quinta-feira, 13 de junho de 2019

10 km da Tribuna

Era uma completa vergonha que eu, com mais de 15 anos de corrida nas costas, nunca tenha corrido antes a Tribuna 10km, a mais importante e rápida prova de 10km do país. Uma vergonha!! E por que isso não tinha ocorrido antes? Porque a partir de 2007, quando eu comecei a focar em provas longas, as provas de 10km dificilmente encaixavam nos meus treinos, já que eu geralmente estava fazendo longos muito maiores nos finais de semana nessa época do ano. Tanto que dessa época para cá, as poucas provas de 10km que fiz geralmente ocorreram no final do ano, ou em momentos em que eu estava voltando de ciclos de treinos, férias etc.

Em 2007, justamente após minha estreia em maratonas eu corri uma prova da Corpore, a Nike 10k e mesmo sem compromisso, por estar ainda aproveitando o hipertreinamento da maratona, fiz o meu melhor tempo na época, de 48m e uns quebrados. E desde então nunca mais tinha baixado essa marca, que era totalmente incompatível com os meus tempos em outras provas. Eu, inclusive, já tinha feito 10km melhores durante provas mais longas, como a meia-maratona na Colúmbia Britânica onde fiz o meu melhor tempo de meias. Mas nunca numa prova de 10km.

Aí neste ano, uma vez realizada a maratona de Montevidéu, vi que dava para fazer a Tribuna, finalmente. E fui para a prova. Não, não treinei direito depois da maratona, apenas dei umas rodadinhas e mantive estímulos. Mas como estava ainda me beneficiando dos efeitos do treinamento da maratona (que não foi bom, mas foi um treinamento para maratona, né?), e não tinha engordado muito depois disso, acabei me dando bem.

Nem fui para a prova com a intenção de fazer tempo. Primeiro porque ainda estava voltando de uma "ite" (rinite, sinusite) de outono que tinha me pegado bem, ainda tossindo um pouco (aliás, na Wings For Life ano passado, na mesma época, a mesma coisa tinha me acontecido). Segundo, porque haviam me dito que era uma prova muito cheia, tipo São Silvestre, onde seria muito difícil desenvolver ritmo. E, de fato, a prova é cheia, mas tem largadas escalonadas e muitas das pessoas que realmente vão lá só para participar largam nos pelotões mais atrás. E eu larguei em um pelotão de corredores mesmo, ainda que isso admitisse corredores de vários níveis. Passamos pelo portão de largada com pouco tempo, mais ou menos uns 3 minutos e logo que começamos a correr, percebi que tinha pista relativamente livre. Ziguezague aqui, ziguezague ali, dava para ir costurando sem perder tempo e comecei a desenvolver a corrida.



Corria só na sensação de esforço, até mesmo porque nem fui com relógio, de tão desencanado que estava. Mas o fato é que a prova é rápida, os quilômetros passavam rapidamente e à medida que ia progredindo e alcançando corredores de minha categoria, era menos necessário ziguezaguear para ultrapassar. Mesmo tendo parado no km 09 para tossir - e foi uma bela tosse, tive que parar mesmo, respirar um pouco porque quase botei os bofes pra fora - fechei a prova rapidamente. O tempo? Não tinha ideia, algo entre 45 e 50 minutos. Afinal, estava sem relógio...

A confirmação só veio mais tarde, 46m46s. Não é um temporal, mas pelo menos finalmente baixei meu RP nos 10km, depois de 12 anos! Mas se eu soubesse que estava tão perto de largar na Elite B (sub-46), acho que dava pra ter ido buscar esse tempo...


Nenhum comentário: