quinta-feira, 15 de novembro de 2012

November pain

E novembro começa com uma baita dor de garganta. Daquelas que não passam em um dia ou dois dias com um cataflanzinho básico. Foi laringite mesmo, inflamação virótica (segundo o médico) com febre e uma infernal tosse seca que não me deixou dormir. Praticamente duas semanas de molho, de 24 de outubro até 03 de novembro, sabadão em que arrisquei voltar de leve. Foram 12k constantes e tranquilos no Ibira, rodando a uns 5min40s/km de pace com o Nike Free. Fiquei com uma dorzinha no joelho e na tentativa de rodar bem levinho no domingo, acabei fazendo só 40min (uns 6k) na pracinha atrás do Carrefour Imigrantes (Mizuno LSD) até resolver que não valia a pena correr com dor. 

Na segunda-feira voltei à musculação, o que não deve ter sido muito bom pro joelho, já que na terça sofri pra fazer os 6 tiros de 1,5km com "descanso" na forma de exercícios. Variei muito meus ritmos, tinha volta que fazia a 6min30s (4min20s/km), teve volta que fiz a 7min45s (5min10s/km)... 9k pra conta, de Mizuno LSD, mas meio travado. Passei a quarta pra tentar recuperar a carcaça e na quinta fiz uma rodagem mais leve, 9k em fartlek (Asics GT-2160) na chuva. 

No curtão de sábado, rodei mais ou menos 13k em 1h35, subindo e descendo a Física e a Biologia 3 vezes, num ritmo tranquilo, com o Nike Free. Passei o final de semana meio estragado por outros motivos, mas na terça voltei pro ritmo normal, num fartlek de 9k com variações a cada 2 minutos, calçando o Mizuno LSD. Na quarta voltei à musculação (e às dores musculares, por óbvio). E nesta quinta rodei aqui perto de casa mesmo, 1h10 que devem ter resultado em mais ou menos 10k, subindo e descendo a Ribeiro Lacerda 4 vezes, com o pesado Asics GT-2160. As duas semanas parado fizeram um certo estrago, sinto na hora de correr...

4 comentários:

Yeda disse...

As corridas de longa distância pode baixar nossa resistência juntando com as viradas de tempo o resultado pode ser uma doença. Se cuide neste retorno para não ter recaída.

Yeda disse...

As corridas de longa distância pode baixar nossa resistência juntando com as viradas de tempo o resultado pode ser uma doença. Se cuide neste retorno para não ter recaída.

Anônimo disse...

Nossa! Olhei ali embaixo tudo o que fez em outubro e só de ler já me cansei! rs

Agora sério: caramba! Parabéns!

Vou ler seu blog desde o início para ver se encontro sua história sobre como tudo isso começou. Tenho certeza que servirá de inspiração para mim!

Renata
http://runrenata.blogspot.com.br/

Ricardo Nishizaki disse...

Yeda, a culpa foi da esposa. Sempre é.. rs... ela tava com dor de garganta e me passou, fazer o que. Não fui só eu, teve uma infestação desse virus chato por aí. Mas já passou. Renata, valeu, aos poucos a gente descobre qual é a nossa na corrida. Eu parti de uma corrida de 6km e um sonho de correr uma São Silvestre, hoje o currículo está maior. E vai crescer, longevidade é a minha principal intenção.