafio dos 20 km/h.

Pois é, o Jornal Nacional fez uma matéria especial com um maratonista amador razoável (3h27m) colocando ele pra correr no ritmo do vencedor da maratona olímpica, ou seja, mais ou menos 3min/km ou 20km/h, e ver quanto tempo ele aguentaria. Abaixo segue o link da matéria.

http://globoplay.globo.com/v/4754842/

Na esteira, ele aguentou... 45 segundos!!

Logo apareceram as simulações de outras pessoas. O Thiago de Brasília fez a sua, o Jorginho Iran também e é lógico que o Sergio Rocha também embarcou na onda.


O problema é que o bicho, que fez 55 segundos, resolveu me desafiar. Deu nisso aí:


59 segundos, ok? Na frente de dois caras que tem tempos melhores que o meu de maratona, vejam só!!!! E olha que eu estou bem pesadão, musculatura meio cansada do longo do domingo e joelho ainda em observação... Mas eu sei que para o meu nível atlético, sou um pouco melhor mesmo em explosão muscular, mesmo sendo ultramaratonista. Talvez eu tenha um perfil mais de velocista do que de corredor de longas distâncias, mas gosto é gosto, né?

O único problema é que eu fiquei tão cansado que bodeei o resto da noite, não teve mais treino nem nada. Mas teve a sua compensação. Dormi que nem uma pedra...



domingo, 31 de janeiro de 2016

Resumo do mês - Janeiro/2016

Janeiro, mês de base, pra ficar fortinho e aguentar o resto do ano.
200,1km em 21 estímulos
1.700m de natação
11 séries de musculação + 5 circuitos
22,5km pedalando.

01 - Capri Run - erramos e cortamos o caminho (Alessandra agradece!) - 8,3km - Asics LA + 1.700m de natação.
02 - 9km em 1h00 no bairro - Puma Faas 100
03 - musculação
04 - 10,6km no Ibira, corrida e circuito de exercícios. Puma Faas 300
05 - 2,3km indo até a academia, 2,3km voltando: 4,6km + musculação, de Mizuno Musha
06 - 1km aquecendo - musculação
07 - 9km - circuito com corrida no Ibira. Asics LA
08 - off
09 - 8,6km no Ibirapuera + 1km aquecendo na academia + musculação. Mizuno Musha
10 - 15,6km a 5m51/km no Ibirapuera, de Nike Flyknit
11 - 2 km aquecendo + musculação, de Skechers Go Bionic
12 - 3km pré-aquecendo + 2km aquecend + 8,4km em corrida + circuito. Total de 13,4km, de Olympikus Rio
13 - musculação
14 - 1,5km aquecendo + 8,4km rodando com rampas. Total: 9,9km de Nike Fyknit
15 - fortalecimento muscular (HIIT)
16 - 18,5km a 5m44/km na USP, de Asics LA
17 - off
18 - 1,5km aquecendo (Skechers Go Bionic) + musculação
19 - 1,8km aquecendo + 1,6km circuito + 7km rodagem. Total: 10,4km, de Olympikus Rio
20 - 1,5km aquecendo + musculação
21 - 10km rodando até o Museu do Ipiranga, de Puma Faas 100.
22 - off
23 - 10,1km no bairro (Asics LA) + musculação
24 - 22,5km pedalando na ciclofaixa.
25 - 17,9km Ibira bate-volta, de Puma Faas 100.
26 - musculação
27 - 6km de tiros na esteira + 2km rodando nas ruas. Total de 08km, de Mizuno Musha
28 - 10,1km rodando no bairro, em 1h00, de Nike Flyknit.
29 - HIIT + musculação
30 - Haile Gebrsselassie no Brasil!!!
31 - 19,1km a 6min30/km derretendo na região do Parque do Estado, de Adidas Adios

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Resumo do ano 2015

2015, ano de coisas boas e ruins. Primeiro semestre muito bom, com o meu melhor tempo em meia-maratona (1h38m32s) e o back to back da Comrades. Lógico que teve o último lugar não tão bom na Trailadventure do Chile, mas eu me perdi... e perdi até o pódio na categoria, perdi as cervejas da premiação... aiaiaiai...

Segundo semestre não tão bom. Fui mal na Mizuno Uphill e ali acabei ferrando o joelho, o que me tirou da Mont Blanc no segundo corte, com pouco mais de 40km. Mas a maratona de NY foi legal (pelo menos fiz uma marca pra não passar vergonha) e o resto das provas foram pra se divertir. Final do ano fazendo retífica nas articulações, funilaria e tentando fortalecer a carcaça.

2247,9km corridos dos quais:
1908,9 km em 143 treinos (média de 13,35km/treino)
339km em 10 provas (média de 33,9km/prova), sendo 1 prova de 7km (SW), 2 de 10km (Vancouver Sun Run e Timão Run), 1 meia-maratona (Sunshine Coast), 1 de 14 milhas, 2 maratonas (Uphill e NY) e 3 ultras (Trailadventure Chile-50k, Comrades-87k e CCC-43k, dos 101 da prova)
51 séries de musculação
6 séries de escada
3.125m de natação em 2 treinos
1h10 de rolo/bike em 2 séries
3 séries de remo

mês mais rodado:
mês menos rodado:

Em números, um ano parecido com o ano passado. Bons e maus resultados, lesões incomodando no final do ano, mas mais um ano de Corrida no Ar indo bem. O problema é que ao contrário dos anos anteriores, onde já tinha meio claro um panorama de planejamento de provas até pela necessidade de pontuar pra UTMB/CCC, fecho este ano sem saber direito o que fazer no ano que vem. Não tenho a intenção de voltar pra Mont Blanc (a montanha já me disse não duas vezes!!) e encerrei o meu ciclo Comrades. E agora? Já estou certo em duas provas (Meia do RJ - OL e 28 praias de Ubatuba em dupla), mas nenhuma delas é prova-alvo...

Resumo do mês - dezembro/2015

9 séries de musculação
3 séries de remo
1,25 km de natação
93km em 10 treinos

01/12 - off
02/12 - musculação
03/12 - off
04/12 - musculação
05/12 - aeróbico - remo + transport + 5km em esteira, Olympikus Rio
06/12 - off
07/12 - musculação
08/12 - off
09/12 - 1km aquecendo + remo + transport + musculação
10/12 - 1,25 km natação
11/12 - off
12/12 - 8km, em 1h, rodando leve no bairro. Olympikus Rio
13/12 - off
14/12 - musculação
15/12 - 1km aquecendo + 50 min de rodagem (8,5km). Total: 9km, Asics LA
16/12 - off
17/12 - 2km aquecendo + 8 rampas Bienal + 6km rodagem no Ibirapuera. Total estimado de 10km, Hoka One One
18/12 - off
19/12 - 9km na USP, em 53min, de Nike Free Flyknit
20/12 - off
21/12 - musculação
22/12 - 1km aquecendo + 6 km com variação de velocidade + remo. Total de 7km com Skechers Go Run
23/12 - musculação
24/12 - 11,5km no sol escaldante do bairro, de Olympikus Rio
25/12 - off
26/12 - 12km no Ibira, Nike Flyknit
27/12 - off
28/12 - musculação
29/12 - 10,5km no Ibira, de Hoka One One
30/12 - musculação
31/12 - 6,5 km de casa até a chegada da São Silvestre e depois voltando. 10km correndo (Asics LA)e o resto andando. Vários amigos (Zeca, Rogério, Branca, Antonio, Marco Ostrovski, Caio Carlucci, Beto, Fabi Otero, Gustavo Abade, Carmona, Jorginho, Serginho Rocha etc) e final de ano do jeito que é legal: correndo!!

sábado, 19 de dezembro de 2015

Star Wars Run 2015

Cobertura da Star Wars Run 2015 para o Corrida no Ar! Salve Charles!!! Participamos, caminhamos, corremos, demos risada e fechamos em 53min os 7km. Lento? Sim, mas essa era uma corrida para ser apreciada o máximo que fosse possível!!



E fica também o registro da reportagem feita com o cara na ESPN:

http://espn.uol.com.br/video/561491_com-doenca-rara-no-coracao-atleta-amador-se-despede-das-corridas-na-star-wars-run


segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Resumo do mês - Novembro/2015

102,7km, dos quais 59,2km em 3 provas e o resto em treinos levíssimos
7 séries de musculação
Mês para desacelerar da corrida, tentar curar as lesões, especialmente joelho e tendão de aquiles, e tentar fazer uma base boa de fortalecimento

01/11 - Maratona de Nova Iorque - 42,2 km - Mizuno Musha
02 a 08/11 - off
09/11 - 2km aquecendo + musculação
10/11 - 5km rodando no bairro de Olympikus Rio
11/11 - off
12/11 - 8km no Ibira, ritmos variados, de Nike Free
13/11 - musculação
14/11 -10,5km na USP, de Asics LA
15/11 - off
16/11 - 6km no Ibirapuera, levezinho, de Olympikus Rio
17/11 - musculação
18/11 - off
19/11 - musculação + 2km corrida leve (Skechers Go Run) e Timão Hexacampeão Brasileiro!!!!
20/11 - Timão Run, 10km em 54m08, tranquilo, de Hoka One One
21/11 - off
22/11 - Corinthians 6 x 1 São Paulo
23/11 - musculação
24/11 - 8km de rodagem leve no Ibira, de Olympikus Rio
25/11 - musculação + 2km corrida leve (Skechers Go Run)
26/11 - off
27/11 - off
28/11 - Star Wars Run 2015 - 7km, de Hoka One One em 53m01s (sim!!)
29/11 - off
30/11 - musculação

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Timão Run 2015

19 de novembro de 2015, dia da bandeira e dia em que o Corinthians se sagrou hexacampeão brasileiro com quatro rodadas de antecedência, empatando com o desesperado Vasco da Gama em São Januário, enquanto o Atlético Mineiro conseguiu perder dos bambis, um time que tomou de 6 a 1 do Timão na rodada seguinte... 

20 de novembro de 2015, dia de tempestade de madrugada, dia de São Jorge de ressaca e dia de comemorar o título do jeito que mais gosto: correndo!! Timão Run, um bando de 3.600 loucos dando volta na sagrada Arena Corinthians, o meu, o nosso Itaquerão. Ali não tinha que correr forte, o importante era correr berrando "é campeão!!", cantando o hino e vibrando!! Salve o Corinthians!!! 


A corrida? 54m08, duas voltas de 5km ao redor da Arena, um sobe-e-desce pesado, coisa de corinthiano maloquero e sofredor, graças a Deus!!


VAI CORINTHIANS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Maratona de Nova York 2015

Maratona de Nova York foi sorte-azar. Eu me inscrevi no sorteio só pra tentar aumentar a probabilidade de ser sorteado nos próximos anos, mas acabei sendo sorteado na primeira tentativa, algo não muito comum (1 chance em 6, talvez?). O problema é que depois de um ano meio complicado, cheio de provas e estando meio machucado depois da Mont Blanc, correr Nova York pra tempo foi uma coisa que foi afastada no segundo ou terceiro longo quebrando que fiz. Na verdade, mesmo depois de desencanar de tempo e fazendo os longos um pouco mais levezinho, continuei quebrando nesses treinos. E comecei a quebrar nos treinos de intensidade. E mesmo nos regenerativ... ok, mimimi no volume 10, mas na hora H até que saiu um desempenho de não passar vergonha. Longe do melhor, lógico, mas o suficiente pra cruzar abaixo das 4 horas, me divertir, filmar a prova e ainda tendo o menos dolorido pós-prova de todas as maratonas que fiz.

Segue o vídeo pro Corrida no Ar!!!




segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Resumo do mês - Outubro/2015

178,8km em 13 treinos
2 séries de musculação

01/10 - 1km aquecendo + 4 séries de 900m na rampa com educativos (3,6km) + 3km ritmo médio (interrompido por dor no joelho) = 7,6km, de Nike Streak
02/10 - off
03/10 - 28km na USP, a 5m37/km, de Asics LA
04/10 - off
05/10 - musculação
06/10 - 2km aquecendo + 4 séries de 2km progressivo e 600m na rampa (9,6km). Total, 11,6km, de Mizuno Musha
07/10 - off
08/10 - 2km aquecendo + 2 séries de 3km (leve e médio) + 1 série de 1,5km (era um 3km forte, mas o joelho doeu e eu trotei). Total de 9,5km, de Puma Faas 100
09/10 - off
10/10 - 31km de longo, a 5m35/km de Olympikus Rio
11/10 - off
12/10 - musculação
13/10 - 2km aquecendo + 2 séries de 4,5km progressivo (22m40 - 5m02/km; 22m06 - 4m54/km). Total 11km, de Mizuno Musha
14/10 - off
15/10 - 2 km trotando até a Planet, 3km na Corrida do Bem (Planet Sport/Limite Team), 2 km voltando. 7km de Puma Faas 200
16/10 - off
17/10 - 23,4km em 2h10 a 5m34/km na USP, de Asics LA
18/10 - off
19/10 - off
20/10 - 2km aquecendo + 10 tiros fortes de 300m com intervalo de 50m entre eles (3,5km). Total de 5,5km de Nike Zoom Streak
21/10 - off
22/10 - 1km aquecendo + 6 tiros de 1,2km (fraco/medio/forte). Total de 8,2km de Nike Free 3.0 Flyknit
23/10 - off
24/10 - 20km na USP, a 5m15/km, de Mizuno Musha
25/10 - off
26/10 - 1km aquecedo + 9 km intervalado (3km fraco, 1,5km forte) = 10km de Olympikus Rio
27 a 29/10 - off
30/10 - 6km do Queens a Manhattan, de Mizuno Musha
31/10 - off

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Resumo do mês - setembro/2015

Pós-CCC e férias...

107,7km em 11 treinos
3 séries de musculação

01 a 11/09 - off
12/09 - 14,5km na USP, a 5min23/km, de Puma Faas 100
13/09 - off
14/09 - 2km leves até a academia, musculação e 2km leves voltando. Total, 4km de Olympikus Rio
15/09 - 2km aquecendo, 3 voltas de 2,5km no Ibira (5m45, 5m10 e 4m45/km), de Puma Faas 100. Total 9,5km
16/09 - 2km aquecendo, de Olympikus Rio, e musculação
17/09 - 6km leve-médio na USP, na comemoração dos 20000 assinantes do Corrida no Ar, de Adidas Adios
18/09 - off
19/09 - 19km na USP, de Nike Flyknit Free 3.0
20/09 - off
21/09 - 1,5km aquecendo, de Olympikus Rio, e musculação
22/09 - 1km aquecendo, 3 x 3km no Ibira (16m30, 15m00 e 14m00), total de 10km, de Skechers Go Run
23/09 - off
24/09 - 2km aquecendo, 6 x 1,2km no Ibira, 2km desaquecendo,11,2km de Mizuno Musha
25/09 - off
26/09 - 6km na Praia da Baleia, leve...
27/09 - off
28/09 - 24 km em 2h09 (5m23/km) no Ibirapuera, de Skechers Go Run
29/09 - off
30/09 - off

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

CCC - Ultra Trail du Mont Blanc

Em 2012 eu tinha tentado e acabei desistindo numa prova extremamente gelada, com neve e chuva o tempo inteiro. Camelei 3 anos fazendo pontos e torcendo em sorteios ate conseguir ir de novo para o CCC da Mont Blanc e resolver essa questão.

Pelo menos achava isso.

Pois é, tudo o que eu queria é que não estivesse aquele frio, aquela chuva e aquela neve que me detonaram durante a prova de 2012. E de uma certa forma meus desejos foram atendidos. Mas nessas horas é que eu percebo como a gente nunca está satisfeito...

Pois é, dessa vez a Mont Blanc 2015 não teve nada de chuva (exceto a largada do PTL, na segunda-feira, prova tão comprida que eu ainda estava trabalhando no Brasil quando iniciou), nada de neve e um sol glorioso, que nos deu a oportunidade de ver algumas das paisagens mais lindas do mundo!

Um sol glorioso. E quente. Muito quente!! Putz, como tava quente nessa terra!!! Embora à noite Chamonix fosse agradavelmente fresca, de dia passava fácil dos 30ºC, com um sol ardido e nenhuma nuvem no céu azul dos Alpes. Lindo. E extremamente desgastante!!


A largada em Courmayeur já teve um clima diferente. Estavam lá os meus amigos Homero e Verinha Saporito. O clima tava gostoso, ainda não tinha esquentado, e eu ainda tive a chance de não largar na última baia. Ao contrário, larguei junto da Verinha. Corremos juntos durante uns... 30 centímetros, porque passou o pórtico a moleca disparou! Não a vi mais! Eu, gato escaldado e com um problema meio bizarro, larguei mais devagar.

video

O problema bizarro? Bom, em toda prova de montanha a gente deve levar papel higiênico, já que nunca sabe se vontade e banheiro estarão juntos ao mesmo tempo. Não, não tive vontade no início da prova. Na verdade tive antes e fui ao banheiro, lá em Courmayeur, ainda esperando a largada. Depois de uma fila megamonstro, chegou minha vez quando...surpresa! O banheiro era do tipo turco, um buraco no chão. E não tinha papel higiênico nenhum. Nem pra mim. Mas eu tava lá, apertado e fiz o que tinha que fazer. Mas e pra me limpar? Bom, eu fiz o que pude com os recursos que tinha à mão (ou seja, a própria mão), lavei-a (ao menos a pia funcionava bem) e achei que tava ok. Mas logo que comecei a correr vi que não estava. Começou a assar. E no primeiro morro escondido fui me sconder para usar o raio do papel higiênico que tava levando, de modo a completar o serviço. Triste foi surpreender uma corredora que tinha intenções parecidas. Susto pros dois, mas em montanha não tem frescura, segue o jogo.

E o jogo seguiu, muuuuuuito melhor sem a assação no fiofó. Só que esse não era o único problema. O calor começou a pegar forte, e eu que imaginava que nas montanhas o clima poderia estar mais ameno e com vento, logo vi que me enganei. Naquela fila de procissão de corredores em trilha que se forma no começo da prova, eu já me sentia bem cansado. O calor tava me matando. E a subida do Tete de la Tronche não ajudava em nada. 1.400m de desnível positivo em 11km não é mole mesmo!!

video

Depois da subida, um alívio, descida até o Refúgio Bertone, muita água e coca-cola. No segundo, Refúgio Bonatti, mais ainda. O visual era lindo, mas o calor era desesperador. Em 2012 eu lembro ter feito esse trecho numa boa, correndo até forte demais, o que eu achava que teria me desgastado muito. Em 2015, eu trotava nesse planalto e sofria. Aliás, por causa do sol e do clima lindo, muita gente fazendo trilhas por diversão, shortinho e camiseta, italianada vermelha de sol, olhando aqueles doidos de mochila querendo correr ao invés de curtir. Aliás, não só gente...


video

No Bonatti eu tava mal. Tonto de calor. Jogava água na cabeça como um desesperado. Aí encontrei um maluco que ao invés de encher a caramanhola nas torneiras, ajoelhou e meteu a boca, desesperado. Brasileiro, lógico. Edgar, que não entendia como os gringos bebiam tão pouca água. A gente precisava se apressar se quisesse chegar no primeiro corte, em Arnuva, dentro do tempo. E fomos, do jeito que dava, até lá. Correndo contra o relógio, chegamos 11 minutos antes do corte!! Mal deu tempo de tomar uma coisa, comer outra e já tinhamos que sair pra enfrentar outra subida violenta, o Gran Col Ferret.




Em 2012 eu tinha tomado uma tempestade de neve na cabeça no Gran Col Ferret, mas ao mesmo tempo tinha achado a subida difícil mas não impossível. Neste ano não teve neve, mas como sofri subindo essa coisa!! Mesmo assim, sentia que tava melhorando um pouco, o calor começava a amainar e apesar da inclinação monstro (800m de desnível positivo em 5km!) eu consegui percorrer aquilo mais rápido do que alguns outros corredores na mesma toada. Nesse padrão de comparação, apesar do cansaço extremo, eu tava bem. E não dava pra enrolar muito porque o corte tava apertado. Mas cheguei lá em cima (sem neve!) com tempo de sobra pra descer até La Fouly. Essa descida eu sabia que era ótima de fazer, em uma trilha bem corrível e rápida.

Só que... o joelho! O joelho que estalou durante toda a subida da Uphill. O joelho que estava sensível nos treinos longos subsequentes (passava de 3hs de treino estalava de novo). O joelho que me lembrava que existia desde o começo da prova, resolveu travar de verdade. Não, não era a dorzinha chata, era a dor que doía mesmo, dentro dele. Não consegui correr na descida mais corrível da prova. Trotei, andei rápido, dava uma aceleradinha, mas o esquerdo doía. Doía! E uma passagem no corte que estava bem garantida acabou sendo o fim de prova pra mim.

Por 15 minutos fiquei no corte.

video


segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Resumo do mês - agosto/2015

258,5km rodados, sendo 85km em duas provas e o resto em 9 treinos
2 séries de reforço muscular

01/08 - Mizuno Uphill 2015 - 42km com o Mizuno Prorunner (última corrida dele)
02 a 04/08 - off pós-Uphill
05/08 - 5km leves na esteira, com o Olympikus Rio
06/08 - 10km no Ibira, com 2km aquecendo, 20min de rampa e 30 min rodados, de Asics LA
07/08 - off
08/08 - 53km em 7h10, casa-USP-casa, de Nike Lunatrail.
09/08 - off
10/08 - musculação
11/08 - 3,5km aquecendo + 2x4km progressivos (últimos a 4m00/km e 3m56/km) + 3km - 14,5km de Puma Faas 100
12/08 - off
13/08 - 1km aquecendo + 9 tiros de mil progressivos (300m trote, 400m a 11,5km/h, 300m aceleração total) + pliométricos - total - 10km de Nike Flyknit
14/08 - off
15/08 - off
16/08 - Longo de 36km em 4h30, Ibira e sobe-e-desce dos Jardins-Paulista, de Mizuno Kazan
17/08 - off
18/08 - 3km aquecendo + 2x4km (3km leves + 1km tiro) - 11km de Olympikus Rio
19/08 - off
20/08 - 2km aquecendo + 3 voltas de 3km no Ibira intervalando (2min leves, 2min  médios, 2min fortes) - total 11km, de Puma Faas 100
21/08 - off
22/08 - 23km no Jaraguá, subindo pelo Pai Zé e descendo pelo asfalto, de Mizuno Harrier
23/08 a 27/08 - off
28/08 - CCC - 43km até ficar no corte, de Mizuno Harrier
29 a 31/08 - off

domingo, 9 de agosto de 2015

Mizuno Uphill 2015

Piorei. Ano passado o "plano" foi a 2h17m24s. Neste ano foi a 2h24m55. A subida então... ano passado foi a 2h41m33s, mesmo naquele vendaval contra. Neste ano... 2h51m! Pior, no ano passado eu não me sentia muito bem preparado, enquanto neste ano eu estou no meio de um ciclo forte de treinamento. O que aconteceu?

Talvez seja isso, o estar no meio de um ciclo forte e, por isso, cansado. Comecei a correr meio cansado, meio pesado, as pernas não rendiam, fazia força para manter um ritmo só mediano.


Talvez seja o fato de estar mais calor que o normal para essa região. No entanto, as temperaturas não estavam muito distantes do que vivemos em São Paulo. É estranho não passar frio na serra, mas isso por si só não significaria performance prejudicada.

Talvez fosse o horário de início da prova. 16h30 é um horário que eu não estou acostumado a correr. Pior, é um horário em que geralmente me sinto com sono no trabalho, no dia-a-dia. É difícil comparar com outras provas onde corri nesse horário, porque geralmente elas começaram mais cedo e, às 16h30 eu já estava naturalmente cansado por causa da prova. Mas pelo menos em duas eu me lembro de ser este horário o pior momento para mim durante a prova. Nos 80km de Campinas, depois de longas 08 horas de prova, eu pensava seriamente em desistir e, não fosse a chuva salvadora que me despertou e aliviou o calor, eu teria desistido mesmo. Na Eco-trail de Paris, as 16h30 bateu mais ou menos com 4 horas de prova, por volta do km 35, um momento da prova em que eu também me sentia meio mal. Em ambas, assim como na Uphill, a sensação geral começou a melhor depois que caiu a noite...

Talvez fosse só um dia ruim. Mas o dia ruim acabou quando cruzei a linha de chegada. 5h15min56s no líquido.


De qualquer forma, apesar dos pesares, sempre um prazer fazer a Uphill, encontrar muitos amigos da corrida, veteranos de outras provas, "novatos" a buscar uma última dica etc. No trecho final da serra, iluminada como uma árvore de natal na escuridão da serra, alcancei o Marcus Boer. Talvez o ultrapassasse, talvez não, meu ritmo estava um pouco melhor, mas fui com ele até final até porque sabia que ele ia pedir a namorada em casamento e queria ser testemunha ocular disso. Tirando o esforço monstro que ele fez para se ajoelhar, tudo correu como imaginado! Parabéns ao Marquinho e a todos que fizeram essa prova.

