terça-feira, 29 de junho de 2010

As "ite" e as "ina"

Rinite. Sinusite. Narizite. Espirrite. Um inferno, dez, doze espirros seguidos, nariz escorrendo que nem cachoeira e uma fraqueza depois de espirrar esse tanto. Horrorível! É o dia inteiro num funga-funga, num atchim-atchim insuportável! Nem dormir direita tá dando. Nunca vi isso, eu acordo para espirrar e depois volto a dormir. Mas com isso o sono fica picado. Fora a falta de educação da minha esposa que não acorda para falar "saúde".

O fato é que esse é um cenário perfeito para ir pra casa e tentar sobreviver até o dia seguinte. Ir treinar, tomar friagem? Sem noção! Mas fui. Fui, sabendo que o treino não ia ser lá essas coisas porque tava com uma moleza monstro por causa dos espirros seguidos. Mas a 23 de maio tava sem trânsito, tudo indicava que eu tinha que ir e fui.

Endorfina. Serotonina. Hormonina. Não-sei-o-que-ina. Uma maravilha. Realmente não consegui treinar tããão bem assim, mas os espirros pararam. A garganta abriu. O nariz secou um pouco, mas a meleca que escorria logo secava e eu não conto isso para nenhuma das meninas que me cumprimentaram com beijinho no rosto. Essas "ina" fizeram muito mais por mim do que o Cloridrato de fexofenadina (vulgo Allegra D 180 mg) que eu tomei. Salve, salve corrida!!

O treino, ah, o treino. Nada memorável, mas deve ser registrado. 4 séries com um tiro de 1,5km em ritmo confortável, pausa de 1 minuto e outro tiro de 1km em ritmo forte. Pausa de 2 minutos e recomeça. Primeira série a 7min40 e 4min30. Segunda a 7min35 e 4min20. Terceira em 7min20 e 4min16. Quarta a 7min15 e 4min13. Nada mal. 11km pra caixa, contando com o aquecimento. E hoje me despeço do Nike Equalon 2+, que me levou por tantos lugares (Ultra 24hs, Campos...). Um bom tênis, mas que já era, tava meio molengoso. Agora eu vou usar para ir á academia...

sábado, 26 de junho de 2010

Bike Fit

Hoje era longuinho de 16km hoje, que viraram 18km porque... sei lá, o maluco do Alê resolveu fazer 18km e eu e o Jacó fomos atrás. Também foi dia do bike fit, pra acertar posição em cima da bike que eu comprei do Marcus. Basicamente o Daniel mediu tudo, braço, perna, tronco, dedo, ombro, só faltou medir o bilau. Pegou essas medidas, fez uns cálculos malucos, ajustou minha bike, ajustou minha sapatilha e pronto. Feito o bike fit, agora não tem mais desculpa pra não pedalar. Quer dizer, tenho, porque descobri que o guidão é um pouquinho mais largo do que deveria e que eu poderia comprar uma pedivela mais curta. Descobri também que o meu quadro ideal é o 46, algo meio raro de se encontrar. Já foi difícil achar um 49... de qualquer modo, tá uma boa bike pra começar, bastam esses ajustes. E na pedaladinha rápida que eu dei na USP, só pra testar a bichinha, já deu pra sentir a enorme diferença de peso, o ganho de velocidade quase instantâneo. Pra chegar a 35km/h na MTB era um sofrimento só, pedalava, pedalava, pegava embalo, pedalava. Nessa speed, basta sair do volantinho que em poucos giros já tô a 35km/h, fácil, com pouco esforço.

Tênis Mizuno Wave Nirvana.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Sofro menos...

