sábado, 5 de novembro de 2011

Na média

O pós-treinão São Silvestre verdadeira foi sucedido por um treino de fartlek na quinta que eu, sinceramente, não achei que fosse fazer. Seriam 4 séries de 10 minutos, sem intervalo composta pela seguintes subdivisões: 2 minutos em ritmo médio-leve (5min15/km), 2 em ritmo médio (4min45/km), 2 em ritmo médio-forte (4min30/km) e os 4 minutos restantes trotando em recuperação. Duro seria correr rápido com a musculatura meio pesada pelos 15k do dia anterior. Mas saiu. Até melhor que eu esperava, já que o médio-forte saiu a 4min20/km, com uma sobrinha pra não ser considerado o mais rápido que poderia fazer. Com o aquecimento, foi um treino que consumiu 09km, usando o Asics.

O mesmo Asics seria testado no longo-curto do sabadão, na conturbada (mas pacífica, no momento do treino) USP, em 15km. O treino em si não metia medo, mas o problema foi um aquecimento com tiros em piques curtos e intensos em subida onde eu... passei do ponto. Fiz mais rápido que deveria, dei tudo, e me cansei demais, mais do que o normal. Saí pro treino me sentindo extremamente cansado e rodei a primeira volta de 7,5km com a Márcia, me arrastando a 6min/km. Mas aí, com o ritmo constante, a cor voltou e consegui puxar a segunda volta para um rirmo médio abaixo de 5min15/km, fechando tudo mais ou menos em 1h24, 5min35/km de pace. Nem tão lento como o treino do sábado passado, nem tão rápido como o do retrasado. Na média. E possivelmente cada vez mais próximo da minha capacidade real atual. E o treino acabou com algumas bolhas nos pés, que não incomodaram tanto. Mas que preocupam...

Nenhum comentário: