segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Pro alto e avante!!

Enquanto alguns amigos passavam 24hs correndo ou andando na Ultra 24hs dos Fuzileiros Navais no Rio, eu fiz a prova mais rápida da minha vida: 7min50s para subir 142 metros de altura em 31 andares, ou 765 degraus, no prédio da Nestlé. 

Realmente não foi lá muito fácil, depois de um longo de 32k extremamente sofrido no sábado, acordar no domingo de manhã com a expectativa de fazer força, muita força. Mas tava um clima legal de prova, sei lá, tinha que ir. Reclamei tanto quando não recebi o e-mail. Agora que sabia que tava confirmado, tinha que ir. Até pra valer o ergoespirométrico de emergência na sexta pra pegar o atestado médico.

Aliás, atestado médico foi o grande problema dessa prova. Porque liberaram o nome dos inscritos muito tarde, faltando uma semana para a prova. No meu caso, que só fiquei sabendo no site, menos ainda! Tive três dias, contando com o sábado, para conseguir um atestado. E muita gente chegou lá sem atestado e correu sério risco de não competir, já que eles não estavam liberando o kit para quem não tinha atestado. O Diego inclusive, que acordou a Erica e saiu correndo pra casa dela para conseguir um atestado. 

No final das contas, acabaram liberando todo mundo. Gente como a Valderes, que correu 24hs com o Dean Karnazes quando ele veio pro Brasil, ou o Alexei Caio, que "só" tinha a BR-217 no currículo, correu o risco de ficar fora da prova por conta disso. Não acho errado exigir o atestado, e o próprio Alexei, que sabe bem o que é um bom acompanhamento médico (afinal, é diabético), não reclamou disso. Mas realmente ficou um pouco apertado. O Diego, que foi convidado para a prova, sequer sabia disso... mas é mandamento essencial de todo o corredor ler o regulamento, não?

Bom, só sei que eu estava na primeira bateria de todas. Eu, o Fabio Namiuti (que eu conheço desde quando começamos os dois a praticar corrida e relatar e discutir os treinos no começo do Orkut, mas que só conheci pessoalmente ontem!), o próprio Alexei Caio, e o Carlos Diógenes, amigo da minha irmã e o cara que me deu várias dicas para fazer Urubici. Para quem não entendeu direito, a corrida vertical é uma corrida que consiste em subir, de escada, todo o prédio da Nestlé. Pra não dar tumulto, já que evidentemente as escadas não comportam todo mundo ao mesmo tempo, os corredores foram divididos em categorias de idade e sexo, e em número máximo de 20 atletas por vez. E eu estava na primeira de todas!

Concentração... péééé. Largamos! Um sprintzinho de uns 30, 40 metros da portaria até a escada e começa a subida. No começo, todo mundo sobe correndo, mas começam a vir os andares e as pernas pesam. Batimentos sobem em velocidade recorde! Eu até segurei o ritmo no começo, típica tática de maratonista. Só que ali é curto demais pra isso! Tinha que ter subido rápido logo, mas sem sprintar, porque cansar eu ia cansar de qualquer jeito! Bom, só sei que fui subindo de cabeça baixa e tentando manter um ritmo constante. A primeira vez que olhei em que andar estava, vi o 11º na minha frente. Até que tinha sido rápido, mas faltavam 20 andares!!!!

A partir da metade, a escada fica diferente, mais estreita. E eu que tava puxando dois degraus por vez apoiado no corrimão do lado direito, passei a puxar dos dois lados, como se remasse (o Luis fez um comentário estranho sobre subir escadas e remar no Facebook, mas até que ajudou nessa hora!). E foi indo, indo, indo. O coração palpitava, as pernas ardiam que nem fogo, eu não conseguia respirar direito de tão rápido o ritmo respiratório, mas tava indo. E quando via uma câmera na minha frente, tinha que aprumar o corpo e fazer cara de quem tava gostando, né? Porque a prova tava passando no telão e na internet ao vivo, não podia parecer um joão-bobo subindo escada. Aí, finalmente, o 30º!! A escada acaba, a gente entra num corredor de uns 6 metros e encontra o último lance até o heliporto. Sobe até o 31º e corre mais 5 metros para cruzar a linha de chegada! 7min50s! 57º na categoria (entre 79) e 124º no geral (entre 172)

Sinceramente? Cansei pra caralho, muito mesmo, mas dava pra ir melhor!! Falo isso porque eu senti que cheguei menos cansado do que outros caras. Não dei tudo, foi uns 98,9%, e tenho certeza que conseguiria reduzir uns... 3 segundos no meu tempo final, hehe. Mas foi legal demais, a medalha é grandona e bonita, o kit era legal especialmente pelo fato de não ter pago nada para participar e ainda levei uns chocolates pra casa!! E fiz parte de uma prova totalmente diferente, com telão, cobertura ao vivo, etc.

O esforço de uma prova dessas não tem muita relação com corrida. É como fazer 150 agachamentos seguidos, sei lá. Até o 15º vai bem, mas daí em diante... Vai melhor quem tem boa resistência anaeróbica, o aeróbico é secundário, porque seus batimentos vão sempre estar lá em cima! O Sérgio Cordeiro, por exemplo, Campeão Mundial de Deca-Ironman (10 Ironmen seguidos uma única competição... sim, isso existe!!), fez "só" 06 minutos, uma posição intermediária. O José Virginio, campeão de maratona de montanhas, foi o 08º no geral, com 4min24s e fez jus à fama de rei das subidas. O Jaiminho Rocha, outro monstro das ultramaratonas, fez 06min08s, também uma posição intermediária. O Diego fez 6min31s (23º na categoria). O Alexei, 6min59s. O Carlos Diógenes, 7min10s. Claiton Conservani, o repórter da Globo que tem a melhor profissão do mundo (participar de expedições e competições extremas), 7min30s. O Fábio Namiuti, 8min40s. Relato dele, aqui!

Nas mulheres, a Grazi foi muito bem. 7ª na categoria, com 7min34s. Bem na frente da Valderes, por exemplo, que fez 08min02. Aliás, EU ficar na frente da Valderes é um negócio de outro mundo, a mulher acompanhou o Dean Karnazes, pô!! Mas, como sempre, fiquei atrás da Grazi, que graciosamente cedeu todo o estoque de chocolate que ganhou para o seu acompanhante.

Roubei, na cara dura, uma foto do Fábio para ilustrar o post:

Claudio Rinaldo, Fábio Namiuti, eu e o monstro comedor de chocolate, Rodrigo Pacheco

5 comentários:

Jorge disse...

Foi por isso que vc não veio correr a Ultra dos FN este ano né Nishi, po cara vc é ultra e com certeza para vc esta corrida foi molezinha né...hehehe...O dia que for participar de alguma corrida como esta, irei pegar os bizus com vc, putz tu e o Fábio Namiuti não se conheciam,logo quem que vc não conhecia, vcs dois são os maiores fominhas de corridas...hehehe...Caracas só tinha feras correndo hein Sérgio Cordeiro e Valderes a quem eu conheço muito bem...
Parabéns fera por mais uma conquista...

Um forte abraço e bons treinos.

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.com

Fábio Namiuti disse...

Grande Nishi! Prazer em finalmente te conhecer ao vivo e a cores, já que a gente está no Orkut desde que ele era preto & branco.

Parabéns por ser, ao meu lado, um dos pioneiros, cobaias ou bois de piranha, seja lá como queiram nos chamar. O importante, independente do tempo, foi ter estado lá. Quem sabe somos selecionados da próxima vez, avisados com mais tempo, pra podermos conseguir atestados e até, quem sabe, treinar um pouquinho.

Foto tá lá no site pra isso mesmo. Disponha!

Abraço, sucesso sempre e até as próximas!

Fábio Namiuti
http://www.fabionamiuti.hd1.com.br

Julio Cordeiro disse...

Nishi,
Parabéns cara, essa eu acho que ficaria entre os últimos.
E a próxima maratona???
Abraços Pernambucanos
Júlio Maratonista Cordeiro

Corrida Vertical disse...

Nishi,
Obrigado por seu relato. Sua opinião sobre o evento é muito importante para termos um evento ainda melhor em 2011.

Equipe Corrida Vertical

twitter.com/corridavertical

Ricardo Nishizaki disse...

Julio, cabra macho descalço!! A próxima é as 6hs de São Bernardo do Campo, minha cidade, em setembro. E depois, em outubro, Bilbao na Espanha!!