...puxando um treino de musculação doído, com aqueles recuos e agachamentos, do que vendo jogo do Brasil na Copa!

quinta-feira, 24 de junho de 2010

O poder da leveza

Mais um treinão no Ibira, quinta-feira de temperatura amena, boa pra treinar. Treininho básico de fartlek, com volta de 3,5km em ritmo de meia-maratona, volta de 3k em ritmo mais forte e outra volta de 3,5km voltando ao ritmo de meia. A primeira volta saiu em 17min40, 5min02/km, conversando com o Ironman Betão. Achei meio forte, mas tava indo. Quando abriu a segunda, que seria mais forte, o Betão disparou. E eu comecei a sentir alguma coisa aqui dentro de mim, querendo sair. Fui ao banheiro e saiu, como saiu!! Saiu tanta coisa que eu nem sabia que cabia aqui dentro!! Com essa quebra de ritmo, a segunda volta, mais curta, não saiu mais forte. Ao contrário, com 15min40, o ritmo subiu para 5min13/km.

Mas aí veio a terceira. E a leveza recém-adquirida se revelou. Eu também me cobrei pelo fato de ter feito uma segunda volta no ritmo errado. E puxei o 3,5km para 16min38, a 4min45/km. Ou seja, a leveza que adquiri no banheiro me fez ganhar um minuto no mesmo percurso.

10km em 49min58s. Tava leve, com o Nike Free 3.0. Foi um treino bom.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Recorde pessoal

Constatei mais um recorde pessoal na academia, hoje. Mais precisamente na balança: 73 kg. Nunca tinha alcançado um peso tão alto, desde que comecei a praticar alguma atividade física, dez anos atrás. Junta a velhice chegando, o relaxamento das férias e a dieta baseada em junk food e dá nisso. Como meu peso bom é 68kg, basicamente estou correndo carregando um saco de gohan (arroz em japonês, para os íntimos) na barriga. 

Por isso é que tenho que pegar pesado de novo, voltar a treinar firme, nada de nhenhenhém. O joelho não dói mais, tô puxando ferro justamente pra isso, então não dá pra correr devagarzinho só por medo de joelhar a dor. A única ressalva que eu faço neste mês é a Copa do Mundo, afinal só rola de 4 em 4 anos, né? Mas, enfim, o fato é que tenho treinar, sofrer mesmo, pra largar a mão de ser bobo. E os novos treinos de musculação do Gabriel tão fazendo bem esse papel. Como muda a cada duas semanas, quando eu tô começando a acostumar, troca tudo. Tô sempre longe da zona de conforto. Aquela porcaria de recuo com a barra pesada nas costas, seguido de agachamento com essa mesma barra me faz ter vontade de entrar em trabalho de parto, pra ver se dói menos.

Mas, enfim, hecho!! Mais uma série de musculação.

terça-feira, 22 de junho de 2010

O prejuízo na recuperação

Uma das minhas características como corredor é a de ter uma boa recuperação após o esforço. É o que me faz ser resistente, já que consigo me recuperar muito bem, por exemplo, correndo, apenas diminuindo o ritmo. Mas é óbvio que existe uma relação de causalidade entre essa minha recuperação e o meu estado físico.

E hoje eu vi. Eu vi como o meu estado físico tá uma merda. Ô lasqueira! O treino era simples: 2 séries de 4,5km, sendo que os primeiros 3km seriam feitos em um ritmo médio a médio-forte (o "super" da terminologia da Trilopez) e os derradeiros 1,5km em velocidade (ou "VO2", na mesma terminologia), baixando o cacete. 

Fiz o primeiro. 3km em 15min15s (5min05/km) e emendando logo para o 1,5km em 7min15 (4min49/km). Eu não tinha forçado o máximo nessa primeira série pensando justamente na segunda. E aí vem o pulo do gato (ou a falta do). Uma pausa de 2 minutos e a série novamente. Normalmente esses 2 minutos são mais do que suficientes para o meu batimento cardíaco baixar a um nível tranquilo. Desta vez não foi bem assim. Deu 2 minutos e não tinha descansado direito. Continuava com uma batedeira no peito. Saí para a segunda série cansado. E aí, ao contrário do que eu costumo conseguir fazer nos treinos, não baixei meu tempo. Os 3km subiram para 15min30 (5min10/km) com um belo esforço e o 1,5km em profundo esforço e vontade de chamar o Ugo, em 7min20 (4min53/km). Tudo falta de condicionamento. Tudo culpa da recuperação que não me recuperou.

Que a velocidade não tava a ideal tudo bem. Mas não conseguir descansar foi mais uma prova de que vou ter que cavar muita mandioca nas próximas semanas...

No total, com o aquecimento de 1,5km, foram 10,5km. Com o Mizuno Nirvana, que já tá começando a ficar velhinho. E sem dores no joelho.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Laconicuzinho

Hoje. Treino. Spin bike. Cansado de novo. Ufa. Ufa.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Lacônico

Hoje. Treino. Musculação. Cansado. Ufa. Ufa.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Boneco da Michelin

Foi assim que o coach Diego definiu a minha atual forma física... tá feio o negócio, né? Bom, em época de Copa tá difícil, porque faço questão de assistir todos os jogos possíveis. Não, não fico só nos jogos do Brasil, pra mim Copa tem graça num jogão perdido de Grécia x Coréia do Sul. Em 2002 o melhor jogo da Copa, disparado, e um dos grandes jogos que eu vi na minha vida, foi Senegal e Suécia, por exemplo. E Copa dura só um mês e só tem a cada quatro anos. Portanto, não é isso que vai me matar ou acabar com as minhas corridinhas.

Falando em corridinhas, hoje o treininho foi um interessante "medidor" do meu atual estágio físico. 10km divididos em uma volta de 3km leve, uma volta de 3k + 1k mais fortes, e a última volta de 3k leve. Saí em tartarúguicos 17min10 para os primeiros 3k. O segundo 3k foi a 14min40, com muito esforço e ainda seguido de uma volta de 1km a 4min40 quase enfartando. A terceira volta de 3k foi leve, mas não tão leve quanto a primeira, em 16min30, completando os 10k em 53min cravados. Somado ao aquecimento, 11k no total. De tênis Nike Free 3.0. E foi bem legal reencontrar um pessoal que não via há tempos, como a Day, a Déia e a Edith, além de trocar impressões do Reino Unido com a Mari. Show de treino.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Tô na mídia?

Uia, numa tacada só falaram de mim em dois blogs que eu sigo... o do Harry e o da Runner's World, do Sérgio Xavier. Tô chique.

Musculation-tion!

Que estranho, tinha um DJ na academia hoje... por causa disso fiquei até meio constrangido de ligar o meu Ipod pra treinar, sei lá, achei que fosse ser uma desfeita com o cara, mas depois de escutar o nível das músicas, estilo eletronico tipo "house-remix-italiano", mas não aqueles dos anos 80 que pelo menos valem como nostalgia, e sim algo mais atual, liguei o iPod sem dó e fazia questão de tocar um "air guitar" na frente dele. Ok, não foi assim, mas deu vontade.

Aliás, vi lá hoje dois quarentões zoando um com o outro falando que fulano fazia "troca-troca" com ciclano quando eram moleques. A molecada de hoje ainda usa esse tipo de gíria? Uma pessoa na casa dos vinte e poucos anos sabe o que significa "troca-troca"? Putz, eu entender esse tipo de piada me fez me sentir muito velho, saí da academia me sentindo um Tio Sukita só pelo fato de ter entendido.

Bom, registro: musculação, série nova do Gabriel, alguns exercícios bem tranquilos, mas aquela porra de agachamento com recuo e peso nas costas é um inferno. As pernas tremem até agora. E tive cãimbra em um músculo do abdomen. Ô velhice!

sábado, 12 de junho de 2010

O dia dos namorados

Uma das grandes vantagens de se conhecer pessoas correndo e poder trocar boas idéias sobre a corrida. E isso não é só treinamento ou tratamento de lesões, etc. No blog Correria, da Runner´s World Brasil, um dos comentadores que ficou famoso foi o Daniel "Je t'aime", que teve a excelente idéia de escrever essa frase por meio do seu Garmin, em um treino nas Perdizes.

