terça-feira, 21 de abril de 2015

Vancouver Sun Run 10k

A Vancouver Sun Run é A prova da cidade. Mais de 40 mil corredores comparecem para participar e marcar presença na corrida organizada pelo jornal Vancouver Sun, mas que também, de uma certa forma, marca o início da estação quente. Junte tudo isso e você coloca quase 1/10 da população da cidade numa corrida de rua, uma proporção absurda (é só comparar com os 25 mil da São Silvestre para 12 milhões de habitantes em São Paulo, proporção de 1/480).

Como será participar de uma prova dessa grandeza? Estava curioso para ver a organização da prova. Obviamente, a largada teria baias e ondas, mas mesmo assim é muita gente, no centro da cidade!! Mas não é que deu certo? A prova foi estruturada em 6 baias, onde você ingressava de acordo com o tempo informado. As baias eram bem isoladas, com grades altas, nas calçadas, mas não havia muito controle. Mesmo assim, chutaria que 90% das pessoas estavam obedecendo as indicações, algo natural para um povo ordeiro como o canadense. E mesmo entre os que estavam nas baias erradas, haviam muitos que se autorrebaixaram. 


Dentro das baias, as largadas eram dadas em ondas. Como estava dentro da baia e bem no final, não consegui ver e entender direito como isso funcionava, mas percebi que a minha baia branca teve umas 3 largadas até efetivamente sermos liberados. Eu estava numa baia bem lenta porque ia fazer a prova com a Alessandra, então não sei como foi a coisa nas baias mais rápidas. Mas nessa turminha de 1h00 a 1h30, boa parte das pessoas parecia mais ou menos ter um ritmo adequado pra baia. Toda vez que via alguém caminhando na minha frente, fechando a pista, dei um encontrão, um esbarrão, até pra pessoa se tocar que tava atrapalhando. Foram umas 10 topadas. Parece muito, mas como estamos falando de 40 mil completantes, até que não tava mal, na proporção E sendo bem franco, todos esses esbarrões e empurrões eram evitáveis, havia algum espaço para ultrapassar e sinalização constante jogando os walkers para a direita. Eu é que tava sendo crica mesmo.



A Alessandra e seu personal coelho, eu, fechamos em 1h05. Tempo que pra mim é surpreendente, já que esperava 1h08 no máximo. A bichinha acelerou nos 2 últimos quilômetros e até na subida da última ponte não esmoreceu. A prova é rápida (o vencedor foi um americano de Eugene, Oregon, que fez 28m53) mas tem duas pontes que complicam a beleza. Mesmo assim foi uma prova interessante, ensolarada e onde a Alessandra passou até calor, foi tirando casaco, manguito, luva e passando pro guarda-volume pessoal dela...


E a dispersão dessa multidão? Pois é, a chegada foi na BC Arena, estádio coberto que é sede do Vancouver Whitecaps, time de futebol da cidade, e talvez o único lugar capaz de comportar tanta gente e tantos patrocinadores e fornecedores de produtos...


Enfim, o saldo foi positivo. Em termos de organização, o grande diferencial realmente foi organizar a largada e a chegada. Durante o percurso foram exagerados 5 (!) postos de água para 10km, sendo que os dois primeiros no 2º e no 3º km, muito próximos entre si. Várias bandas no caminho e a camiseta dada é de algodão bem meia boca, e muita, mas muita gente correu com ela porque se inscreveu na prova fazendo parte de algum grupo, com uma inserção personalizada nas costas. Desde as velhinhas da comunidade gospel japonesa de Vancouver, aos amigos do garçom do bar, passando por empresas grandes, cerca de 70% das pessoas que vi na prova, nesse pelotão mais lento, corria vestindo a camisa do grupo do qual fazia parte. Vi até um grupo chamado "walkers runners", um contrassenso, se não houver uma empresa chamada Walkers... 

Haviam pessoas nas ruas apoiando os corredores, mas nada muito massivo. Não eram muitos, mas acho que isso tem uma razão simples: proporcionalmente eram poucos espectadores porque a maior parte da cidade estava DENTRO da prova, correndo, ou trabalhando na prova ou nos eventos pós-prova (brunchs Sun Run, etc). Muito depois de a prova ter terminado, à noite, ainda se viam alguns corredores andando pelo Centro, com a camiseta e o número da prova afixados, aproveitando o domingão de sol na linda Vancouver...

BMO April Fool´s Run Sunshine Coast Half Marathon Gibsons to Sechelt

BMO April´s Fools Sunshine Coast Half Marathon Gibsons to Sechelt, isso lá é nome de prova? Ô nomão enorme!! Mas enfim, a prova é deles, o patrocinador também, eles fazem o que quiserem.
A April Fool´s é uma prova organizada na Sunshine Coast, região ao norte de Vancouver, onde só se chega de balsa e onde existem várias cidadezinhas simpáticas beira-mar. Sunshine Coast é um nome arriscado para uma região conhecida por suas constantes nuvens e tempo chuvoso, mas não é que no dia da prova tudo deu certo com São Pedro? Tava frio (uns 7 ou 8 graus) e sol, um tempo excelente para correr!

A prova foi uma escolha de oportunidade: já que estava em férias em Vancouver, tentei achar uma corrida legal pra fazer. Nem era a minha primeira opção, já que tinha achado uma outra meia em White Rock, perto da divisa com os EUA e com uma logística mais simples, sem balsa no meio, mas essa prova acabou sendo cancelado e me sobrou a April Fool´s, uma prova tradicional (38ª edição!) e pequenina. Na meia maratona individual (pois haviam revezamentos), foram 389 completantes. Como era uma prova da comunidade, deu para perceber também que muitos dos participantes não eram corredores efetivos, mas pessoas que simplesmente queriam participar da prova da sua região. As últimas colocadas finalizaram em 04h07min!!!

Apesar disso, a prova em si era bastante rápida, até por conta do descenso acumulado. Larga a 152 metros acima do nível do mar e termina a 10 m. Muitas descidas, mas também algumas subidas, poucos trechos efetivamente planos, demandando muito cuidado na administração do ritmo. Vi muitos corredores me passando fácil nas descidas (e em muitas eu soltava o corpo a 4min/km), mas depois sendo humilhantemente reduzidos a uma caminhada nas subidas que nem eram tão íngremes. 


Não esperava muito da prova, mas estou em um bom ritmo físico, por conta dos treinos para a Comrades. Percebi isso nos 50km de Torres del Paine, onde corri fácil. No início, o primeiro quilômetro já saiu abaixo de 5min/km, mesmo segurando o ritmo, e o segundo, com uma boa descida, já caiu mais ainda. Percebi que o dia tava bom pra correr e o percurso ajudava. Saí atrás (o que não é muito em uma prova que não chegava a 400 participantes) e rapidamente fui passando o pessoal mais afobado na largada. De cara encontrei na minha frente dois caras num ritmo bom, magrelos e que me serviram de pacer, embora estivessem um tiquinho mais rápido do que gostaria (pior, estavam conversando, como se estivesse fácil o ritmo!). Eles foram abrindo uns 2 ou 3 segundos por quilômetro e com isso os mantive sempre na minha visão, pelo menos até o 10ºkm, que passei com 47 min, minha melhor marca nessa distância. No 12ºkm, onde começavam algumas subidas mais severas, encontrei e passei por um desses magrelos, que vestia a camiseta da maratona de Nova York. Ele percebeu que eu era o cara que tava com eles no início da prova e trocamos algumas palavras rápidas.

O de azul e o de laranja, lado a lado, foram meus marcadores de ritmo sem saber disso

Passei pelo Flash, passei pela menina de vestido, passei pelo cara vestido de bobo da corte... a prova também premiava a melhor fantasia, então tinha umas figuras dessas. O interessante é que muito deles eram até bem rápidos com a fantasia. O Flash, inclusive, eu tive que passar 3 vezes (ele me passava de volta nas descidas) até ele se resignar a reconhecer sua menor velocidade perante este que vos escreve...

A menina de vestido deu trabalho, ela fechou para razoáveis 1h45
O fato é que com 47 nos 10k e 49min30s na metade da prova eu já tinha garantido o meu recorde pessoal. Contive um pouco a empolgação, mas a partir do 16º, senti que ainda tava sobrando e tentei tirar o máximo que dava. Foi quando encontrei e passei o segundo magrelo. Só que esse era mais corredor e me passou de volta a 2km do final. Fui na dele, a 4min25/km, mas não consegui ultrapassá-lo no sprint final, foi o único que realmente me ultrapassou durante a prova e ficou na minha frente. 

Sem problemas. Com 1h38m32s, fui bem além do que esperava. Ultrapassei a barreira da 1h40 em meias, e cheguei em 51º lugar.


Provinha pequena e simpática, bem organizada exceto por uma única coisa. Haviam horários programados de ônibus para nos levar e trazer até a balsa, para a largada e depois lá da chegada em Sechelt. Tudo funcionou bem até o último ônibus. Ás 11h30 peguei o ônibus da chegada até a região da largada, com a promessa de que às 13h55 outro ônibus passaria para nos levar até a balsa. Estou esperando esse outro ônibus até agora... acabei rachando um taxi com um casal que igualmente foi engabelado. De resto, tudo ótimo, prova aferida, chegada com comida boa (uma sopa sensacional!!), hidratação em 5 postos, guarda-volumes eficiente. Só o ônibus pisou na bola, mas tudo bem, deu tempo de pegar a balsa e comemorar o recorde pessoal.

Busão, cade você????

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Trail Adventure Chile 50k (que viraram 54, 55, 56...) 2015

Primeira prova do ano! 50 km num lugar lindo. Largada às 10h00 (ou seja, não tem que madrugar). Preparação boa. Tudo indo muito bem. Início de prova bem tranquilo, passando o pessoal aos poucos, a cada subida, sendo ultrapassado em alguns trechos técnicos de descida, mas retomando a posição no plano e a cada nova subida... analisando a prova depois, descobri que até o km 46 eu estava em 8º na prova e 3º na categoria. E ia terminar assim, não fosse... bom, melhor ver o vídeo!! 



Resultado final? Último lugar, pela primeira vez na minha vida, com 08h25! Mas tudo bem, me diverti assim mesmo e adorei a prova!!!

sábado, 4 de abril de 2015

Resumo do mês - março/2015

54km em uma prova e 183,4km em 12 treinos. Total de 237,4 km
40 min de rolo
5 séries de musculação

01/03 - off
02/03 - musculação
03/03 - 3km aquecendo + tiro de 09km (44 min13s) - 12km, de Nike Streak LT2
04/03 - 40 min de rolo
05/03 - 3km aquecendo + 6 tiros de 1,5km (7m02 a 06m40) - 12km, de Skechers Go Run
06/03 - off
07/03 - 10,5km leves na Aclimação com a Alessandra (Mizuno Musha)
08/03 - longo de 40,4km em 4h55, de Nike Lunarglide trail
09/03 - off
10/03 - 10km rodados em ritmo leve/médio (5min15/km), de Nike Streak
11/03 - musculação
12/03 - 10 tiros de 3min progressivos, com 1 min de pausa. Total de 7,5km, de Skechers
13/03 - off
14/03 - 10km em 1h13 com a Alessandra, no Ibirapuera, de Mizuno Musha
15/03 - Longo de 33,7km em 4hs, de Mizuno Harrier
16/03 - musculação
17/03 - off
18/03 - 3km aquecendo + 4 tiros de 2,5km c/ 1min pausa (12m47, 12m30, 12m32, 12m12) - 13km, de Skechers
19/03 - off
20/03 - musculação
21/03 - 12km em 1h20 rodando com a Alessandra no Ibirapuera, de Mizuno Musha
22/03 - 16,3km em 2h04 na Cantareira. Nike Lunar trail
23/03 - off
24/03 - 6km em 35min rodados no sobe-e-desce perto de casa (Mizuno Prorunner)
25/03 - musculação
26/03 - off
27/03 - off
28/03 - Trail Adventure Chile - 50k. Pelo fato de ter me perdido, uns 54km em 08h25 (até o 46km eram 06h30...). Mizuno Harrier foi muito bem na prova.
29/03 - off
30/03 - off