segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Desafio Castelhanos Topo 2007 - 24k

O Desafio Castelhanos foi a motivação para continuar treinando após a Maratona. Depois de ter feito o trecho de Castelhanos no revezamento, fiquei vidrado com aquela subida magnífica, nem tão íngreme, mas constante e que cruza um trecho de mata atlântica belíssimo por uma estrada de terra nem sempre regular.

Esse foi o primeiro desafio que a Corpore organizou com base em sua experiência em trechos difíceis do revezamento. Foi uma prova piloto, realizada em um final de semana de julho, com estrutura própria e não vinculada à prova de revezamento. Por isso, os poucos corredores que se inscreveram, não mais do que 100, se sentiram verdadeiros vips, já que provavelmente havia mais gente no staff do que correndo.

A prova foi extremamente bem organizada, um capricho que a Corpore iria repetir nos anos seguintes. Eu não tinha condições físicas de fazer a corrida inteira, que iria até a praia de Castelhanos, em um total de 44k, então fiquei mesmo pelos 24k, o que já era um desafio e tanto.

Foi uma corrida sensacional. Já com alguma experiência em subida, larguei mais fraco e deixei o corpo encontrar o ritmo ideal na subida, se acostumando com o esforço e estabilizando batimentos. A partir desse momento comecei a passar os corredores que saíram mais fortes e pagavam o preço disso no meio da subida. Nesse ritmo constante e controlado, lento o suficiente para correr com um nível estável de bpm, e rápido o suficiente para me manter em progressão, cheguei a passar e Edith e o Frédson, quie são notadamente mais rápidos do que eu.

Contudo, da mesma forma como sou bom corredor em subida, sou péssimo em descida. As pernas curtas não dão abertura suficiente para voar a cada passada de modo a ganhar terreno. Foi só fazer o retorno e começar a descer que todos aqueles que eu passara na subida começaram a me passar de volta na descida.

O meu único trunfo era o fato de não ter ficado cansado na subida. Tava inteiro e, dentro do possível, passei a desenvolver a maior velocidade que conseguia na descida. Percebia que muitos tinham se matado na subida e quando tinham começado a descer, tinham soltado tudo, aliviados. No entanto, descer também cansa e logo alguns desses corredores começaram a sentir a estafa e tiveram que diminuir o ritmo. Fui passando-os pouco a pouco. O Frédson que tinha me "devolvido" a ultrapassagem foi um dos que passei já no trecho plano final, faltando pouco mais de 2km para a chegada. Ele já estava meio quebrado.

O que me mantinha motivado era tenta ficar à frente da Edith. Ela eu sabia que tinha se poupado demais na subida para voar na descida. Por isso tinha ficado tanto para trás até o topo. Eu tinha que administrar a vantagem que tinha conseguido impor. E consegui, ficando alguns segundos à sua frente na chegada. Ela, aliás, passou o Frédson nos 500m finais.

Um excelente tempo de 2h12min46s para 24km, que representou um pace de 5min31/km. Para isso, tive que descer a uns 4min20/km, para compensar a lentidão da subida. Excelente! E mais um desafio cumprido, em uma das minhas melhores performances até hoje.


Nenhum comentário: