terça-feira, 3 de maio de 2011

Leptospirose e longuinho

Quinta-feira, noite, chuva, frio... e os malucos lá pra treinar. Uns num horário, outros no outro e eu premiado com um treininho leve com a Grazi e o Gabriel. 1 hora em fartlek com a seguinte divisão: 10 minutos rodando pra aquecer e outras 5 séries de 10 minutos com 08 minutos em progressão (a cada 2 minutos subindo o ritmo) e 02 minutos de trote. Com o Gabriel e com a Grazi, evidentemente não teve moleza. O trote até ia, mas quando começava a série, a progressão ia do forte ao violento. Mesmo com os 10 minutos de rodagem, fizemos praticamente 12 km. Logicamente o tempo que "perdemos" nesse aquecimento compensamos na rodagem. Apesar da chuva, tava fácil rodar, frio, parque vazio, o ritmo subia mesmo, sem dó. Pena que foi a primeira molhada no meu Mizuno Nirvana novo...
E depois do treino, naquela conversa em que tá todo mundo raciocinando menos, quase delirando, rolou um papo com fixação em ratos, gambás, quatis, capivaras e leptospirose... não dá muito pra entender, mas o fato é que de todas espécies animais que povoam o Ibirapuera à noite, a mais estranha é a humana mesmo...

Na sexta, mais um treino de musculação doloridoso...agacha, levanta, abaixa, sobe...

Para fechar o mês, longo de 2hs na USP no sábado. Longuinho, na verdade, perto dos outros... uma semana para Salta, o treino é mais descanso do que outra coisa. Foi um treino leve, de muita conversa com a Edith, o Alê, o Jacó e por um breve momento, o Chicão. Velha guarda da Trilopez, todo mundo de mochilinha de hidratação, indo e voltando da Biologia pro Bosque, do Bosque pra Biologia... pra mim foram 20 km (Saucony Glide). Mas os outros rodaram de 3 a 5hs... e sem direito ao churrascão no Mário de tarde. Mas isso é outra história.

Nenhum comentário: