sábado, 16 de outubro de 2010

O corredor vaca

Mais um treino de final de semana no Ibirapuera e mais um tipo de corredor típico de parque aos finais de semana: o corredor vaca. Esse é aquele que corre com chave pendurada no calção ou no bolso e sai correndo como se fosse uma vaca com um guizo preso no pescoço. Ti-lim, ti-lim, ti-lim...

Isso não rola tanto na USP. Por que? Imagino que porque nos sabadões da USP, um percentual bem alto de corredores treina com assessoria e deixa a chave do carro com os treinadores. Aliás, a chave do carro, por si só, faz menos barulho porque é revestida de plástico ou borracha na cabeça, o que nem sempre acontece com chgaves comuns. E na USP, quem não treina com assessoria, costuma ser corredores mais experientes, que já arranjaram algum jeito de acomodar chaves de uma forma não barulhenta, seja usando pochetes, seja carregando o mínimo necessário.

Já no Ibirapuera, parque muito central, onde muita gente mora perto e onde muita gente vai correr recreativamente só aos finais de semana, é normal ver o corredor-vaca. É o cara que mora lá perto e vem correndo de casa, é o cara que corre de vez em quando e nunca se preocupou em comprar um porta-chaves uma pochete ou algo do tipo... muitos dos corredores-vacas fazem biquinho pra expirar também. E invariavalmente são corredores que trotam ou correm devagar, já que a corrida é um lazer e não um fim em si. 

E eu, que fiquei um bom tempo travado atrás de um rebanho de corredores-vacas na volta da cerca, treinei mal pra burro hoje. Não sei porque, talvez por conta da umidade elevada e a temperatura mais quente do que em outros dias, já comecei correndo a 5min30/km, um ritmo absolutamente confortável para mim, a 165 bpm! 15 a mais do que a minha média... lógico que com isso acabei cansando rapidamente. Aliás, mesmo a 5min30/km, tava meio esquisito, pesado... acontece! Outro problema é o fato de eu estar começando a usar um tênis novo, já que o Saucony dos longos já tava empacotado na mala para a viagem de hoje. O Nike Structure Triax, muito novinho, começou a me incomodar nas pisadas, especialmente no pé esquerdo. Estranho, porque já é o meu quarto modelo desse tênis e ele sempre foi um calçado que se adaptava instantaneamente ao meu pé. Não sei se mudou alguma coisa de uma série para a outra (esse é o 11), mas não ficou legal nesse treino. Junta tudo e dos 18km previstos, rodei só 14km, 1h19 mais ou menos. Ritmo de uns 5min40/km, muito mais pelo começo que foi mais forte, do que o final, onde 6min/km já tava difícil....

Desconto que no último longão rodei 06km a mais. Treino bom, treino ruim... bom, o próximo longo é a própria Maratona de Bilbao. Depois de treino ruim vem treino bom, né? Tomara... vou pra prova sem muita expectativa. Simplesmente vou correr e ver o que acontece. Se estiver bem, marco o ritmo e vejo no que vai dar. Afinal, ainda estou num ano tranquilo, recuperação de 2009 que foi muito puxado. Será só a terceira prova longa do ano, então tô bem menos acelerado do que no ano passado.

3 comentários:

Yeda disse...

Isto foi post do blog de correria e sempre que vejo um cara correndo com moeda, chave e tudo mais balançando lembro do post... Eu corro com chave do carro, mas so ela e não faz barulho nenhum. Boa sorte em Bilbao e não esqueça de se divertir.

Éber Valentim disse...

Correr por perto dessas vacas
nunca é agradável,ehehe...
eu não passo muito por isso,
pois na maioria das vezes estou
com o mp3 bem alto,então não
escuto esse tipo de coisa,ehhehe...
Qnto ao seu structure triax,
oque eu posso dizer é que é um
ótimo tênis,e com ele faço vários
treinos longos.
é isso aê,até mais,Éber!

Frotinha disse...

Aê, Nishi... Bilbao, hein? Muito loco, nenhum idioma funciona lá... hehe. Boa prova, e vê se aparece lá no Correria. Estamos sentindo a falta dos seus pitacos. Abraço.