Idéia boa é pra copiar, né? Como eu não sou das Perdizes, mas da Saúde, fiz minha versão para a Alessandra, de dia dos Namorados:


E esse foi o meu treino de Sábado: uns 7km corridos em ritmo lento, uns 6m50/km. O trecho corrido nas letras deu 5,5km, mas teve a transição entre as letras e a volta ao carro... valeu Daniel!!!

sexta-feira, 11 de junho de 2010

SPFW 2

Agora eu quero mandar a São Paulo Fashion Week à merda. Ô canseira pra chegar no Ibirapuera nessa quinta!!! Acabei treinando meio frio, meio irritado, mas depois de correr, como sempre, tudo ficou melhor. 

Treino ainda readaptativo, 10km intercalando quilômetro fraco, quilômetro um pouco mais forte. Sem exageros, mas com uma sensação meio chatinha de cansaço (sei lá, acho que não dormi direito de quarta pra quinta, também tive que fazer um bate-volta chato e inútil até São Vicente), fiz os 10km em 53min. Cravadinhos. No Nike Equalon 3 que, mais uma vez, tava arranhando o pé. Acho que esse aí não vai dar mesmo para adotar como tênis de corrida... uma pena, mas pelo menos é bonito e paguei baratinho nele, numa promoção do Outlet (ou seja, promoção ao quadrado!).


terça-feira, 8 de junho de 2010

SPFW

Toda vez que rola São Paulo Fashion Week na Bienal o Ibirapuera fica um inferno. O estacionamento, especificamente, fica um horror, não só porque fica lotado, mas também porque é inundado por um mundo de pessoas que não sabem se locomover direito nas vias de acesso ao Ibirapuera e andam de carro bem devagar, perdidas, pedindo informações sobre o lado para o qual devem ir.

Além disso é estranho ver um pessoal te olhando como se você fosse um ET só porque está correndo no parque... para essas pessoas, o Ibirapuera é uma entidade onde de vez em quando rola "o" seu evento de moda e os frequentadores habituais do parque são intrusos sem nenhum charme e de péssimo gosto para roupas, cafonérrimos... e que ainda ficam suados, que nojo!

O interessante é que nem era para eu falando sobre isso, já que achei na pura sorte uma vaga fácil. Além disso, por causa do frio, o Parque estava substancialmente mais vazio e não vi nenhum desses ETs fashion (se eles me acham um ET eu também acho isso deles) me medindo de cima pra baixo, como vive acontecendo em outras SPFW. Mas é que só de lembrar... 

Bão, o que interessa é que rodei tranquilinho uns 9km hoje. 10min leve pra começar, depois 4 séries de 6 minutos progressivos e 4 minutos leves, totalizando 50 minutos. Tirando a lembrança constante da carne ensopada do meu almoço, foi sossegado. Tênis Mizuno Nirvana.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Perdi o rumo

Um mês longe da academia onde puxo ferro e tava todo perdido. Cadê a cadeira abdutora? Porra, tiraram o peck deck desse canto? Caramba, onde botaram a remada? Nem a bolona do abdominal eu tava achando...

Pior é chegar no meio treino já quebrado. Quem disse que eu conseguia fazer a isometria do lombar? Mas, enfim, musculação voltando e tenho que pegar sério, pra fortalecer bem as pernas e proteger o joelhinho.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

GP Runners 2010

A GP Runners é uma prova que a revista Runner´s World resolveu organizar juntamente com o Quatro Rodas Experience, aproveitando a disponibilidade do autódromo de Interlagos. Algumas questões da prova havia sido apresentadas e discutidas pelo editor Sérgio Xavier no blog da revista e bem recebidas pelos corredores que gostam de passar por lá. 

Eu não iria fazer essa prova, apesar de ter dado o meu pitaco, por conta da distância da prova (5 e 10k) e porque estaria voltando de férias, fora de forma... pra não falar no joelho baleado. E ainda iria ser no feriado! No entanto, participando de uma promoção por lá acabei ganhando a inscrição. E como tudo conspirava a favor, nesta semana consegui treinar sem sentir dores e não viajei no feriadão. E eu sempre tive vontade de corrr em Interlagos, mas nunca tinha casado a oportunidade com a vontade. Agora deu.

Basicamente, como o circuito tem 4,3km, para as duas voltas de prova darem 10km seria necessária uma "extensão" do circuito, o que foi feito com os corredores fazendo a antiga curva do sol, entrando na antiga reta oposta, e então voltando para cair no "S" do Senna. Com essa adição e mantido o resto do circuito, tínhamos um percurso exato de 5km. 

Bom, correr em Interlagos é uma coisa. Laranjinha, descida do lago, Curva do Sol, Junção, Bico de pato, tudo isso faz parte do imaginário de quem sempre gostou do circuito. E fazendo-o a pé dá para entender como a pista pode ser considerada tão seletiva. É sobe, desce, curva aberta, curva fechada, curva em "s", freada forte, duas retas longas, é realmente um dos melhores circuitos do mundo, mesmo sendo tão antigo. E pelo menos na segunda volta eu fiz todas as tangências...

No entanto, é um circuito para carros. Nas curvas, portanto, há inclinação para dentro. E para fazer aquilo a pé, nem sempre estamos na melhor postura. Na curva do sol, a inclinação lateral chegava a incomodar bastante. 


E nas subidas, dá pra imaginar também o que as Minardi sofriam pra subir a Junção... eu, como Minardi entre os corredores, senti bastante a inclinação:


De qualquer maneira, embora o tempo de 55min07s para os 10km não tenha sido grande coisa (não só porque eu perdi muito tempo tirando foto, mas também porque a forma física não tá lá essas coisas, em especial para uma corrida como essa, mais exigente), foi legal, além de ter tido a oportunidade de conhecer algumas das pessoas que tão sempre por lá no Blog Correria da Runner´s World.


O evento foi muito bem organizado. Hidratação à beça, muito posto de água e gatorade para uma prova curta. Ajuda o fato de ser em circuito, mas água já no 1º km?? Sò tinha visto no Desafio Tribuna Mata Atlântica, aquela corrida que sobe a Estrada Velha de Santos. Lá são 7,5 e 7 postos, mas só com água! Aqui era diferente, a cada volta tinha uns 4 postos, dois com gatorade, dois com água, se eu não perdi as contas... ou seja, acho que eram 08 postos para 10 km! Camiseta legal, medalha legal, e acesso ao QRX ainda vazio, sem muvuca... show para uma sexta que prometia ser modorrenta!

Em tempo: tem que registrar também ter encontrado (sem foto) o Marcelo Jacoto, "velho" companheiro da Maratona de Amsterdã, e que tava "relaxando" nos 05 km, depois de ter feito o K42 em Bombinhas.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Saudades do Ibira

Poxa... fazia tempo que não ia no Ibira. Um mês e parece que abandonei há séculos o meu local de treinos mais comum! Hoje apareci lá, cantando "O portão" do Roberto Carlos ("eu voltei, voltei para ficar...")

Como volto de férias e meu joelho ainda é uma incógnita, apesar de ter feito alguns treinos sem dor, retorno à base de rodagem livre, em 50 minutos. E não é que me animei? Sai correndo confortavelmente a 5min20/km e fui baixando, baixando... fechei os 50min com inexatos (com base nas voltas inexatas do Ibira) 10km. Não foi nada mal. Joelho não doeu, apenas senti os músculos meio travados, especialmente o quadríceps e vasto medial da perna esquerda (a do joelho lesionado). Duro foi o frio...

11k rodados, somando com o km de aquecimento. E usando o Nike Free 3.0, que é levíssimo e super confortável, mas que não me deu segurança para treinos um pouco mais longos. Bom para tiros, intervalados fortes...

Resumo do mês - Maio/2010

Com as férias e a contusão no joelho, foi um mês fraco em números...

37 km corridos em treino.
2 séries de musculação
1 corrida de aventura.