segunda-feira, 12 de maio de 2014

Mizuno Half Marathon RJ 2014

Estreei no circuito Mizuno Half Marathon lá na Cidade Maravilhosa. E devo dizer que foi uma prova quase maravilhosa. Lógico que não boto na conta os mimos que o acesso à área VIP me proporcionou (um deles, o inédito de peito nº 03, Elite A total!!). Mas para quem corre acho que a única falha de fato foi um subdimensionado número de banheiros químicos, que causou uma fila bem grandinha um pouco antes da largada. Para quem vai fazer mais de uma etapa também é meio ruim o fato de a medalha e camiseta serem os mesmos para todas as etapas, mas isso é para uma minoria.



De resto, foi um evento bem legal. Além do Jantar de Massas e a curtição de estar com os amigos, foi muito bacana conhecer gente nova. O percurso, já conhecido, saindo do Pontal, no Recreio dos Bandeirantes, correndo 10,5km em direção à Barra pela avenida Lúcio Costa, beira-mar, e retornando. Um retão infinito e plano para ir e voltar, exceto uma "chicane" lá pelo km 18, aparentemente feita para dar certinho os 21.095m oficiais da distância. Hidratação? Excelente, a cada 2km. Isotônico em dois pontos (na verdade, o mesmo posto, que serve para a ida e para a volta). Bolsões bem delimitados para os ritmos de prova (se respeitados ou não é uma outra coisa). E a utilíssima ideia dos marcadores de ritmo, utilizada com sucesso na Golden Four e na Meia de Pomerode, e repetida nesse circuito.



Além disso, uma coisa que vi poucas vezes: esponjas molhadas para baixar a temperatura do corpo, um negócio que seria utilíssimo, não fosse o fato de o clima estar quase perfeito para correr no Rio. Sim, o RJ, terror de todo corredor, com a umidade, o calor e o vento fortes, desta vez estava manso. Choveu exatamente até a hora da largada e a temperatura estava gostosa, nem fria, nem calor. E o vento, só uma brisa gostosa. Excelente! Aliás, tava até frio na entrega de kits.

Eu serei marcador de ritmo oficial em SP, para as 2h00. A ideia era já pegar a camiseta de marcador de ritmo no RJ e acompanhar os oficiais, mas como elas vieram só para os oficiais, iria seguir com eles mais para correr junto, a mesma ideia do Sergio Rocha. O Carino e o Frota também viriam juntos. Encontramos ainda a Carla Gomes, buscando baixar das 2h00 e o Edu Elias de pacer-maridão nessa mesma toada. E tinha também o Iuri Totti. Só de amigos já dava um bloco grande. E haveriam os outros corredores que seguiriam o bloco, alguns já conhecidos no Jantar de Massas.


Saímos, mas logo demos uma desgarradinha, o Iuri a Carla e o Edu estavam num ritmo ligeiramente abaixo das 2h00 e o Carino tava sossegado junto. Fomos até mais ou menos o 6ºkm, e no bate-papo com o Carino nem percebi que o Iuri tinha ido pra frente e a Carla e o Edu um pouco pra trás. Tava tranquilo demais pra correr e continuamos nesse bate-papo ininterrupto praticamente até o km 19! Sub 2h00 pro Carino mais que garantido ali, o negócio era ver quanto dava pra baixar ainda mais a partir dali. E deu um ótimo 1h55 pra ele! 

Foi bem bacana, chegar com uma sobrinha foi bom porque deu pra acompanhar a chegada dos outros também: Iuri logo a seguir, a Carla, que fez o sub 2h00 com sobras (1h58, 5 minuto abaixo do melhor dela) com o Edu, a Betina e o Sérgio Crespo que fizeram 1h59 em cima, assim como uma boa parte do pessoal que seguiu com os pacers das 2h00, a francesinha Rosalie e o Marcelo Duracell (correu pilhando a galera o tempo inteiro). A pena foi o Frota sentir de novo a velha contusão e parar no 16, para não agravá-la. Mas se havia uma prova onde dava para desistir sem o menor problema, seria essa, onde ele estava só participando festivamente.

De resto, o show foi rever alguns do Uphillers e curtir o evento. Serviu ainda como treino longo leve pra Comrades, após 3 treinos muito pesados na sequência. Acho que o meu corpo e minha mente estavam precisando disso também.


Nenhum comentário: