domingo, 28 de agosto de 2011

Green Race - 10k - 2011

Primeiramente, registrando para fins estatísticos: musculação na sexta e um 13,5k no sábado (de Mizuno) em 1h15, ritmo mais rápido do que deveria, mas mais lento que o normal.

Mais rápido do que deveria porque senti na Green Race de hoje. Não sei se juntou com o fato de ter dormido pouco (pô, tinha Anderson Silva no UFC...), se foi o jantar movido a comida baiana, mas o negócio é que eu cheguei lá em Jundiaí meio baqueado. Foi legal ter encontrado o Jacoto, o Gentil e o Paulinho Lacerda, todos indo pro 50k. Deu uma vontade de fazer... mas passou logo que comecei a correr. Os primeiros 3k são de uma subida que vai progressivamente se acentuando, com alguns trechinhos de plano. As pernas doíam e a asma atacou. Tive que caminhar e sentia uma certa fraqueza vendo um pessoal nitidamente mais lento me passando. 

Quando acabou essa subida dos 3k começou a descida, longa, também entremeada de planinhos e menos íngreme. Estava com incríveis 23 minutos para 3k!!! Com a redução dos bpm, consegui voltar a correr em um ritmo minimamente aceitável, mas longe do que considero bom. As pernas continuavam a doer, dor muscular típica de cansaço, mas fui descendo e passando o pessoal. No entanto, aí começou um outro problema. Um gênio da logística de corridas determinou que alguns carros de apoio e ambulâncias partissem em comboio no meio dos atletas. Ok, se empacotasse ali seria atendimento imediato. O problema é que aumentaram e muito as chances de empacotar por causa da porra da fumaça que os carros soltavam e da poeira que eles levantavam, além de espremer a gente pros cantos da pista. O pior é que eles vinha exatamente na mesma velocidade que eu!! Saco!! Eram quatro carros e eu acelerava para ultrapassá-los, só que aí abria um espaço e eles me passavam de volta. E tome poeira!! Passava alguns de novo, só que a poeira me fazia mal ou chegava uma subidinha, diminuía um pouco e o comboio se formava na minha frente. Parecia perseguição, em um determinado momento eu resolvi até diminuir pra deixar eles irem lá pra frente. Foda-se a minha prova, já tava com um tempo ruim mesmo. Não é que os carros diminuíram também???

Nessa história toda acabei encontrando a mãe da Patrícia, minha colega de trabalho. A mulher ia fazer os 50k e tava me dando um caldo no ritmo... no final das contas compartilhamos muita poeira, muito monóxido de carbono mas deixei-as partir no finalzinho da minha prova de 10k. Depois quero ver como ela foi, porque naquele ritmo fecharia os 50km em 5 horas baixo, o que seria uma façanha e tanto naquele terreno.

Eu fechei os meus 10k em 1h06m e uns quebrados. Resultado horroroso. É uma corrida toda em estrada de terra, sem dificuldades de terreno, que não demanda tênis específico de trilha (e eu com o North Face pesadão, duro...) tendo como fatores de redução de ritmo apenas as inclinações. Não são desprezíveis, mas já peguei coisa bem pior pela frente. Só que hoje realmente...cheguei com as pernas doendo, mas inteiro, no final a asma tinha ido embora. Peguei minha medalha e, impaciente, resolvi voltar pra largada a pé mesmo, sem ficar lá morgando e esperando o ônibus da organização nos levar. Trotei os 10k de volta e vou registrar 20k no odômetro, pois. A medalha é a mesma pra quem faz 10 ou 50k, o que eu achei uma bela sacanagem com os ultras. Não sei qual seria a medalha do revezamento, mas desconfio que era a mesma. Só a dos 5k era diferente e bem, bem-ser vergonha. Mas a camiseta é ótima, a prova dos 10k tem excelente hidratação (a cada 2,5k) e tava até bem organizadinha. Tinha que estar mesmo, pelo preço de inscrição...

E. t.: parabéns pro capitão Rodrigo, que faturou o caneco na categoria revezamento mista. Apesar das ausências da Estelinha e do Sérginho, eles mandaram ver!!
E. t.2: Paulinho Lacerda foi 5º no geral. Resultado espetacular, ele sozinho foi mais rápido que o revezamento do Rodrigo!! E a mãe da Patrícia foi 3ª colocada entre todas as mulheres. Não foi em 5hs baixo, mas foi em 6hs baixo, a 1 minuto da 2ª colocada e mais de meia hora na frente do Jacoto, por exemplo (um cara que tem praticamente o meu ritmo de maratona).  É mole???

4 comentários:

satrijoe disse...

Esse negócio de carro subindo e descendo no meio dos corredores é coisa de Jerico hein! afff

Já que vc mencionou... qto morreu nessa empreitada?

Parabéns,
Shigueo

Ricardo Nishizaki disse...

87 mangos, Mr. Satrijoe... carinho, né? Mas gostei da camiseta, tenho enorme afeição por roupas que disfarçam minha barriga.

Marcelo Jacoto disse...

fala, Nishi! Blz? Recuperado? Qual é a próxima? Olha, vc não pode levar em conta meu tempo pq andei em todas as descidas (e praticamente em todas as subidas tbem) por conta da condromalácea no joelho. E, conformado com a minha lesão, fui para os 50 km (que, segundo o Forerunner 305, tem 46,5 km reais) com máquina fotográfica e parei diversas vezes para registar a paisagem. Correndo mesmo, levando a sério (e, claro, andando nos trechos mais íngremes), dá pra gente fechar com uma hora a menos (5h45min) tranquilo. A "Green Race" é casca grossa, mas Bombinhas é muito mais dura. Tô te devendo duas fotos suas, mando na semana que vem. Abração!

Ricardo Nishizaki disse...

Jacoto, o Gentil fez esse tempo, 5h45. Dá mesmo??? O Gentil é um cara de quem eu tenho medo... rs... também tenho certeza que Bombinhas é muito pior. O meu "cascômetro" é o Paulinho Lacerda que fez as duas. Tem umas corridas aí curtas, outras nem tanto (24hs da Virada Esportiva) mas acho que vou ter algum problema mesmo só depois das férias de outubro...