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Resumo do mês - julho/2015

213,2km em 14 treinos
4 séries de musculação
3 treinos em escada

01/07 - off
02/07 - 9km piramidais, 5min subindo, 5min descendo - primeiros 30min piramidais em velocidade (de 9km/h a 13km/h) - últimos 30min em inclinação (de 0 a 12%) - Diadora NJ
03/07 - off
04/07 - 8,5km levíssimos, com a Alessandra, no Ibira - Puma Faas 100
05/07 - 18,5km em 2h35 no Pico do Jaraguá, de mochila, subindo pelo Pai Zé e descendo pela estrada + uma subidinha de 1km no trecho mais inclinado. Mizuno Harrier
06/07 - musculação
07/07 - 10km no Ibira, com 2x3,5km leves e 1,5km mais rápidos (4m35/4m24), de Puma Faas 100
08/07 - 3 séries de escada com colete de 6kg
09/07 - 2km aquecendo + 10 tiros curtos em subida (2.000m) + musculação. 4km de Nike Alvord Azul
10/07 - off
11/07 - 38km em 5 horas, de mochila e bastão em estrada de terra em São Roque. Nike Lunarfly Trail
12/07 - off
13/07 - musculação
14/07 - 2 séries de 3km leves e 2km rápidos. Total de 10km - Olympikus Rio
15/07 - 3 séries de escada com colete de 6kg
16/07 - 10km - 2km leves, 6km em subida progressiva (até 12%) e 2km soltando - Nike Flyknit
17/07 - off
18/07 - 11km leves, no Ibirapuera - Diadora NJ
19/07 - 43km, em 5h40, de mochila, da Saúde até a Cantareira - Pedra Grande e Águas Claras. Nike Lunarfly Trail
20/07 - off
21/07 - 2 séries de 3,5km leves e 2,6km rápidos (4m35 e 4m43/km) no Ibira. Total, 12,2km, de Puma Faas 100
22/07 - musculação
23/07 - 2h45 de rampas na Bienal - 82 rampas, todas correndo. Asics LA. No Garmin deu 20km
24/07 - off
25/07 - off
26/07 - off
27/07 - 2km aquecendo + 2x1km leve (5m20/km) e 2km rápido (4m35 e 4m30/km) + 2km desaquecendo - total: 10km, Nike Flyknit
28/07 - musculação
29/07 - 3,5 séries de escada com colete de 7kg
30/07 - 2km aquecendo + 7km médios - 9km de Puma Faas 100.
31/07 - off

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Resumo do mês - Junho/15

177,4km rodados em 13 treinos
5 séries de musculação

01 a 05/06 - off pós-Comrades
06/06 - 11km na USP, levinho, de Mizuno Musha
07/06 - off
08/06 - musculação
09/06 - 9 tiros de 1.100m a 4min55s/km + 3 km soltinhos - total 12,9km de Nike Streak
10/06 - musculação
11/06 - off
12/06 - off
13/06 - 18km em 2hs (5mins caminhando + 55min correndo), de Nike Trail e mochilão.
14/06 - 9,4km em 59 min, levinho, de Mizuno Musha
15/06 - musculação
16/06 - 2km aquecendo, 10 tiros de 700m (fraco a 4m55/km, forte a 4m10/km). Era pra ser 12 tiros, mas treino abortado por bronquite. Total: 9km, de Skechers Go Run
17/06 a 19/06 - off doente. Bronquite, tosse, febre
20/06 - 22,5km em 2h50, correndo 50min, caminhando 10min. Ibirapuera/Manoel da Nóbrega. Ainda sentindo a bronquite.  Asics LA
21/06 - 8,6km em 1 hora no Ibira, levíssimo, com a Alessandra, de Olympikus Rio
22/06 - off
23/06 - 2,5 km aquecendo + 4 x 1,5km em ritmo médio (5min/km) e 1 km rápido (4m25/km). Total de 12,5km, de Puma Faas 100
24/06 - musculação
25/06 - 4km leves, 3km mais fortes e 4km leves, no Ibira. 11km, de Nike Flyknit Free 3.0
26/06 - 5km leves no bairro, em 30min, de Diadora NJ 303
27/06 - 32km em 4hs, intercalando corrida (45min) e caminhada (15min) com mochila. Olympikus Rio
28/06 - 6,5km bem levinhos no bairro, de Nike Flyknit
29/06 - musculação
30/06 - 3km aquecendo + 6 tiros de 1.000m a 4m45/km. Total, 9km, de Asics LA

sábado, 20 de junho de 2015

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Resumo do mês - Maio/2015

182,2km em 12 treinos e 109,7km em 2 provas (Morungaba e Comrades) - Total: 291,9km (maior rodagem mensal registrada) + 1 série de musculação

01/05 - musculação
02/05 - 11km leves com a Alessandra no Ibirapuera, de Mizuno Prorunner
03/05 - 43,3km de longo em 5h15, com o Hoka One One
04/05 - off
05/05 - 3km aquecendo + 8 tiros de 1.000m (médio, médio/forte - 4m43 a 4m11), 11km de Mizuno Musha
06/05 - off
07/05 - 2km aquecendo + 8km progressivos em esteira (37m10s), 10km de Skechers
08/05 - off
09/05 - 14 milhas de Morungaba (22 km), em 2h33m08s, de Mizuno Prorunner
10/05 - off (laringite)
11/05 - off (laringite)
12/05 - 8,5km de subida em esteira (4 a 10% de inclinação) em 1h00, de Puma Faas 300 (e laringite)
13/05 - off (laringite)
14/05 - 8km rodados em 40 min na esteira (e laringite), de Skechers
15/05 - off
16/05 - 27km fartlek total, no treinão NB-Trilopez, de Hoka One One
17/05 - 13km rodados leve, de casa até a Maratona de SP e retornando, de Mizuno Musha
18/05 - off
19/05 - 2,2 km aquecendo + 9km subindo e descendo a Osvaldo Aranha + 2,2 km retornando. Total de 13,4km, de Mizuno Prorunner
20/05 - off
21/05 - 2km aquecendo + 7km ritmado + 2km leves - total: 11km, de Nike Streak
22/05 - off
23/05 - 20km na USP, levinho, com o David, Leandro, Ricardo Almeida e Cordeiro, de Mizuno Prorunner
24/05 - off
25/05 - off
26/05 - 6km em 40 minutos, levinho, de Mizuno Musha
27 a 30/05 - off em Durban
31/05 - Comrades - 87,7km - Mizuno Prorunner

quinta-feira, 14 de maio de 2015

14 Milhas de Morungaba - 2015

A 14 milhas de Morungaba foi uma legítima prova-treino. Sem pretensão nenhuma de correr forte, entrou no calendário por sugestão do Diego só para corrermos em ambiente com boa variação altimétrica, sem muita dificuldade logística. Ok, Morungaba não é aqui do lado, mas a largada era às 09h00, dava tempo tranquilo de chegar lá acordando no mesmo horário do longão nosso de cada sábado.


Como preparação para a Comrades foi... mais ou menos. A distância de 14 milhas não tinha 14 milhas (deu 21km no GPS, ou seja, estimo em 20,5km reais) e um pequeno trecho chato de single track e um pouquinho de dificuldade no terreno (sou péssimo em descida em terreno instável e isso apareceu logo no começo da prova). Como a intenção era treinar para a Comrades, onde não há desafios de terreno, isso não ajudou muito, especialmente porque também não colaborou muito para ritmo de prova.

Um outro problema é que eu não estava num bom dia. Senti isso na hora em que fomos aquecer. Tava com a perna pesada, cansado, sei lá. Além disso, eu demoro um pouco para aquecer, não consigo sair a 100% sem fazer grande esforço. E a prova já começou numa boa série de subidas e depois trilha, o que me deixou ainda mais cansado. Lá pelo 5º km eu tava meio morto, arfando que nem cachorro de apartamento quando sai pra correr no parque com o dono.

Até que fui picado por algum bicho. Sério, um marimbondo, vespa, abelha, sei lá. Doeu pra cacete. E continuou doendo por uma semana. Mas apesar de ter ficado até com a perna esquerda meio insensível por alguns momentos, aquilo jogou adrenalina no sangue e acabei acordando um pouco. Mesmo assim, ainda me sentia meio cansado, pesado, e isso aparecia bem nas subidas. Muitas delas, mesmo bem inclinadas, eram corríveis. Mas eu fazia andando. Mesmo nas descidas, soltava o corpo mas não descia tão livre, tava meio preso. Descidas para serem feitas em uns 3m30/km, com o corpo solto e bpm baixo, relaxando, eu fazia a 4min/km e ainda assim fazendo um pouco de força.


No final, levei 2h32m48s para terminar a prova. E aí surge a peculiaridade da prova em relação às categorias de idade. Como era uma prova com poucos participantes, a competitividade não era das mais fortes. Tanto que no geral, os 4 primeiros foram da Trilopez (Paulinho Lacerda, seu Edélcio, Marcos Boer e Duca França). E eu não cheguei tão longe, já que o 5º fez 2h25. Só que neste ano faço 40 anos, e passei para a categoria 40-49 que era... muito mais competitiva do que a 30-39! Se estivesse na 30-39, seria o 1º da categoria, na frente do Milani (2h33, aliás, correu muito bem!). Já na 40-49 fui apenas o 5º. Aliás, na 30-39 só haviam 4 participantes e 2 deles foram pra premiação no geral. Na 40-49 eram 10 e nenhum foi deles alcançou a premiação geral. Não levei trofeuzinho, ossos velhos do ofício...