terça-feira, 1 de janeiro de 2013

A Sáo Silvest... a Corrida da Virada Joseense 2012

No almoço de final de ano veio a ideia. Correr a São Silvestre eu não iria mesmo, não iria pagar para ser mal-tratado e seria até incoerente reclamar tanto da organização da prova e depois simplesmente me inscrever e correr a prova deles, bovinamente. Adoro a São Silvestre, ela representa muito para mim, foi, inclusive, um dos motivos que me levaram a correr, mas desse jeito não dá. Se um dia melhorar, volto, sem dúvida alguma. Gostaria até de completar meus 10 anos de corrida em 2014 na SS. Mas pelo andar da carruagem...

Enfim, a ideia era correr a Corrida da Virada Joseense. Era, na verdade, a São Silvestre de São José dos Campos, mas a Fundação Cásper Líbero, numa atitude absolutamente antipática (pode até estar amparada juridicamente, mas é antipática e chata) notificou a organização da prova de São José e eles tiveram que trocar tudo o que fosse possível às pressas. A medalha e a camiseta já estavam prontas e ficaram com o nome do santo. Mas a corrida não poderia ser oficialmente chamada de São Silvestre. Então que fique Corrida da Virada. Contudo, para mim, "Corrida da Virada" era a própria São Silvestre desde que começaram a desvirtuar por completo a prova. Além disso, vale lembrar que o preço da inscrição de São José era de R$ 45,00, quase três vezes menos do que os R$ 120,00 da corrida famosa.

Lógico que não era para ser nada competitivo, até porque não foi nada planejado e os treinos vem sendo feitos bem nas coxas. Aliás, registro do treino de chuva da quinta, com 12km rodados, boa parte em trote na companhia da Day e suas histórias malucas (Asics Neo), e o treino de sábado de manhã, rodando de casa até o Ibira e voltando, mais uns 12 km (Mizuno LSD) também lentos, sofridos por causa do calor.

Enfim, dia 31 de dezembro, 4h20 da manhã e eu acordando, pra pegar o Alex e ir pra São José. A viagem foi tranquila e o bom papo deixou o sono pra trás, embora eu sentisse estar meio pregado. Chegar lá foi muito simples, tanto pelas boas informações prestadas pelo Fábio Namiuti, como tambem por ser um local de simples acesso. O estacionamento no local da largada, o clube Luso-Brasileiro, era de R$ 10,00, mas não foi cobrado. Chegamos cedo, retiramos o kit em mais ou menos 46 segundos (os dois, uma pequena diferença em relação à São Silvestre, não?) e encontramos o Fábio por lá. A corrida teve mais ou menos 1.000 participantes e parecia estar redondinha. Banheiros químicos em número mais do que suficiente para os corredores e acompanhantes e tudo bem informado. Além disso, apesar de ser uma prova muito menor que a SS, a simpatia e o clima de festa imperava.



Primeiro saiu o pessoal dos 5km. Com espaço de tempo suficiente e no horário, soltaram depois as handbikes e, por fim, o pessoal dos 15km. Apesar da festa, o pessoal não parecia estar pra brincadeira. Saí no fundão a 5min50/km e em menos de 500m estava entre os últimos. Epa! Deixa eu dar uma soltadinha aqui!! Comecei a acelerar aos poucos e acertar o meu ritmo para algo um pouco abaixo dos 5min/km, depois desse começo lento. O Alex já saiu forte, mas lá pelo 5ºkm eu o alcancei e  ele reclamou um pouco do calor. De fato, também achei que ia dar chuva, mas ao menos a hidratação estava mais do que adequada, a cada 3km.


Até o 10ºkm consegui manter os 5min/km. Aí, no retorno, quebrei. E os últimos 5 km foram meio complicados, bastante calor e a falta de preparo para esse ritmo, que já foi fácil pra mim... Fechei com 1h19min34s e logo a seguir a mensagem de SMS no meu celular confirmando o meu tempo. Que beleza, isso eu só tinha visto no exterior e na Golden Four! Premiado com uma bonita medalha de participação, esperei o Alex cruzar a linha, fomos para a hidratação pós-prova e... espumante para o final de ano! Ok, não era uma Veuve Cliquot, mas o organizador quis fazer esse agrado e conseguiu agradar!! Para uma hidratação mais adequada tinha também água de coco (e o coco verde sendo aberto na hora, o que justificava a fila de quase 5 minutos, onde a gente poderia se reabastecer de frutas). Também tinha piscina com água gelada para crioterapia, massagem, os resultados sendo divulgados rapidamente, um bom locutor... olha, se for pra reclamar de algo, talvez só do sistema de afixação do chip, o mesmo da Golden Four BH e que resultou em alguns chips soltos pelo caminho.



Saí de lá extremamente satisfeito. Ao contrário de outras provas, não me senti como se estivesse fazendo um favor por corrê-la. Ali eu era um verdadeiro e desejado participante, num lugar simpático onde todo mundo sabia que dava para festejar e correr forte (cada um no seu limite) ao mesmo tempo. Ao contrário da nossa SS, quase não existiam "aventureiros". Quem estava ali, queria correr forte e terminar o ano forte. E com esse espírito que 2012 terminou pra mim, um ano com bons e maus resultados, recordes pessoais na meia e na maratona, mas também a desistência da Mont-Blanc. Mas inteiro, sem lesões graves e pronto pra outro ano correndo!!

6 comentários:

Fábio Namiuti disse...

É isso, Nishi. Também tenho uma história com a São Silvestre dona do nome, ela é um capítulo inteiro do meu livro. Só tenho a lamentar, portanto, o que vem sendo feito com ela. E torcer para que ela, em algum momento, busque uma volta às origens, para que a gente também possa voltar...

Valeu pela sua presença e a do Alex aqui conosco. Parabéns pela sua participação e pelo relato. Abração e grandes corridas em 2013!

Alex disse...

Oi Nishi.
Valeu pela compania na agradável manhã. Muito bom o seu relato, só posso concordar.
A única coisa ruim foi o meu desempenho, bem abaixo do que gostaria, mas de acordo com os meus (não) treinos. Confesso que queria ter feito um tempo melhor, mas ainda assim valeu muito a pena ter ido correr em São José para terminar o ano fazendo o que gosto.
E obrigado pela compania e pelos papos. Até a próxima!

Alex disse...

Oi Nishi.
Valeu pela compania na agradável manhã. Muito bom o seu relato, só posso concordar.
A única coisa ruim foi o meu desempenho, bem abaixo do que gostaria, mas de acordo com os meus (não) treinos. Confesso que queria ter feito um tempo melhor, mas ainda assim valeu muito a pena ter ido correr em São José para terminar o ano fazendo o que gosto.
E obrigado pela compania e pelos papos. Até a próxima!

Anônimo disse...

Boa Noite Nishi. Também achei ótima a corrida em São José, poucos trechos planos para recuperar, mas faltou mais treino mesmo. Não encontro local para comparar resultados, você de algum site oficial da conometragem ou do chip?
Até, Marcio.

Anônimo disse...

Boa noite Nishi. Também achei ótima a corrida e a organização da mesma. Pena que quase nao tinha trechos planos para recuperar, mas faltou treino mesmo. Você de algum site para comparar os resultados? Não encontro resultados da corrida, tipo o site do chip ou cronometagem? Até, Marcio.

Ricardo Nishizaki disse...

Márcio, é o site da cronoserv (http://www.cronoserv.com.br/). Mas no site da prova (http://www.minhasinscricoes.com.br/corridaviradajoseense/2012/) você consegue, inclusive, o certificado de participação!