domingo, 9 de dezembro de 2012

Circuito dos Shoppings - Mooca Plaza Shopping 2012

Alguns de nós ganharam inscrição para fazer a corrida de inauguração do Circuito dos Shoppings BRMalls, que rolaria no Mooca Plaza Shopping. Sinceramente eu nem sabia que existia um shopping ali... ainda mais daquele tamanho. E aparentemente um belo shopping, moderno, bonito, com boas lojas e uma unidade do KFC, o frango mais calórico da humanidade. Gostava tanto do KFC que o meu campeonato de kart tinha esse nome...
 
Enfim, o fato é que iríamos correr 10 km por lá. Com direito a tenda VIP. Vários prêmios sorteados. E numa prova tranquila, sem ser lotada, mas sem ser vazia, o que tiraria a graça de uma provinha de 10km. Espero sucesso para os organizadores.
 
 
Como foi uma prova meio extra-calendário, não planejada, tava todo mundo meio correndo pra fazer número. Em plena forma, ali, só a Dalvinha e a Tereza. Fê Caiafa e Edith, de ressaca, eram o contraponto. Paulinho Elias eCarol tranquilos. Renato e Du Troise correndo "em casa". Nélson naquela empolgação de iniciante. E a Manu se coçando toda por ter pisado num formigueiro no dia anterior, na Integração Trilopez...
 
Eu? Bom, além de ter mandado um X-Bacon e um bauru especial, acompanhados de uma mega porção de Onion rings com maionese no Osnir, faz tempo que eu tô só na manutenção depois do desgaste de Buenos Aires. Pelo menos não tava quente, ensolarado. Só meio abafado, por causa da umidade excessiva.
 
Saí forte. Tão forte que a Edith reclamou que eu a quebrei. Mas o meu "forte" resultou, no primeiro quilômetro, num pace de... 5min/km! Oras... aquele esforço todo pra isso? No 2º km, a "quebrada" Edith me passou, mas realmente não abriu muito. No 5º km quem me passou foi a Dalva que quase pegou a Edith no final. A corrida era meio bizarra, a gente corria mais de um quilômetro num circuito intestino delgado dentro do estacionamento do shopping. Depois saía para as ruas da região, um lugar de velhas fàbricas e galpões, muitos desativados, e testemunhas da história do desenvolvimento paulistano do final do século XIX e início do século XX. Por fim, voltávamos ao vai-e-vem do estacionamento, num percurso plano e até rápido, embora com alguns cotovelos.
 
Como o número de corredores era pequeno, não rolava tumulto nos cotovelos e nem nos postos de água. Encontrei a Estelinha entre os líderes da prova, nos retornos, mas no km 07 uma pequena decepção. Ela tinha desistido, do lado da ambulância. Depois me contou que sentiu uma dorzinha num gânglio inflamado. Uma pena, premiação e pódio eram fáceis para ela, especialmente depois que vimos os tempos dos campeões. Encontrei também o Vicent Sobrinho, cobrindo a prova, correndo 5km de recuperação de suas lesões em sequência, e que teve a sorte de encontrar um pessoal correndo com a camiseta do Édson Bergara, como se fossem um Bergara team. Vamos ver o que rola na próxima matéria dele.
 
Enfim, fechei com 50 minutos cravados, acho (Mizuno LSD). Como o meu chip estourou no 3ºkm, tive que correr com ele na mão e passar abaixando nos postos de medição e controle (aliás, vários durante a prova, muito bom o controle). Algumas pessoas reclamaram que a prova tinha mais que 10km no GPS, mas com tanto cotovelo dentro do estacionamento, acho natural que tenha dado um pouco mais na distância medida. Além disso, era uma prova aferida pela Federação, como fizeram questão de frisar.
 
Ano fechado, última prova antes do fim do mundo!

Um comentário:

Jorge disse...

Aeee Nishi como é bom fechar a temporada correndo não é mesmo apesar do problema com o chip e depois da gastronomia vc mandou muito bem...parabéns...
Bom Natal e boas festas e que em 2013 Deus possa nos abençoar com muita saúde para corrermos muitos Kms.
Um abraço,

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.com