domingo, 25 de março de 2012

12km Paranapiacaba 2012

Lama. Barro. Água barrenta. Mato, troncos, galhos, raízes e cipós. E pra ajudar, neblina. Paranapiacaba é assim. Mas tava pior neste ano por causa das chuvas fortes que caíram nos dias que antecederam a prova. Neste ano também tinha mais gente, as corridas de montanha estão fazendo sucesso e isso se reflete no calendário extenso, e no fim das inscrições de forma antecipada. Como no ano passado, fomos com uma baita delegação, liderada pelo Liédson do atletismo, o Prof. Paulinho Santana, louco pra conseguir mais um trofeuzinho. Dizer que o Brunetti, o Giglio, o Edélcio, o Ricardinho, a Dani Collagiovani, a Márcia e o Pastor estavam lá era chover no molhado, se hà lama, eles estão lá. Mas tinha estreante na lama (Lígia, Pacheco, Erika, Fernando, Rodrigo Mocotó), tinha corredora que ficou com o 4º lugar do ano passado atravessado na garganta (Priscila), gente que estava com saudade da lama (Grazi, Rosi, Fred,  Edith, Alê, Hugo), gente voltando (Frédson)...


Largamos e os 2,5km de pavimentação foram tranquilos. E decisivos, porque se ficar muito pra trás pega trânsito na trilha. Tentei forçar um pouco, rodei em alguns trechos a 4min15/km e entrei na trilha. No ano passado a pior parte vinha depois do rio e da cachoeira, num lugar onde o pessoal faz motocross. Entrei na trilha confiante em um ritmo razoável no single track e... blosh! Logo no início uma piscina de lama. O cara na minha frente já perdeu o tênis aí. Eu, quase, mas já tava até o joelho na lama. E outra. E outra. E depois de sair da lama, o tênis não tinha grip nenhum, escorregava demais. Quando tava limpando... blosh, de novo! E outra. E outra. Atravessa rio, "limpa" o tênis, e lama de novo. Fila abre, fila se desfaz e chegamos no rio. Sabia que eram uns 100 metros dentro do rio e depois saíamos pra subir a cachoeira. Só que neste ano, os 100 metros viraram um trecho enorme. Pelo menos uns 10 minutos chapinhando dentro da água barrenta, tropeçando em pedra e raízes encobertas, atravessando troncos na horizontal... pelo menos aquilo não é single track, mas cheguei a pensar que estava perdido, que tinha perdido a entrada e que ia acabar no Rio Tamanduateí...



Vale lembrar ainda que fui com os meus óculos especiais pra jogar basquete, por conta da segurança que dão, já que se fixam com elástico na cabeça. Idéia ótima exceto pelo fato de embaçarem o tempo inteiro. Além de tudo estava correndo meio cego, e a trilha não estava nem um pouco clara...



Então saímos do rio, pegamos outro trecho de trilha, mais piscinas de lama e a cachoeira a ser escalada. Subi bem, mas no final da cachoeira um obstáculo de tronco que passei sei lá de que jeito (teve impulso de orelha e cheguei a assustar quando vi meu tornozelo do lado da minha orelha) e a pista de motocross. O problema é que cheguei lá já cansado. E o terreno ali não era mais lama, era barro vermelho bem escorregadio. Sensação de estar em cima de um chão de mármore cheio de óleo. Andei bastante ali, e percebi que estava cansado quando me vi andando no plano. Encontramos um pessoal do motocross ali tendo bastante problema com as motos nas voçorocas formadas pela chuva e pela própria erosão que seus pneus causavam. Agora também tinha piscina de barro vermelho, blosh, blosh. Fui indo desse jeito, até chegar, finalmente, na estrada. Ali dava pra desenvolver velocidade, até porque era plano ou descida, mas eu já não tinha mais perna.



Cheguei com 1h49minutos. Só pra comparar, 10 minutos a mais que no ano passado. E neste ano eu sei que estou melhor condicionado, embora cansado. E sujo, obviamente, muito sujo...



Competi com a Rose, pra ver quem estava mais sujo

Os pés


2 comentários:

Daniel Gonçalves disse...

Fala Nishi, tudo bem?

Realmente foi uma prova com vários agravantes, especialmente no trecho do lago (que foi aumentado), lembro que no ano passado não demorei tanto tempo para cruzá-lo. Consegui correr sem obstáculos "humanos", daí pude fazer uma prova consistente.

No ano passado fiz em 01h14min, ficando na 55ª posição geral e 9º na categoria 25-29 anos.

Neste ano fiz em 01h21min, ficando em 44º posição geral e 9º na categoria 18-29 anos.

Que venham os próximos desafios!

Abraço

Daniel Gonçalves
www.fanaticospormaratonas.blogspot.com

Ricardo Nishizaki disse...

Show, Daniel! Melhorou colocação geral e também a colocação relativa na categoria!!!