sábado, 5 de março de 2011

Ziriguindum, puf puf.

Carnaval... eu não sou um folião de primeira, não sou chegado num samba, e embora goste de festa, ando mais do que tranquilo, depois de casar com o meu personal bichinho preguiça. Como estou em plantão telefônico no trabalho e o meu bichinho preguiça está em plantão internético, nenhuma viagem. Pelo trânsito das estradas e pela chuva, nem foi tão ruim, tô precisando relaxar um pouco.

Relaxar do trabalho, é claro. Porque na corrida, os treinos são necessários. Estou inscrito no´s Trilhos do Amourol, prova de trail no interior de Portugal, de 39 km, altimetria não muito agressiva, promessa de lindas paisagens e boa preparção para a prova-alvo desse semestre, que é a North Face Endurance Challenge de Salta, na Argentina, na versão 50k. Espero conseguir fazer algumas maratonas brasileiras também, apenas por treino, para outra prova que pretendo fazer, que é o K42 de Bombinhas. Só mato nesse começo de ano. Ainda mais com a inscrição também já feita na primeira etapa do Paulista de Corridas de Montanha, em Paranapiacaba.

Por isso, o treino de quinta, que foi dureza. Primeiro, um trote coletivo de 40 minutos aleatório nas alamedas do Ibira, entremeado por intervalos regulares para atividades de circuito. Um porre. Dói, cansa, mas deve ser bom. Nesse pára e vai, devem ter sido uns 4,5km, pelo Nishômetro (ou seja, chute). Depois, 3 séries de fartlek mais pesado. 3 minutos médios, 3 minutos fortes, 2 minutos fortíssimos, acima do L2 (ou no VO2, na terminologia trilopeana) e 2 minutos trotando no descanso. O problema é que os intermediários eu fiz seguindo Diego, Paulo Elias, Fernando e Ronaldo. Então não teve nada de intermediário, já estavam fortes pra mim. E o tiro de 2min em VO2 então... foi um inferno, me quebrei todo. Nesses 30 minutos foram uns 6 km, também no Nishômetro.

Sexta, musculação. Apesar do cansaço, tô aumentando peso. E no sábado de Carnaval, esquindô, esquindô, olele, fugi do treino no Villa Lobos (tinha teste de 5km...) e fui rodar sozinho no bairro. Foram umas 6 Osvaldo Aranha, fora a ladeira da Bosque da Saúde, pra chegar até lá. Sobe-desce constante, plano só na hora de atravessar a rua. 12,5km em 1h20, não é uma performance memorável, mas a idéia é menos intensidade nesses ladeirões (Nike Structure Triax novo)

E no carnaval tem mais treino...

Nenhum comentário: