sexta-feira, 29 de março de 2013

Ultramaratona 50 milhas Campinas - 2013

Lá fui eu pra Ultra 50 milhas de Campinas. A estratégia era simples: ir devagar no começo e me preservar para aguentar firme a segunda metade da prova, sabendo que as piores subidas estariam entre o 20º e o 60º km e prevendo a possibilidade de bastante calor, algo comum na região.

Prova bastante "corrível", na maior parte do tempo em estrada de terra (99,8% estrada de terra, 0,1% asfalto, 0,1% single track) e dá pra fazer em umas 10, 11 horas. O problema é que eu não acordei bem e logo que comecei a correr senti um calor excessivo, batimento cardíaco muito alto pro ritmo leve que vinha mantendo. A primeira urinada indicou o problema: mijei coca-cola, urina escura, os rins estavam meio ruins, sei lá porque. Não estava me sentindo 100%, mas não tinha nenhum problema maior, só que a prudência me fez diminuir ainda mais o ritmo (de leve para mais leve ainda). Pior, o pé direito doía muito no dedão e por causa desse problema no rim, eu não tomei nenhum remédio, nenhum antinflamatório.

A "sorte" (na verdade azar dele) era que o Gustavo Abade também não estava bem por causa do resfriado dele e fomos os dois, junto com um outro atleta do Branca, André Zumzum nessa toada levíssima. Algum alívio veio no posto do km 32, onde deu pra tomar uma ducha e beber uma coca-cola, além de encher a cara de isotônico e água de coco, mas mesmo assim ainda me sentia com calor. A temperatura não estava alta (no máximo, 29 graus), mas tava muito abafado. Mesmo assim a estratégia de se poupar tava dando algum resultado e a urina tava saindo mais clara, embora pouca.


O Gustavo abandonou rapidinho os bastões...
No posto de retorno, km 41, uma decepção: não tinha água. Voltamos praguejando, mas 2 km mais adiante, possivelmente avisado pelo pessoal, o organizador da prova, o Fernando Nogueira, apareceu de carro com o líquido salvador. A partir daí o Gustavo, já se sentindo melhor, e o Zumzum, que tava inteiraço, seguiram mais forte. Eu continuei na minha toada, até porque embora a urina indicasse melhora, continuava sentindo muito calor. Entre o 43 e o próximo posto, no 59ºkm, gastei minha água inteira molhando o corpo.

O posto móvel salvador!!!
Nesse posto, o último, até cogitei parar. Pior, as nuvens no céu indicavam chuva. Mas nesse posto encontrei o Gustavo e o Zumzum, descansando há quase 12 minutos, e achei que a possibilidade de a temperatura baixar fosse me ajudar. De fato, não deu 2 minutos e começou a pingar. Reabasteci e saí. 500m adiante cai um temporal daqueles, e o calor virou frio. Dava até medo, de tanto raio e trovão Trotava pra tentar me manter aquecido. Mas passei a me sentir bem, o organismo voltou a reagir!! A sorte é que apesar da água, na maior parte do tempo a estrada de terra aguentou firme e não virou lama. No máximo, uma água empoçada até a canela, uns rios de lama descendo, mas nada que fosse absurdo. Quando as piores subidas da volta passaram, deu pra desenvolver uma velocidade até boa. No 66ºkm, quando vinha numa descida a 5min/km, mesmo com o pé doendo pra cacete, encontro o Casal Coyote, Cynthia e Oswaldo. Aleluia!!

Eles, em dupla, já tinham terminado e voltaram pra dar um help pros amigos que ainda estavam na prova. Gatorade salvador, água deliciosa e eu até cheguei a pensar que daria pra chegar ainda de dia. Eles ainda me deram mais um help no 72ºkm. Ali eram 11 horas de prova e faltavam 08km. No ritmo que eu estava daria pra fazer abaixo de 12? Cheguei a pensar nisso, mas aí começou a escurecer. Quer me sacanear? Me coloque pra correr de noite, na chuva e com um piso irregular. Eu sou cego à noite!! Diminui muito o ritmo, até porque headlamp e boné (obrigatório para não molhar os óculos) não combinam. E no que diminuí, os músculos esfriaram e começaram a doer muito.

Bom, era só terminar então fui pianinho. A 3km da chegada encontro o portão de entrada do canavial e ali o piso tava ruim. A terra virou barro, escorregava na subida... o pequeno trecho de single track não foi melhor, tinha umas descidinhas onde não conseguia ficar em pé. Mas tava muito perto. Saio no asfalto, contorno a Decathlon (e lógico que tinha subida nessa hora... ai minhas pernas!!) e chego, mancando, todo torto, 13h12m55s de tempo oficial e mais de 2 horas pra fazer os 08 km finais!!

quinta-feira, 14 de março de 2013

Lapidação ou polimento...

Não importa o nome, após um fevereiro duro, os últimos treinos de março foram de manutenção do preparo obtido. Em duas semanas, o negócio era administrar e tomar cuidado com lesões, especialmente o tendão de aquiles direito, um pouquinho dolorido.

No sábado 02, treino USP-Villa-Lobos-Boaçava, com caixa de areia, subida... os 25km em 3 horas não refletiram o esforço feito, bem alto, com o Nike Flex Trail. No domingo, mais 3h15 e 24km, levinho, só rodando e acumulando volume, de novo com o Flex Trail. Na terça, até por conta da chuva, bati 09km ritmado, em 44 minutos (Nike Free). E na quinta, fechando a semana, 6 tiros de 1,5km, começando com  o primeiro a 7min44s e terminando o último a 6min20s, somando 10k no total, com o aquecimento (Mizuno LSD). A última série de musculação foi na quarta.

O último longo foi mais tranquilo, 3h20, rodando 27km na USP, com bastante subida (07 biologias, 4 físicas), calçando o Flex Trail, que provavelmente será o tênis da prova. Finalmente tive um domingo livre, o que permitiu treinar na segunda um rodado de 10km em uns 53 minutos, de Sketchers, na chuva. E o último treino foi uma rodagem bem leve, aqui nas ruas do bairro mesmo, de Nike Free, coisa de 5km em 35 minutos. Pronto! Agora é descansar pros 80km de sábado!!


quarta-feira, 13 de março de 2013

Resumo do mês - fevereiro/2013

285,5km rodados em 13 treinos
6 séries de musculação

Maior rodagem mensal desde que comecei a registrar isto no blog, média de quase 22km por treino!

sábado, 2 de março de 2013

Fervereiro

Fevereiro ferveu. Sol, chuva, umidade, o radiador aqui várias vezes deu sinal de que ia ferver. Mas a carroça ainda tá rodando, vamulá...

Após os seis parques, fiz os meus treinos de qualidade da semana sem sentir muito, exceto um pouco o tendão de aquiles direito, em constante manutenção na Fisiorun. Terça foi uma puxada de 15 tiros de 400m, com descanso ativo de 1 minuto. Na falta de uma marcação decente, converti o treino para tiros de 1m30. Saiu bem, ritmei, com o aquecimento e rodagem desaceleradora no final deu 10k, de Skechers. Na quinta, foram 12 tiros de 1000m, também com descanso de 1 minuto (desta vez parado). Ritmado também, começando a 4min40/km e terminando a 4min20/km. Somado o aquecimeno, 13k, de Nike Free. Na quarta e na sexta segui minhas religiosas séries de musculação e no final de semana tava esgotado, perfeito pra fazer uns longos...

No sábado fui com a expectativa de uma rodagem lenta, mas o coach Lopez deu uma alterada no treino (até porque eu tinha um almoço de família). Acabei fazendo 30k em 3horas, na volta de 10k da USP. Considerando que nas 3 ramponas da Biologia andei, o ritmo médio na fase corrida até que foi bem razoável, em especial porque tava com a mochila bem pesada nas costas, além de estrear o Nike Flex Trail, depois dos Alvord me darem dor no tendão. É um tênis trail bem leve, flexivel e baixo, com cravos leves, ótimo para correr em estrada de terra, com menor demanda por grip. 

Duro foi acordar no domingo pra fazer 06 horas de treino, meio dolorido do puxado no sábado. Rodei num ritmo beem mais lento e como estava com "insegurança entérica", resolvi ir para um lugar com estrutura banheiral: o Ibira. Mas como precisava fazer subidas, fiquei rodando bastante nas rampas da Bienal. Basicamente foram 69 rampas, de todos os jeitos: subindo correndo e descendo andando, subindo andando e descendo correndo, subindo forte, descendo forte, alternando e até 2 delas de costas (a 33ª e a 66ª). 2 litros de água de coco nesse fervereiro quente e sem o acontecimento intestinal, voltei pra casa, lentinho, com 36 km registrados no Garmin, um dado pouco confiável já que a leitura ali é bem ruim. Deve ter sido mais. De qualquer sorte, se a rampa tiver no total uns 15 metros, dá mais de 1.000m de desnível. Nada mal.

Por fim, e pra fechar fevereiro, os dois treinos de qualidade na semana. Esses foram sofridos, o corpo tá meio implodido. Na terça, sob uma chuva intensa, 09km num ritmo que começou forte com o pessoal, mas que depois... fiquei pra trás mesmo, senti (Nike Free). Na quinta, 20 tiros de 200m, com recuperação ativa de 45 segundos. Mais uma vez sem marcação, fiz 45seg de tiro, 45seg de pausa. Com os 20 minutos de aquecimento e 10 de desaceleração, 10,5km, de Skechers. E tive uma sessãozinha de musculação na quarta ainda, pra fechar fervereiro.