quarta-feira, 26 de outubro de 2011

O bom e o mau

14km no sábado, de longão, a 5min09/km, com tempo de 1h14. Deu preguiça de ir até a USP e rodei no Ibirapuera mesmo. E a intenção era rodar a 5min30/km, administrando os bpm, mas saí mais leve do que eu esperava e mantive a limitação de 160bpm até os últimos 3km, quando desencanei e soltei a bota. Até esse momento consegui me segurar num o pace médio pra 5min15, mas depois disso baixei para chegar nessa média de 5min09, o que significa que rodei no finalzinho pra baixo de 4min50. Foi cansativo, mas não exaustivo. O que mais atrapalhou mesmo foram as bolhas no pé direito, tá difícil adaptar ao Asics.

Movido pelo treino bom de sábado, parti na segunda para um treino no Ibira com um intervalado meio complexo. Tiro de 2km, sendo o primeiro km em um ritmo bom e o segundo puxando mais; pausa de 1 minuto e então um treino técnico em rampa de pequena inclinação (a rampa atrás do banheiro, que ia até o lago, antes das reformas), subindo forte e descendo trotando; pausa de 2 minutos, descansando bem e repete tudo, 4 vezes. O ritmo, mais uma vez, foi mais forte do que esperava, rodando os 2km em pace médio de 4min50/km, mesmo sentindo uma dorzinha meio profunda no sóleo esquerdo. Com as rampas, e o aquecimento, estimo uns 10km de treino, desta vez com o velho e confortável Nike.

Marquei ergoespirométrico na quarta de manhã e de um VO2 de 53, mais de 10% mais forte do que o último exame. E realmente rodei bem, levinho, dentro do possível com aquela máscara horrorosa. Também marquei 71,5kg, ou seja, 1,5kg a menos em 10 dias de contenção de calorias.

Tudo ia tão bem até o treino dessa quarta à noite... minha nossa senhora, como pode ser tão diferente?? Eu sei que o ergoespirométrico desgasta um pouco, é prova de esforço máximo, mas à noite eu simplesmente não conseguia correr!! Saí pro treino, consistente em 3 voltas de 3km em fartlek e consegui fazer, com muito esforço, a primeira no ritmo planejado. Na segunda fiz num ritmo de tartaruga e resolvi parar. O Gabriel ainda me convenceu a tentar fechar a terceira, mas durei 1km... pernas pesadas, do joelho pra baixo tudo dolorido, dores nas coxas, dores nos quadris, terrível!! Contabilizando 7km sofridos (Asics) e um dos piores treinos de toda a minha vida. Aparentemente minhas pernas não estão acompanhando meus pulmões. Mas, enfim, depois de 5 treinos bons, uma hora ia aparecer o treino ruim na minha frente. Tô acostumado, é a velhice...


2 comentários:

Nat - Corredora Zen :-) disse...

Amigo Nishi, como vc sabe, eu não acredito nisso de se adaptar ao tênis. Ou o tênis fica ÓTEMO desde o dia 1 ou não serve.

Afinal é o tênis que tem que ser adaptado para mim, não ao contrário! Deu bolha? Doa, vende, troca, dá... e compra outro que não dá bolha poxa!

bjbj

elis disse...

Oi, Nishi!!!

ui, também tenho um teste ergométrico na próxima semana!
sempre sofro nesses testes rssssss

tênis que dá bolha é uma desgraça!
eu tenho um assim... mas ainda bem que o danado deixa meu pé em paz nos treinos curtos rssss

bjs