terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Meia Maratona Internacional de SP

Essa é a "meia da Yescom", ou a meia com calor aqui de São Paulo. Porque rola em fevereiro, um mês geralmente muito quente e costuma ser a primeira prova de longa distância de SP. Por isso muita gente a utiliza como base de treinamento, como teste para as maratonas da primavera no hemisfério norte e poucos correm realmente forte, tentando baixar tempo, já que a maior parte dos corredores ainda está tentando acertar o peso depois das festas de fim de ano.

Lógico que eu não sou sou diferente. Sim, ela entrou no ciclo de treinamento para a próxima maratona e sim, estou gordaço e meio cansado por causa das festas de dinal de ano. Por isso fui pra prova só para treinar mesmo, com expectativa zero em relação a qualquer tempo.

O problema é que no final da tarde de sábado comecei a passar mal, estômago enjoado, gases... acho que deve ter sido um efeito da panqueca com doce de leite que comi no almoço sem usar o remedinho para a lactose e... enfim, nem jantei de tão zoado. E no dia seguinte tava um pouco melhor, mais ainda meio esquisito, meio inchado, sei lá.

Já larguei lentinho. Ao contrário do que achei, não precisei visitar o banheiro. Mas toda hora rolava uma náusea, um embrulho que passava quando eu dava uma arrotadinha. Foi um nauseatlek, toda hora variando ritmo. Isso se juntou ao cansaço de uma noite mal-dormida e acordando muito cedo e foi me deixando ainda mais lento...

A temperatura até não tava ruim, ao contrário do que costuma acontecer nesse época do ano, não teve sol. Mas o ar estava muito úmido, estamos numa fase de chuvas em São Paulo, então respirar já dava um suadouro! 

Enfim, cumpri tabela. Fiz um tempo lento de 2h01, mais lento até que o meu último treino longo que já foi bem lentinho, mas até razoável se considerar que por várias vezes pensei em parar para chamar o ugo...



Nenhum comentário: