sexta-feira, 23 de julho de 2010

Ontem

Não me iludo com a data do post: o treino foi ontem. Ontem eu fui pro Ibira, vi as luzes acendendo e apagando aleatoriamente, o que me faz achar que eu perdi os meus superpoderes (ou que a manutenção da iluminação do Ibirapuera tá realmente uma bosta). Também fiz um circuito que agravou minhas dores na lombar e fez voltar a ter dor no punho. E desse jeito capengão, fiz uma rodagem de 45 minutos onde ora eu corria bem e forte, ora eu travava as costas. Na corrida não doía, mas eu simplesmente sentia as costas pesarem e a corrida não fluía. E aí desaparecia do nada. E voltava. Nesse trota-corre fiz uns 07km, que somado ao aquecimento deu 08km. Não foi um bom dia. Nike Free 3.0

4 comentários:

satrijoe disse...

Conforme extensamente discutido no Facebook, o negócio é tomar biotônico com batatas fritas e colocar uma cinta holográfica em volta da área afetada. É mais queda que tiro!

Abs,
Shigueo

Ricardo Nishizaki disse...

Hoje, sábado, o Charles fez uns testes comigo e esse negócio. Não fez a menor diferença, continuei desequilibrado e duro. Mas os testes feitos com o pessoal acusaram mais equilíbrio e flexibilidade mesmo. Bom, talvez ANTES do treino funcione, porque depois de 19km eu tava desequilibrando até com o ventinho que batia no parque...

Eu canto no chuveiro disse...

Nishi, nem sei mais como eu vim parar aqui no seu blog, só sei que estou me divertindo! Sabe que eu sempre tive a impressão de que a lâmpada se apaga quando eu passo? kkk

Ricardo Nishizaki disse...

Deve ser porque eu também cante no chuveiro. Sei lá, a acústica, o chuveirinho que parece microfone (exceto quando eu aperto o botãozinho que faz sair água, mas eu canto melhor de boca cheia d'água), ou a liberdade de cantar pelado. Já tentei cantar vestido no chuveiro e não foi a mesma coisa. Também já tentei canter pelado fora do chuveiro, tipo, na rua, e também não foi a mesma coisa, pessoas jogavam coisas em mim. Enfim, sei lá o que acontece com pessoas que correm e cantam no chuveiro, mas pelo menos a luz nunca se apagou no meu banheiro quando eu cantava. Isso deve ser bom, acho.